Saiba como identificar uma barganha na Bolsa de Valores 

Saiba como identificar uma barganha na Bolsa de Valores 

Saiba como identificar uma barganha na Bolsa de Valores

É possível pagar R$0,50 por uma nota de R$1,00? Saiba como identificar uma barganha na Bolsa de Valores e comprar ações ”baratas”.

Benjamin Graham

Pai da filosofia de Investimentos em Valor ou Value Investing, Benjamin Graham é considerado o mentor do maior investidor de todos os tempos, Warren Buffet. Graham ficou famoso pela frase: “comprar uma nota de US$1 com uma moeda de US$0,50”.

Graham acreditava que é preciso sempre investir com uma margem de segurança. Isso quer dizer que, como o mercado financeiro muitas vezes gera distorções entre preço e “valor justo” de uma ação, existem sempre oportunidades para comprar ações “baratas”. E para Benjamin Graham o importante não é só comprar ações baratas, mas também comprar ações dentro de uma margem de segurança, com desconto significativo com relação ao seu valor intrínseco. Dessa forma, não só é mais fácil gerar grandes retornos como também é possível minimizar os riscos de variação nos preços da ação.

Como identificar ações baratas

Uma das formas mais comuns de se ver se uma ação está “barata”, é observar o seu P/VPA, ou seja, o PREÇO POR AÇÃO dividido pelo VALOR PATRIMONIAL POR AÇÃO. Esse indicador mostra quanto os investidores estão pagando por cada real dos ativos residuais da empresa.

Vamos supor que a empresa ABCD esteja cotada na Bolsa a R$10,00 e que o seu valor patrimonial por ação também seja de R$10. Nesse caso, o nosso P/VPA seria de 1,00 (10/10), ou seja, as ações da empresa ABCD estariam sendo negociadas exatamente no valor do seu patrimônio. Na verdade, isso não é comum, porque as ações, em sua maioria, são negociadas com uma expectativa de crescimento futuro. Dessa forma, é normal que os P/VPAs de grande parte das ações estejam com valores superiores a 1,00.

Porém, como sabemos, o mercado não é perfeito e, em muitos casos (especialmente em tempos de baixa), mesmo ações de boas empresas podem cair e ser negociadas até abaixo do seu valor patrimonial, ou seja, elas valem em Bolsa menos que seu próprio patrimônio. Sim, esse tipo de distorção é mais comum do que se imagina.

Ranking P/VPA

Realizamos um estudo com ações listadas na B3 para identificar as mais baratas em relação ao seu valor patrimonial. Obviamente, é importante ressaltar que o índice deve ser analisado em conjunto com outros indicadores e não é garantia de ativo subavaliado. Valores muito elevados podem significar oportunidade de crescimento, com incremento do patrimônio através de lucros e aumento do denominador.

Neste relatório, divulgamos um ranking com algumas empresas que possuem P/VPA de 1 para baixo:

Empresa / Ação

P/VPA

TRIUNFO PART ON NM – TPIS3 0,3
OI PN N1 – OIBR4 0,35
COTEMINAS PN – CTNM4 0,37
ALFA INVEST ON – BRIV3 0,37
PINE PN N2 – PINE4 0,39
SPRINGS ON NM – SGPS3 0,39
JHSF PART ON NM – JHSF3 0,53
COPEL PNB N1 – CPLE6 0,59
GERDAU MET PN N1 – GOAU4 0,74
LE LIS BLANC ON NM – LLIS3 0,8
GERDAU ON N1 – GGBR3 0,82
BRADESPAR ON N1 – BRAP3 0,93
BRASILAGRO ON NM – AGRO3 0,96
GERDAU PN N1 – GGBR4 0,99
TELEF BRASIL ON – VIVT3 1
GRAZZIOTIN PN – CGRA4 1

Vídeo – Ações baratas, como identificar?

Quer receber as melhores análises e recomendações para a montagem de uma carteira de ações de longo prazo? 

Caso você queira receber análises e recomendações de longo prazo para a montagem da sua carteira de ações, conheça o INVISTA EM AÇÕES.

Sobre o Invista em Ações

Conheça nosso produto INVISTA EM AÇÕES e tenha acesso a atualizações de 3 Carteiras Recomendadas com diferentes perfis: Carteira Dividendos, Carteira Crescimento e Carteira Top Recomendadas. Receba, ainda, análises e recomendações das melhores ações da Bolsa de Valores.

Ou você quer receber recomendações para operar no curto prazo?

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER.

Sobre o Full Trader

FULL TRADER é o produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Receba as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

Conheça o nosso Produto FULL TRADER.

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor. InfoMoney. Quantum. Estadão. Broadcast. Folha. Exame. B3. MoneyTimes.

Importante: Leia o nosso Disclosure, antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Contrato de Índice Futuro

Contrato de Índice Futuro

Contrato de Índice Futuro

O que é e como funciona o Contrato de Índice Futuro

O Índice Bovespa (Ibovespa) é o índice de ações mais importante do Brasil. Ele é resultado de uma carteira teórica de ações e units negociadas na B3, cuja quantidade pode variar de acordo com as regras de composição.

O Ibovespa tem como critério o retorno total das ações, refletindo assim as variações de um determinado número de ativos que compõem a carteira.

Já o Contrato Futuro de Ibovespa possibilita que o mercado negocie as expectativas futuras do mercado de ações (Ibovespa), sem a necessidade de realizar a compra de toda a cesta de ações que compõem o índice.

Minicontrato Ibovespa

Código de negociação: WIN

Vencimento: na Quarta-Feira mais próxima do 15° dia do mês de vencimento do contrato – o mini índice Bovespa vence de 2 em 2 meses.

Meses de vencimento: Fevereiro (G), Abril (J), Junho (M), Agosto (Q), Outubro (V) e Dezembro (V)

Formação do código e vencimento: WINV18, onde:

WIN= código

V =  mês de vencimento

18 = ano de vencimento

Abaixo segue o book do mini índice:

Liquidez do contrato: pelo menos 1 contrato

Cálculo do Volume Financeiro

O volume de cada contrato é calculado multiplicando-se a última cotação por R$0,20, ou seja, cada variação de 1 ponto equivale a R$0,20. No exemplo acima, o contrato cotado a 85.855 pontos vale R$17.171,00.

Lembrando que,  o Contrato de Índice Futuro pode ser negociado tanto no Day Trade, quanto em Swing Trade (Posição). As garantias são diferentes, e dependem da corretora e da volatilidade do mercado.

No caso de uma operação de Day Trade. com compra a 85.855 pontos e de uma venda a 86.400, a variação de 545 pontos, equivaleria a um ganho de R$109 por contrato negociado.

Quer receber as melhores as recomendações de operações de curto prazo na Bolsa de Valores?

FULL TRADER é o produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Receba as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

Conheça o nosso Produto FULL TRADER.

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Destaques da Semana – Capitalizo

Destaques da Semana

Destaques da Semana – Capitalizo

Confira os principais destaques da semana do dia 11/02 até 18/02/19:

E se as Reformas não passarem? O que faço com as minhas ações?

Entendemos que é grande a possibilidade de que as principais Reformas (em especial a da Previdência) sejam aprovadas. Porém, é justa a preocupação do investidor de longo prazo do que fazer, caso esse cenário não se concretize.

Se você possui uma carteira de ações de longo prazo, confira o vídeo abaixo:

Indicadores de Mercado (Variação em %)

Taxa/Valor

fev/19

jan/19

2019 (%)

Selic (efetiva) 6,40% ao ano 0,3 0,54 0,84
CDI 6,40% ao ano 0,3 0,54 0,84
Poupança 0,37 0,37 0,74
Ibovespa 96509,89 -0,91 10,82 9,81
IFIX 2413,48 0,16 2,47 2,63
Dólar Comercial R$3,730 2,02 -5,58 -3,68
Euro Comercial R$4,220 0,85 -5,55 -4,74
Ouro (B3)  R$157,70 1,75 -2,03 -0,32
IPCA 0,32 0,32
IGP-M 0,01 0,01

Bolsa de Valores

Confira a análise dos principais ativos da Bolsa, na visão de Danillo Fratta, e os resultados das principais recomendações do nosso produto Full Trader no dia 19/02/19:

Conteúdo Grátis da Semana

Confira os principais destaques em conteúdo grátis dessa semana (incluindo o material pulicado no nosso parceiro educacional, o VC Investidor):

Quer receber nosso conteúdo gratuito no WhatsApp?

Conheça o WhatsApp da Capitalizo, receba o melhor conteúdo gratuito do mercado e tire suas dúvidas com a nossa equipe. Para saber mais, clique aqui.

Receba as Melhores Recomendações de Investimentos

Quer receber as melhores análises e recomendações de investimentos do mercado? Conheça nossos Produtos, clicando aqui.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão/Broadcast, Folha, Exame, B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Fundos Imobiliários em destaque da semana

Fundos Imobiliários em destaque

Fundos Imobiliários em destaque da semana

Confira os Fundos Imobiliários em destaque da semana , a variação do IFIX e a agenda de proventos.

IFIX

O IFIX é um índice de retorno total de Fundos Imobiliários, sendo formado por uma carteira teórica. O seu objetivo principal é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos produtos deste setor negociados nos mercados de bolsa e de balcão organizado da B3. O rendimento foi de 19,41% em 2017 e de 5,62% em 2018.  Em 2019, o IFIX sobe 2,35%.

A seguir, o retorno mensal e o gráfico de variação do IFIX:

Retorno dos últimos meses (em %)

fev/19 jan/19 dez/18 nov/18 out/18
IFIX -0,12% +2,47% +2,22% +2,59% +5,04%

Gráfico IFIX

Fatos Relevantes da Semana

BB PROGRESSIVO FII – BBFI11B

Administrado pela Caixa Econômica Federal, publicou Fato Relevante informando que o Banco do Brasil, atual locatário do Centro Administrativo do Andaraí, localizado na Rua Barão de São Francisco, 177, Andaraí, Rio de Janeiro/RJ, encaminhou proposta para aquisição de um dos blocos do imóvel pelo valor de R$ 18,5 milhões. O BB já havia informado que não pretende renovar o contrato de locação, vigente até 05/10/2020. A proposta será avaliada pela administradora.

CSHG RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS FII – HGCR11

Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora, emitiu comunicado informando a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 4ª Emissão do fundo. Serão emitidas até 1,45 milhões cotas com o valor unitário de R$ 103,3, perfazendo o montante total de R$ 150 milhões. O valor mínimo da oferta é de R$ 30 milhões. As cotas da presente emissão são destinadas a Investidores em geral. O período de exercício do direito de preferência está programado para ocorrer entre 21/02/2019 e 08/03/2019. Os recursos obtidos pelo fundo serão usados para, prioritariamente, aquisição de novas emissões de CRI. O coordenador líder da emissão será o Credit Suisse Hedging-Griffo.

CAIXA RIO BRAVO FOFII II FII – CRFF11

Administrado pela Caixa Econômica Federal, emitiu comunicado informando a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 1ª Emissão de cotas em regime de melhores esforços. Serão emitidas até 2 milhões cotas com o valor unitário de R$ 100, perfazendo o montante total de R$ 200 milhões. O valor mínimo da oferta é de R$ 50 milhões. As cotas da presente emissão são destinadas a Investidores em geral. Cada investidor deverá subscrever o mínimo de 10 cotas, totalizando valor mínimo de subscrição por investidor de R$1000. O início da distribuição das cotas ao mercado está programado para 28/11/2018 e o fim para 18/04/2018. O coordenador líder da emissão será o Rio Bravo Investimentos.

HEDGE BRASIL SHOPPING FII – HGBS11

Administrado pela Hedge Investments DTVM e sob gestão da Hedge Investments, publicou Comunicado ao Mercado informando o encerramento do período para exercício do direito de subscrição das sobras de cotas da 7ª emissão. Durante este período foram subscritas 249,6 mil cotas, correspondentes ao montante total de R$ 55,8 milhões. Remanesceram, no âmbito da oferta restrita, 635,4 mil cotas, que perfazem o montante de R$ 142,1 milhões.

XP LOG FII – XPLG11

Administrado pela Vórtx e sob gestão da XP Gestão de Recursos, publicou Fato Relevante informando que foi notificado do imediato desembargo das obras realizadas na área onde está sendo construído um Centro de Distribuição da Leroy Merlin no Município de Cajamar/SP. O fundo possui 39,5% do imóvel.

XP MALLS FII – XPML11

Administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros e sob gestão da XP Vista Asset Management, publicou Comunicado ao Mercado informando que realizará uma teleconferência de resultados que será realizada no dia 20/02/2019 às 16:00 (Horário de Brasília).

FLORIPA SHOPPING FII – FLRP11

Os cotistas do Fundo, administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros, aprovaram em Assembleia Geral a liquidação do fundo. As cotas serão liquidadas após a venda de 100% da participação no Floripa Shopping, pelo valor total de R$ 72,5 milhões a serem pagos 70% na data de fechamento da transação e 30% em 45 dias a contar da data de fechamento, corrigido pelo IPCA.

Proventos (Dividendos)

Nome Valor Crédito
XP MALLS FII – XPML11 R$ 0,60 21/02/2019
HOSPITAL DA CRIANÇA FII – HCRI11 R$ 2,56 20/02/2019
SHOPPING PARQUE D PEDRO FII – SHDP11B R$ 5,15 20/02/2019
TORRE NORTE FII – TRNT11 R$ 0,64 20/02/2019
PRESIDENTE VARGAS FII – PRSV11 R$ 1,88 21/02/2019
TRANSINC FII – TSNC11 R$ 30,73 21/02/2019
VALORA RE III FII – VGIR11 R$ 1,00 19/02/2019
IRIDIUM RECEBÍVEIS FII – IRDM11 R$ 0,79 18/02/2019
RBR ALPHA FUNDO DE FUNDOS FII – RBRF11 R$ 0,65 18/02/2019
RBR RENDIMENTO HIGH GRADE FII – RBRR11 R$ 0,52 18/02/2019

Quer receber as melhores análises e recomendações para a montagem da sua carteira de Fundos Imobiliários?

Esse conteúdo é um resumo do Informativo Semanal de Fundos Imobiliários. O relatório completo é publicado, semanalmente, no nosso produto TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS.

Invista em Fundos Imobiliários e diversifique seus investimentos

O investimento em Fundos Imobiliários é uma das formas mais inteligentes de se investir em imóveis. Além do fato dos rendimentos mensais serem isentos de Imposto de Renda, é possível que você invista nos principais empreendimentos (logísticos, corporativos, shoppings, entre outros) e títulos de renda fixa (atrelados ao mercado imobiliário) do Brasil.

Adquira o nosso Produto TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS e receba as melhores recomendações e análises dos principais Fundos Imobiliários do mercado. Além disso, tenha acesso a nossa Carteira Exclusiva de Fundos Imobiliários.

Mais Sobre o Top Fundos de Investimentos

Receba as melhores análises e recomendações de Fundos de Investimentos, através do produto mais completo do mercado. Conheça os melhores gestores do Brasil e do Mundo, e saiba como investir nos mais rentáveis Fundos de Renda Fixa, Fundos de Previdência, Fundos Internacionais, Fundos Multimercados, Fundos de Ações e Fundos Imobiliários. Para saber mais, clique aqui. 

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor. InfoMoney. Quantum. Estadão. Broadcast. Folha. Exame. B3. MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo consultoria, análises e recomendações de investimentos.

USIM5 (Usiminas) – Vale a pena investir?

usim5

USIM5 (Usiminas) – Vale a pena investir?

Hoje vamos entender se vale a pena investir na USIM5 (Usiminas). Abaixo, seguem algumas informações relevantes e o vídeo de apresentação da companhia, levando em conta os resultados recentes.

A empresa

-Fundada em 1962;

-Foi privatizada em 1991;

-Maior produtora de aços planos da América Latina;

Mineração: joint venture com a Sumitomo;

Siderurgia: duas usinas com capacidade de 9,5 milhões de toneladas/ano;

Transformação: onze unidades industriais, trabalham com o aço produzido pelas usinas;

Bens de Capital: fornecimento de soluções para indústria (equipamentos e estruturas).

Alguns números

₋4 sítios de mineração, com reservas de 2,6 bilhões de toneladas de minério;

₋Capacidade produtiva de 9,5 milhões de toneladas de aço bruto;

₋Capacidade de processamento de 2 milhões de toneladas;

₋83% da receita vem do mercado interno;

₋Investiu R$ 463 milhões em 2018;

₋Valor de mercado de R$ 16,9 bilhões.

Pontos Positivos

-Forte atuação nos setores de bens de capital e duráveis;

-Recuperação do volume de aços planos;

-Melhora na estrutura de capital;

-Estrutura verticalizada, incluindo mineração; transformação e logística.

Pontos Negativos

-Redução do disponível;

-Segmento altamente cíclico;

-Exposição cambial de parte da dívida.

Vídeo – Vale a pena investir na USIM5 (Usiminas)?

Quer receber as melhores análises e recomendações para a montagem de uma carteira de ações de longo prazo? 

Caso você queira receber análises e recomendações de longo prazo para a montagem da sua carteira de ações, conheça o INVISTA EM AÇÕES.

Sobre o Invista em Ações

Conheça nosso produto INVISTA EM AÇÕES e tenha acesso a atualizações de 3 Carteiras Recomendadas com diferentes perfis: Carteira Dividendos, Carteira Crescimento e Carteira Top Recomendadas. Receba, ainda, análises e recomendações das melhores ações da Bolsa de Valores.

Ou você quer receber recomendações para operar no curto prazo?

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER.

Sobre o Full Trader

FULL TRADER é o produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Receba as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

Conheça o nosso Produto FULL TRADER.

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor. InfoMoney. Quantum. Estadão. Broadcast. Folha. Exame. B3. MoneyTimes.

Importante: Leia o nosso Disclosure, antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Ações para ficar de olho essa semana

Ações para ficar de olho essa semana

Ações para ficar de olho essa semana

Confira os destaques dos últimos dias e as ações para ficar de olho essa semana

O mercado (11/02 até 15/02)

IBOVESPA

O IBOVESPA fechou a semana com alta de 2,29% a 95.343 pontos. No ano, o índice acumula alta de 10,97%.

Destaques de alta e de baixa (última semana)

Baixa: BBSE3 (-8,47%), SBSP3 (-6,04%), HYPE3 (-5,28%), VVAR3 (-5,04%), KLBN11 (-4,83%)

Alta: EMBR3 (+7,11%), GOLL4 (+6,96%), PETR4 (+6,8%), BRKM5 (+6,72%), VALE3 (+6,3%)

Calendário de proventos

Pagamento de proventos (JCP/Dividendos)

12/02: Banco ABC (ABCB)

Ex-proventos (JCP/Dividendos)

22/02: Itauunibanco (ITUB), Banco do Brasil (BBAS3)

Divulgação de resultados

18/02: Itausa (ITSA), Linx (LINX)

19/02: Engie (EGIE), Multiplan (MULT), Tim (TIMP)

20/02: Arezzo (ARZZ), Marfrig (MRFG), Pão de Açúcar (PCAR), Taesa (TAEE), Telefônica (VIVT), Ultrapar (UGPA), Via Varejo (VVAR), Weg (WEGE), CSN (CSNA)

21/02: B3 (B3SA), Localiza (RENT), Magazine Luiza (MLGU), Natura (NATU), Gerdau (GGBR)

Destaques corporativos e do mercado

-Varejo tem queda nos EUA

-Exportações na China sobem

-Fluxo em shoppings em alta

-Tenda divulga projeções

-Banrisul divulga resultados

-BRF recolhe frango

-BB Seguridade tem queda no lucro

-Banco Inter deve listar ações ON

-IRB anuncia oferta pública para saída da Caixa

-Juntos, 4 maiores bancos lucram R$73 bilhões em 2018

-Cosan, Rumo e Comgás apresentam resultados

-Cemig anuncia novo presidente

-Weg anuncia compras

-Banco do Brasil anuncia resultados de 2018

Confira o vídeo dessa semana:

Quer receber as melhores análises e recomendações para a montagem de uma carteira de ações de longo prazo? 

Caso você queira receber análises e recomendações de longo prazo para a montagem da sua carteira de ações, conheça o INVISTA EM AÇÕES.

Sobre o Invista em Ações

Conheça nosso produto INVISTA EM AÇÕES e tenha acesso a atualizações de 3 Carteiras Recomendadas com diferentes perfis: Carteira Dividendos, Carteira Crescimento e Carteira Top Recomendadas. Receba, ainda, análises e recomendações das melhores ações da Bolsa de Valores.

Ou você quer receber recomendações para operar no curto prazo?

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER.

Sobre o Full Trader

FULL TRADER é o produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Receba as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

Conheça o nosso Produto FULL TRADER.

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor. InfoMoney. Quantum. Estadão. Broadcast. Folha. Exame. B3. MoneyTimes.

Importante: Leia o nosso Disclosure, antes de investir.

Economia Mundial – Estados Unidos, China e Europa

economia mundial

Economia Mundial – Estados Unidos, China e Europa

No presente relatório, traremos uma análise dos principais players da economia mundial : Estados Unidos, China e Europa. Além disso, falaremos as respeito de algumas empresas e o posicionamento delas nas economias citadas.

Economia dos Estados Unidos

O comitê de política monetária americano decidiu de forma unânime manter o patamar da taxa de juros no intervalo entre 2,25% e 2,50% ao ano. Essa reunião realizada no dia 30 de janeiro. Foi comunicado ao mercado que a expansão sustentada da atividade econômica, condições de mercado e inflação próximo da meta de 2% foram consideradas na avaliação. Observando a evolução econômica mundial em desaceleração e pressões moderadas sobre preços, o comitê mudou o seu posicionamento sobre aumentos graduais nos juros, preferindo uma abordagem mais cautelosa.

Para determinar o momento e o tamanho dos futuros ajustes, continuarão sendo avaliadas as metas de emprego e inflação, levando em consideração medidas de condições de trabalho, indicadores de pressão inflacionária e leituras sobre desenvolvimentos internacionais.

Mercado de trabalho segue aquecido

Dados recentes indicam que o mercado de trabalho nos Estados Unidos continua aquecido. A taxa de desemprego, de acordo com o fechamento de dezembro, está em 3,9%. Esse número é um pouco acima dos 3,7% registrados entre setembro e novembro.

Importante observar que antes de 2018 o indicador não ficava abaixo de 4% desde dezembro de 2000. O setor privado criou 213 mil novas vagas em janeiro, bem acima do esperado. Em contrapartida, os pedidos sociais semanais por seguro-desemprego ficaram acima das expectativas nos últimos dias, saltando para 253 mil reivindicações, maior número dos últimos meses.

Variação da Taxa de Desemprego nos EUA (em %)

Indústria e Serviços

O índice que mede o nível de atividade dos segmentos industrial e de serviços de forma unificada nos Estados Unidos continua indicando crescimento para empresas do setor privado. O indicador PMI composto alcançou 54,2 pontos na preliminar de janeiro. Dessa forma, permanecendo em desaceleração constante desde outubro de 2018. Vale ressaltar que a leitura acima de 50 indica expansão, e abaixo indica contração.

O volume de produção da indústria se expandiu no ritmo mais elevado dos últimos oito meses. Contudo, a taxa de crescimento em serviços foi a menor das últimas quatro divulgações. Os níveis mais altos de atividade comercial foram apoiados pela recuperação no crescimento de novos pedidos, apesar da paralisação do governo, que continua pesando sobre a demanda.

Inflação

A última variação no índice de preços ao produtor, excluindo os segmentos de alimentos e energia, registrou deflação de 0,1%. Com este resultado, o indicador atingiu a marca de 2,7% em doze meses. Dessa forma, ficando abaixo da expectativa de 2,9% e suportando o discurso cauteloso do comitê de política monetária.

O índice de preços ao consumidor, desconsiderando alimentos e energia, permanece sob controle e próximo a 2,2%. Este patamar demostra estagnação no indicador após elevação gradual observada entre o final de 2017 e o primeiro semestre de 2018.

Índice de gestores de compra (PMI) e inflação (PCE)

Guerra comercial

As negociações com a China continuam impactando a confiança do mercado internacional. O presidente americano ameaçou elevar as tarifas sobre US$ 200 bilhões em bens chineses de 10% para 25% no início de março, caso não haja nenhum acordo entre os países até esta data.

No momento não existem indicações por parte do governo asiático se as exigências serão cumpridas. As principais reivindicações tratam de assuntos como proteção dos direitos de propriedade intelectual e transferência de tecnologia para empresas chinesas.

Weg (WEGE3)

Um dos ativos que acompanhamos, a Weg (WEGE3) é uma das empresas que possui alta exposição nos Estados Unidos. Em 2016, a companhia adquiriu no país a Bluffton Motor Works, fabricante de motores elétricos com sede no estado de Indiana. Com esta aquisição, passou a atender empresas de processamento de alimentos e fabricantes de máquinas industriais e equipamentos para comércio e serviços.

No ano seguinte, comprou a CG Power USA, especializada na fabricação de transformadores de distribuição. Com estas movimentações, a Weg ampliou seu alcance internacional, fazendo proporção da receita com produtos vendidos para a América do Norte saltar para próximo de 44% do total.

Economia da China

No quarto trimestre de 2018, o produto interno bruto da China cresceu no ritmo mais lento desde a década de noventa. Após registrar variação de 6,5% ao ano no trimestre anterior, fechou os últimos três meses do ano com 6,4%, tendo grande impacto das tarifas americanas sobre produtos do país. Esta queda é similar a ocorrida entre 2015 e 2016, embora a economia da potência asiática não esteja sofrendo com pressão cambial e fuga de capital.

Importante observar que a desaceleração da atividade chinesa afeta diversos países, inclusive o Brasil, que tem relações comerciais importantes para exportação de diversos produtos. Destaque para as negociações envolvendo soja, minério de ferro, celulose, proteína animal, petróleo e açúcar.

Exportações

As exportações realizadas pela China recuaram de forma inesperada em dezembro. Isso porque era aguardado um crescimento próximo a 3% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Com a demanda reduzida por diversos de seus produtos, as vendas para outras regiões caíram 4,4%, reforçando os receios com a guerra comercial com os Estados Unidos.

Importações

Em relação às importações, a surpresa foi ainda maior, pois a queda foi de 7,6% na mesma base de comparação, frente a uma expectativa de incremento de 5%. Em contrapartida, a balança comercial continua em expansão, passando de US$ 44,74 bilhões para US$ 57,06 bilhões. Esse foi o patamar mais elevado desde fevereiro de 2016.

Produção Industrial

Dados referentes a produção industrial vieram acima do esperado, embora também indiquem desaceleração da atividade econômica. Mesmo a medição ajustada pela inflação do total produzido por fabricantes, minas e serviços públicos tendo passado de 5,4% ao ano para 5,7% na passagem de novembro para dezembro, está bem abaixo da média dos últimos anos.

Taxa de Desemprego

A taxa de desemprego na China está em 4,9%, considerando o percentual de pessoas procurando emprego dentro da força de trabalho.

Gráfico da variação do crescimento do PIB chinês (em %)

Klabin (KLBN11) e Cosan (CSAN3)

Dentre as companhias acompanhadas, algumas das empresas mais correlacionadas com a atividade chinesa são a Klabin (KLBN11) e a Cosan (CSAN3).

Klabin (KLBN11)

A empresa produz e comercializa celulose e derivados, como papel ondulado, que depende muito da demanda do país asiático. A situação econômica do país também poderia afetar os preços de celulose fibra curta e fibra longa, pois um desequilíbrio com a oferta deixaria os produtores sem condições de manter o valor da commodity em um nível mais atrativo.

Cosan (CSAN3)

A Cosan, por sua vez, depende de uma reversão da atual situação do açúcar no mercado internacional, pois o excesso de estoques continua pressionando os preços do alimento. A partir do momento que o consumo de um país populoso é reduzido, as cotações se mantêm baixas.

Economia da Europa

A economia da zona do euro está desacelerando mais que o esperado e deve continuar dependendo de incentivos do Banco Central Europeu (BCE). O BCE por sua vez manteve inalterada sua política monetária na última reunião.

Com a decisão, a taxa de depósitos bancários, principal ferramenta de juros do bloco, permaneceu em -0,4%. A taxa de refinanciamento, que estipula o custo de crédito da economia, continuou em 0,00%. Já taxa de empréstimo de emergência para bancos se manteve em 0,25%. Mesmo com dados econômicos mais fracos e um novo cenário para o aperto na liquidez, ainda existe a expectativa de alta de juros até a metade deste ano.

Atividade Industrial – Alemanha

O índice que mede o nível de atividade industrial na Alemanha caiu mais rápido que o esperado, atingindo o menor patamar desde dezembro de 2014. O indicador PMI alcançou 49,9 pontos na preliminar de janeiro, quando era esperado algo próximo a 51,4. Vale ressaltar que a leitura acima de 50 indica expansão da indústria, e abaixo indica contração.

Gráfico com o nível de atividade industrial na Alemanha

Balança Comercial Alemã

O superávit da balança comercial também regrediu nos últimos cinco meses divulgados, formando uma média de € 17,6 bilhões ao mês, abaixo da média de € 20,4 bilhões do resto de 2018. Estes dados aumentam as preocupações quanto a perda de força da maior economia da zona do euro, sendo que os maiores impactos são observados na indústria automobilística e na desaceleração na demanda da China.

Atividade Industrial – França

O índice que mede a atividade industrial na França, segunda maior força da zona do euro, reagiu na leitura preliminar de janeiro, chegando a 51,2 pontos e deixando a área de contração. Em dezembro de 2018, o indicador havia caído abaixo do limite de 50 pontos pela primeira vez desde setembro de 2016, marcando 49,7 pontos.

Atividade de Serviços – França

O PMI de serviços, por sua vez, fez o movimento contrário, caindo de 49,0 para 47,5 pontos. Esse foi o menor nível em quatro anos. Apesar da continuação dos protestos dos coletes amarelos, o movimento da economia ainda não indica nenhuma tendência definida, faltando a observação de novos dados para consolidar a desaceleração conjunta com a atividade global. Embora a confiança de empresários tenha aumentado em diferentes segmentos, indicadores que medem o fluxo de pedidos continuam regredindo.

Natura (NATU3)

Dentre os ativos acompanhados, a Natura (NATU3) é uma das empresas que possui alta exposição na Europa. Ela atua no continente com presença no varejo através da Aesop e da The Body Shop (TBS). A primeira possui 56 lojas exclusivas, 11 subsidiárias e 22 lojas de departamentos na região, com uma contribuição de 21% no total de vendas globais. O planejamento da empresa prevê um crescimento baseado na presença digital através de canais próprios e relacionamentos com distribuidores. A TBS busca uma nova gestão estratégica para fazer um turnaround em mercados-chave, mais precisamente na Alemanha e na Suécia. Em conjunto com o Oriente Médio e a África, a Europa corresponde a quase 50% das vendas da The Body Shop.

Além de influenciar os resultados de empresas brasileiras e as exportações de produtos nacionais, a situação econômica dos países comentados também pode afetar os mercados de câmbio e juros, embora não tenham ocorrido variações significativas nas últimas semanas.

Fontes: Markit Economics, National Bureau of Statistics of China, Federal Open Market Committee e RIs das companhias (Weg, Cosan, Klabin e Natura).

Receba as Melhores Recomendações de Investimentos

Quer receber as melhores análises e recomendações de investimentos do mercado? Conheça nossos Produtos, clicando aqui.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Maiores ROEs da Bolsa

Maiores ROEs da Bolsa

Maiores ROEs da Bolsa

Com a Selic em 6,5%, é natural que os investidores procurem por alternativas de investimentos mais rentáveis. Não queremos comparar a Renda Fixa com investimentos de Renda Variável (como ações, por exemplo), mas mostrar que juros em baixa deixam o investimento em ações de boas empresas ainda mais atrativo. Um dos indicadores mais conhecidos pelo mercado, para mostrar a rentabilidade de uma empresa, é o ROE (abreviatura para o termo em inglês Return on Equity), que significa Retorno sobre o Patrimônio. Por isso hoje, vamos ver o que significa Retorno Sobre o Patrimônio Líquido, e conhecer os maiores ROEs da Bolsa brasileira.

O que é ROE?

Podemos dizer que o ROE informa quanto de lucro uma empresa consegue gerar, proporcionalmente, com o capital próprio empregado, ou seja, com a parte residual pertencente aos acionistas. Considerando isso, podemos dizer que o ROE é um indicador de eficiência de gestão, pois acaba mostrando se a empresa está “aplicando bem” o dinheiro dos acionistas.

O ROE é expresso como uma porcentagem, e é calculado da seguinte maneira:

ROE = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido

Como podemos analisar o ROE?

Como todos os indicadores econômicos e financeiros, o ROE não deve ser utilizado de maneira isolada, sendo que uma empresa endividada pode ter um ROE alto, por exemplo. Porém, considerando apenas a análise do ROE, é interessante que ele seja maior do que o custo de oportunidade em outros investimentos mais seguros. Hoje, um Título Público atrelado à Selic paga em torno de 6,40% ao ano.

Nesse caso, uma empresa com ROE de 20% seria considerada uma boa alternativa de investimento, a não ser que o risco do negócio fosse muito elevado e exigisse retorno acima da média.

Abaixo, separamos 10 empresas (algumas delas entre nossas recomendações) que consideramos boas ”geradoras de ROE” para seus acionistas. Confira:

Empresa / Ação

ROE

ECORODOVIAS ON NM – ECOR3 54,74%
BRASKEM ON N1 – BRKM3 53,01%
BBSEGURIDADE ON NM – BBSE3 36,81%
UNIPAR ON – UNIP3 35,67%
ENGIE BRASIL ON NM – EGIE3 34,12%
PORTOBELLO ON NM – PTBL3 33,49%
ODONTOPREV ON NM – ODPV3 31,93%
CRISTAL ON – CRPG3 29,67%
IRBBRASIL RE ON NM – IRBR3 29,11%
TEGMA ON NM – TGMA3 28,42%

Vídeo explicativo

Quer receber as melhores análises e recomendações para a montagem de uma carteira de ações de longo prazo?

Esse conteúdo é um resumo do Relatório de Análise Setorial de Ações. O relatório completo é publicado, periodicamente, no nosso plano INVISTA EM AÇÕES.

Sobre o Invista em Ações

Conheça nosso produto INVISTA EM AÇÕES e tenha acesso a atualizações de 3 Carteiras Recomendadas com diferentes perfis: Carteira Dividendos, Carteira Crescimento e Carteira Top Recomendadas. Receba ainda, análises e recomendações das melhores ações da Bolsa de Valores.

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor. InfoMoney. Quantum. Estadão. Broadcast. Folha. Exame. B3. MoneyTimes.

Importante: Leia o nosso Disclosure, antes de investir.

MALL11 – Malls Brasil Plural

MALL11

MALL11 – Malls Brasil Plural

O fundo imobiliário em destaque de hoje é o MALL11 – Malls Brasil Plural. Abaixo seguem informações a respeito do fundo e o vídeo explicativo.

Principais informações

Gestora: BRPP Gestão de Produtos Estruturados Ltda. (Empresa do Grupo Brasil Plural)

Administrador: Geração Futuro Corretora de Valores

Com início em dezembro de 2017, o Fundo Malls Brasil Plural possui a participação de 54,2% no Maceió Shopping, com gestão ativa

Foco e atuação: Tijolo/Shoppings

Público alvo: investidores no geral

Código de negociação: MALL11

P/VPA: 0,93

Valor de mercado: R$200 milhões

Taxa de administração: 0,5% ao ano

Número de cotistas: 12.353

Participação no IFIX: 0,75%

O Maceió Shopping

Com 30 anos de atividade e situado na parte central da capital alagoana, o Maceió Shopping foi o primeiro shopping da capital alagoana. Atualmente conta com mais de 200 lojas e outros estabelecimentos, oferecendo produtos e serviços que recebem mensalmente um público de mais de um milhão de pessoas.

Destaques

Histórico de baixa vacância:

Além disso, em dezembro/18 foi realizada a reavaliação anual do Maceió Shopping. Essa reavaliação foi  feita pela consultoria Cushman & Wakefield. O resultado foi uma variação positiva de aproximadamente 20,7% no valor do empreendimento – quando comparado ao valor contabilizado até então.

Proventos

Último rendimento (14/02): R$0,74

Yield último rendimento (cota a R$107,90): 0,68%

Rendimento médio últimos 12 meses: R$0,62

Yield 12 meses: 7,02%

Gráfico de Retorno

Vídeo Explicativo

Quer investir nos melhores Fundos de Investimentos?

Adquira o TOP FUNDOS e tenha acesso às melhores análises e recomendações, do produto mais completo do mercado. Saiba mais, clicando aqui.

Invista em Fundos e diversifique seus investimentos

O investimento em Fundos é uma das formas mais inteligentes de se investir. Além da possibilidade de diversificação de carteira, aplicando em diferentes Fundos (com diferentes estratégias), você pode ter o seu dinheiro gerido pelos melhores gestores do Brasil e do mundo.

Adquira o nosso Produto TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS e receba as melhores recomendações e análises dos principais Fundos de Investimentos do mercado. Além disso, tenha acesso às nossas Carteiras Recomendadas de Fundos.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

HGCR11 – CSHG Recebíveis Imobiliários

HGCR11 – CSHG Recebíveis Imobiliários

O fundo imobiliário em destaque de hoje é o HGCR11 – CSHG Recebíveis Imobiliários. Abaixo seguem informações a respeito do fundo e o vídeo explicativo.

A Gestora

O Credit Suisse possui uma estrutura de gerenciamento de riscos adequada ao seu porte e à complexidade de suas operações, o que permite o acompanhamento, monitoramento e controle dos riscos aos quais está exposto. Além disso, os comitês de risco da companhia se reúnem periodicamente para acompanhar, discutir e avaliar os riscos tomados pela instituição. Os testes e a avaliação da estrutura são realizados pelo menos uma vez por ano.

A área de investimentos imobiliários da Credit Suisse Hedging-Griffo iniciou suas operações em 2003, com o objetivo de prover aos clientes alternativas de investimentos no mercado imobiliário por meio de estruturas e instrumentos sofisticados do mercado de capitais. Atualmente, a CSHG possui produtos imobiliários voltados para os segmentos comercial (escritórios e imóveis corporativos), varejo (shopping centers), logístico e industrial e recebíveis imobiliários.

O Fundo

O Fundo tem como objetivo auferir rendimentos pelo investimento em empreendimentos imobiliários por meio da aquisição, preponderantemente, de Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRI”). O HGCR11 é o clássico ”Fundo de Papel”.

Atualmente a carteira do Fundo está dividida da seguinte forma:

Outras Informações

Foco e atuação: Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs)

Público alvo: investidores no geral

Código de negociação: HGCR11

Administrador: Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.

Gestor: Credit Suisse Hedging-Griffo Asset Management

Taxa de administração: 0,8% ao ano sobre o valor de mercado das cotas do Fundo

Taxa de performance: 20% sobre o que exceder 110% da taxa média de captação em CDI

Vídeo explicativo

Quer investir nos melhores Fundos de Investimentos?

Adquira o TOP FUNDOS e tenha acesso às melhores análises e recomendações, do produto mais completo do mercado. Saiba mais, clicando aqui.

Invista em Fundos e diversifique seus investimentos

O investimento em Fundos é uma das formas mais inteligentes de se investir. Além da possibilidade de diversificação de carteira, aplicando em diferentes Fundos (com diferentes estratégias), você pode ter o seu dinheiro gerido pelos melhores gestores do Brasil e do mundo.

Adquira o nosso Produto TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS e receba as melhores recomendações e análises dos principais Fundos de Investimentos do mercado. Além disso, tenha acesso às nossas Carteiras Recomendadas de Fundos.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Receba nossos relatórios Grátis