Panorama do Mercado de Fundos de Investimentos

Panorama do Mercado

Em abril, os fundos de investimento apresentaram retirada líquida de R$ 20,1 bilhões – o pior resultado desde junho de 2018, quando ocorreu a greve dos caminhoneiros. No acumulado do ano, a indústria ainda mantém captação líquida de R$ 31,8 bilhões. Das oito classes analisadas, apenas quatro finalizaram o período com saldo positivo. Destaque para a classe de ações, que registrou captação de R$ 1,7 bilhão, fechando os primeiros quatro meses com saldo positivo de R$ 13,9 bilhões. Os previdenciários absorveram R$ 1,2 bilhão, com R$ 11,5 bilhões no ano. Os produtos de renda fixa apresentaram saldo negativo de R$ 8,9 bilhões, com retirada líquida de R$ 6,8 bilhões até abril. Multimercados perderam R$ 8,9 bilhões no mês, mas continuam com saldo positivo de R$ 4,7 bilhões em 2018.

O pior desempenho observado foi do Renda Fixa Duração Baixa Grau de Investimento, com saída líquida de R$ 5,3 bilhões no mês. A maior captação dentro da classe ocorreu mais uma vez no Renda Fixa Duração Livre Crédito Livre, com R$ 5,2 bilhões. O grupo de renda fixa continua com variação negativa de R$ 14,8 bilhões nos últimos doze meses, muito em função do baixo patamar dos juros e da troca por investimentos mais arriscados. Mas, ainda continua com o maior patrimônio do mercado, com fatia de 43,4% do total.

Multimercados Macro e Livre apresentaram captação líquida negativa de R$ 1,1 bilhão e R$ 2,1 bilhões, respectivamente. Apenas Multimercados Long and Short Direcional e Balanceados registraram números positivos dentro da classe, com entradas de R$ 329,2 milhões e R$ 7,6 milhões. No acumulado de doze meses, a classe de multimercados tem entrada líquida de R$ 10,9 bilhões, a terceira maior de toda indústria. Nesse período, o tipo Macro lidera com absorção de R$ 13,7 bilhões, seguido do Estratégia Específica, com R$ 6,4 bilhões. Fundos multimercados têm o segundo maior patrimônio do mercado, representando 21,1% do total.

Pelo sétimo mês seguido, a classe de ações registrou captação líquida positiva. Destaque para o tipo Ações Livre, com absorção de R$ 1,3 bilhão. Nos últimos doze meses, os produtos com alta exposição em bolsa captaram R$ 22,3 bilhões, a segunda maior de toda indústria. Representa 7,0% do patrimônio geral.

Nos produtos de previdência, a captação líquida de abril correspondeu a décima variação positiva consecutiva. O tipo Previdência Multimercado foi o grande responsável, com absorção de R$ 682,8 milhões. A classe apresentou entrada líquida de R$ 28,7 bilhões nos últimos doze meses, a maior de toda a indústria. O patrimônio líquido é o terceiro maior, com proporção de 17,5% do total.

Nos principais tipos de produtos, o melhor desempenho do mês foi do Ações Investimento no Exterior, com variação positiva de 2,61%. Outros destaques foram o Ações Small Caps (1,84%), Ações Dividendos (1,73%), Ações Valor e Crescimento (1,46%), Renda Fixa Duração Alta Soberano (1,38%), Previdência Ações (1,38%) e Renda Fixa Duração Alta Grau de Investimento (1,32%).

Os produtos com alta exposição em bolsa de valores apresentaram retomada após dois meses seguidos de perdas, sendo que o Ibovespa subiu 0,98% em abril. Além dos já mencionados, os tipos Ações Livre (1,25%), Ações Setoriais (1,21%) e Ações Indexados (1,02%) também entregaram retorno superior ao benchmark.

Nos multimercados, destaque para Capital Protegido (1,29%), Estratégia Específica (1,19%), Balanceados (0,99%) e Trading (0,80%). O IHFA (Índice de Hedge Funds Anbima), que mede a evolução de uma carteira hipotética de fundos da classe, registrou variação positiva de 0,52%.

Todos os tipos de renda fixa apresentaram rendimento positivo em abril. Além dos tipos supramencionados, destaque para o Renda Fixa Indexados (0,95%), Renda Fixa Duração Livre Soberano (0,80%) e Renda Fixa Dívida Externa (0,80%). O CDI variou 0,52%.

Fonte: Anbima

Quer investir nos melhores Fundos de Investimentos?

Para receber as melhores análises e recomendações para a montagem da sua carteira de Fundos de Investimentos, receba nosso informativo semanal em TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS. Nele você tem acesso a nossa Carteira Exclusiva. Conheça os melhores gestores do Brasil e do Mundo, e saiba como investir nos mais rentáveis Fundos de Renda Fixa, Fundos de Previdência, Fundos Internacionais, Fundos Multimercados, Fundos de Ações e Fundos Imobiliários.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Destaques da Semana – Capitalizo

Destaques da Semana

Destaques da Semana – Capitalizo

Confira os destaques das nossas publicações no que selecionamos para você. 

Como escolher ações para o longo prazo

Confira o primeiro vídeo da nossa nova serie: Como escolher ações para o longo prazo. Semanalmente traremos dicas e macetes importantes que são utilizados pela nossa equipe de análise e que pode ajudar você na escolha das ações para o longo prazo. O primeiro tema é Crescimento.

Indicadores de Mercado (Variação em %)

Taxa/Valor mai/19 abr/19 2019 (%)
Selic (efetiva) 6,40% ao ano 0,25 0,52 2,29
CDI 6,40% ao ano 0,25 0,52 2,29
Poupança 0,37 0,37 1,87
Ibovespa 91623,44 -4,91 0,98 4,25
IFIX 2491,04 -0,69 1,03 5,93
Dólar Comercial R$3,99 1,93 0,16 3,16
Euro Comercial R$4,47 1,8 0,14 1,03
Ouro (B3)  R$166,00 2,47 0,93 4,93
IPCA 0,57 2,09
IGP-M 0,92 3,1

Bolsa de Valores – Fechamento do Pregão

Confira a análise dos principais ativos da Bolsa, na visão de Danillo Fratta (CNPI-T EM-1795), e os resultados das principais recomendações do nosso produto Full Trader:

Mais destaques

Não deixe de conferir os principais destaques em conteúdo grátis dessa semana, além do VC Investidor – parceiro da Capitalizo na educação financeira.

Relatório – Resultados das Recomendações Full Trader

Relatório – Fundos Imobiliários em Destaque

Relatório/vídeo – Ações para ficar de olho essa semana

Vídeo – Simulador de Renda com Fundos Imobiliários

Vídeo – BRFS3 – Vale a pena investir nas ações da BRF?

Vídeo – LREN3 – Lojas Renner é a melhor empresa da Bolsa?

Vídeo – MGLU3 – Magazine Luiza é a nova Amazon?

Vídeo – Aviso Importante: Mudança na liquidação das operações em Bolsa

Quer receber nosso conteúdo gratuito no WhatsApp?

Conheça o WhatsApp da Capitalizo, receba o melhor conteúdo gratuito do mercado e tire suas dúvidas com a nossa equipe. E, para receber recomendações de investimentos conheça nossos produtos.

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Fonte: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão/Broadcast, Folha, Exame, B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Brasil: panorama econômico

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do país, constituindo-se em um parâmetro preliminar da evolução da atividade econômica brasileira. De acordo com o relatório divulgado no final de abril, o Brasil está economicamente em um ritmo fraco, o que amplia a expectativa de contração do PIB no primeiro trimestres, entretanto no acumulado de doze meses o cenário seja de crescimento.

No setor de produção industrial ocorreu uma recuperação com avanço de 0,7%, mas no acumulado de doze meses, deve ocorrer uma desaceleração no setor. Damos destaque também aos bens de capital, com variação positiva de 4,6% na produção física, e bens de consumo duráveis com acréscimo de 3,7%. Já os bens intermediários tiverem uma queda de 0,8%, devido as indústrias extrativas.

De acordo com dados do IBGE, o ramo de veículos teve resultado positivo de 6,7%, assim como coque e produtos derivados do petróleo em 4,3%, além de produtos alimentícios 3,2%.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) variou 0,75%, fazendo o acumulado de doze meses sair de 3,98% para 4,58%. Esse resultado é consequência do impacto no ramo de alimentos e bebidas (1,37%), e transporte (1,44%), pois os dois grupos representam 43% das despesas familiares. No caso da alimentação e bebida houve um aumento relevante nos preços dos alimentos para o consumo (tomate, batata inglesa, feijão e frutas), e na gasolina para o transporte.

No caso das indústrias, o setor extrativo sofreu queda de -14,8%, em especial com o minério de ferro, em consequência do rompimento da barragem de Brumadinho. Também sofreram queda os produtos de fumo -8,5%, vestuário e acessórios -4,8%, e móveis -4,1%.

A conjuntura econômica atual está freando o setor varejista, em razão das altas taxas de desemprego e baixos rendimentos, mas ainda assim no setor de varejo houve variação positiva de 9,9%. De acordo com o IBGE, tivemos alta em alguns setores como tecidos, vestuário e calçados. Já combustíveis e lubrificantes sofreram queda.

Em março foram fechados mais de 43 mil postos de trabalho no Brasil, devido ao fraco desempenho do comércio, fechando cerca de 29 mil vagas. A econômica brasileira segue em recuperação gradual, porém abaixo do ritmo que era esperado pelos investidores. A indústria apresenta capacidade ociosa ainda elevada, e a taxa de desemprego permanece alta.

O nível de endividamento das famílias aumentou nos últimos meses. A inflação continua controlada, mas acelerando no acumulado de doze meses, e a taxa Selic ainda 6,5% ao ano. A expectativa é que o índice de preços chegue ao final do próximo ano no centro da meta do Banco Central e a taxa de juros não mude.

Com a economia fraca, é possível mais um ano de estagnação. O setor industrial, em especial o segmento automotivo, está sofrendo com os impactos negativos da crise na Argentina. E, as oscilações no governo apenas agravam a instabilidade política, o que reduz as expectativas do investidor.

No mercado de ações a volatilidade continuará a curto prazo, mas como fatores determinantes temos a desaceleração da economia global e as tensões comercias entre grandes potências, como Estados Unidos e China.

Seguimos atentos e de olho nas oportunidades.

Quer receber nosso conteúdo gratuito no WhatsApp?

Conheça o WhatsApp da Capitalizo, receba o melhor conteúdo gratuito do mercado e tire suas dúvidas com a nossa equipe. E, para receber recomendações de investimentos conheça nossos produtos.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Fonte: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão, Broadcast, Folha, Exame. B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Destaque da semana: Fundos Imobiliários

Fundos Imobiliários em destaque

Confira os Fundos Imobiliários em destaque nessa semana, a variação do IFIX e a agenda de proventos.

IFIX

O IFIX é um índice de retorno total de Fundos Imobiliários, sendo formado por uma carteira teórica. O seu objetivo principal é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos produtos deste setor negociados nos mercados de bolsa e de balcão organizado da B3. O rendimento foi de 19,41% em 2017, e de 5,62% em 2018.  Em 2019, o IFIX sobe 5,97%.

maio/19 abr/19 mar/19 fev/19 jan/19
IFIX -0,66% +1,03% +1,99% +1,03% +2,47%

Gráfico IFIX

Retorno dos últimos meses (em %)

Fatos Relevantes

PÁTRIA EDIFÍCIOS CORPORATIVOS FII – PATC11

administrado pela Modal DTVM e sob gestão da Pátria, publicou Comunicado ao Mercado informando a aquisição de dois andares do Edifício Sky Corporate, localizado na Rua Gomes de Carvalho, 1996, Vila Olímpia, São Paulo/SP. A compra será realizada por um valor bruto total de R$ 50,6 milhões. O fundo também informou que o aluguel oriundo deste imóvel resultará em um incremento de R$ 0,07 por cota.

CSHG LOGÍSTICA FII – HGLG11

administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora, publicou Fato Relevante informando a aquisição de imóvel logístico localizado em Guarulhos/SP. A compra será realizada pelo valor bruto total de R$ 47,5 milhões. A aquisição representa um incremento de 18.276m² na Área Bruta Locável do fundo.

MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII – MFII11

administrado pela Planner Corretora e sob gestão da Mérito Investimentos, publicou Comunicado ao Mercado informando a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 5ª emissão do fundo em regime de esforços restritos e destinadas a investidores profissionais. Serão emitidas até 500 mil cotas com o valor unitário de R$ 107, perfazendo o montante total de até R$ 53,5 milhões e com valor mínimo de R$ 1,1 milhões. Cada investidor deverá subscrever o mínimo de 1 mil cotas, totalizando valor mínimo de subscrição por investidor de R$ 107 mil. O período de exercício do direito de preferência está programado para ocorrer entre 10/05/2019 e 23/05/2019, enquanto o início da distribuição das cotas ao mercado está programado para 03/05/2019 e o fim para 27/10/2019.

CSHG RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS FII – HGCR11

Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora, emitiu comunicado informando a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 5ª emissão do fundo em regime de melhores esforços e destinadas a investidores profissionais. Serão emitidas até 1,5 milhões de cotas com o valor unitário de R$ 104,17, perfazendo o montante total de até R$ 158 milhões e com valor mínimo de R$ 30 milhões. O coordenador líder da emissão será o Credit Suisse.

CSHG LOGÍSTICA FII – HGLG11

Os cotistas do Fundo, administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora, aprovaram em Assembleia Geral a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 5ª emissão do fundo. Serão emitidas até 5,1 milhões de cotas com o valor unitário de R$ 137,47, perfazendo o montante total de até R$ 700 milhões e com valor mínimo de R$ 100 milhões.

MOGNO FII – MGFF11

Administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros e sob gestão da Mogno Capital, emitiu comunicado informando a Oferta Pública de Distribuição de Cotas da 2ª emissão do fundo em regime de melhores esforços e destinadas a investidores em geral. Serão emitidas até 1,3 milhões de cotas com o valor unitário de R$ 94, perfazendo o montante total de até R$ 120 milhões e com valor mínimo de R$ 40 milhões. O valor mínimo de subscrição por investidor é R$ 3,008 mil. O coordenador líder da emissão será a Genial Investimentos.

Proventos

Nome Valor Crédito
ANHANGUERA EDUCACIONAL FII – FAED11 R$ 1,52 15/05/2019
BM BRASCAN LAJES CORPORATIVAS FII – BMLC11B R$ 0,38 15/05/2019
BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND FII – BRCR11 R$ 0,43 15/05/2019
BTG PACTUAL FUNDO DE CRI FII – FEXC11 R$ 0,83 15/05/2019
BTG PACTUAL FUNDO DE FUNDOS FII – BCFF11 R$ 0,53 15/05/2019
CEO CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES FII – CEOC11 R$ 0,55 15/05/2019
CONTINENTAL SQUARE FARIA LIMA FII – FLMA11 R$ 0,01 15/05/2019
CYRELA THERA CORPORATE FII – THRA11 R$ 0,59 15/05/2019
IRIDIUM RECEBÍVEIS FII – IRDM11 R$ 0,79 17/05/2019
MAC FII – DMAC11 R$ 6,07 15/05/2019
MAX RETAIL FII – MAXR11 R$ 12,38 15/05/2019
MERCANTIL DO BRASIL FII – MBRF11 R$ 8,50 15/05/2019
MOGNO FII – MGFF11 R$ 0,90 17/05/2019
MULTIGESTÃO RENDA COMERCIAL FII – DRIT11B R$ 0,64 15/05/2019
NCH BRASIL RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS FII – NCHB11 R$ 1,91 15/05/2019
PEDRA NEGRA RENDA IMOBILIÁRIA FII – FPNG11 R$ 0,91 15/05/2019
RBR ALPHA FUNDO DE FUNDOS FII – RBRF11 R$ 1,00 17/05/2019
RBR PRIVATE CREDITO IMOBILIARIO FII – RBRY11 R$ 0,69 17/05/2019
RBR RENDIMENTO HIGH GRADE FII – RBRR11 R$ 0,55 17/05/2019
RIO BRAVO RENDA CORPORATIVA FII – FFCI11 R$ 0,50 15/05/2019
SÃO FERNANDO FII – SFND11 R$ 0,83 15/05/2019
SCP FII – SCPF11 R$ 0,04 15/05/2019
SHOPPING JARDIM SUL FII – JRDM11 R$ 0,45 15/05/2019
SHOPPING PÁTIO HIGIENÓPOLIS FII – SHPH11 R$ 3,60 15/05/2019
THE ONE FII – ONEF11 R$ 0,72 15/05/2019
UBS RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS FII – UBSR11 R$ 0,78 22/05/2019

___

O investimento em Fundos Imobiliários é uma das formas mais inteligentes de se investir em imóveis. Além do fato dos rendimentos mensais serem isentos de Imposto de Renda, é possível que você invista nos principais empreendimentos (logísticos, corporativos, shoppings, entre outros) e títulos de renda fixa (atrelados ao mercado imobiliário) do Brasil.

Para receber as melhores análises e recomendações para a montagem da sua carteira de Fundos Imobiliários, receba nosso informativo semanal em TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS. Nele você tem acesso a nossa Carteira Exclusiva de Fundos Imobiliários. Conheça os melhores gestores do Brasil e do Mundo, e saiba como investir nos mais rentáveis Fundos de Renda Fixa, Fundos de Previdência, Fundos Internacionais, Fundos Multimercados, Fundos de Ações e Fundos Imobiliários.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Fonte: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão, Broadcast, Folha, Exame. B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Ações para ficar de olho esta semana

Ações para ficar de olho essa semana

Confira os destaques dos últimos dias e as ações para ficar de olho essa semana, 06-10 de maio de 2019.

O mercado

IBOVESPA

O IBOVESPA fechou a semana com baixa de 1,82% a 94.257 pontos. No ano, o índice acumula alta de 7,25%.

Destaques de alta e baixa

Baixa: BRKM5 (-13,10%), PCAR4 (-12,22%), BTOW3 (-11,33%), MRFG3 (-10,41%), SMLS3 (-7,77%)

Alta: MRVE3 (+7,81%), ESTC3 (+7,7%), GOLL4 (+7,64%), KROT3 (+6,99%), NATU3 (+6%)

Calendário de proventos

Pagamento de proventos (JCP/Dividendos)

13/05: JSLG

14/05: TAEE

15/05: BRAP, SEER

16/05: CCRO, ODPV

Ex-proventos (JCP/Dividendos)

17/05: HGTX

Agenda de Resultados

13/05: BKBR, TRIS, CSAN, PTBL, ITSA, AALR, ANIM, ELET

14/05: TUPY, UNIP, LOGN, RSID, BRAP, JBSS, HBOR, CPLE, BRSR, EQTL, STBP

15/05: EUCA, UGPA, FESA, PRIO, JSLG, LEVE, OIBR, KROT, EZTC, LLIS, EMBR, SQIA

16/05: ALUP

Destaques corporativos e do mercado

Destaques econômicos/políticos

No campo internacional, o destaque segue sendo a disputa comercial entre EUA e China. Após o presidente americano Donald Trump anunciar o aumento da tarifa de importação de 10% para 25% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses (válido desde a última sexta), é possível tanto que os dois países entrem em acordo, quanto novas tarifas sejam anunciadas.

Na última semana o Copom, como esperado, manteve a Taxa Selic em 6,5% ao ano – lembrando que a ata da reunião será divulgada na próxima terça-feira (14/05).

Por aqui ainda tivemos a divulgação do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), usado no reajuste dos contratos de aluguel. O índice registrou taxa de inflação de 0,58% na primeira prévia de maio, abaixo do registrado na primeira prévia de abril (0,62%). O indicador acumula alta de 3,7% no ano e de 7,79% nos últimos 12 meses.

Já o IPCA, inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,57% em abril, segundo o IBGE. O índice foi puxado pelos gastos com saúde e cuidados pessoais (1,51%), transportes (0,94%) e alimentação (0,63%)

O IPCA acumula taxas de 2,09% em 2019 (a maior para o período desde 2016) e de 4,94% nos últimos 12 meses.

Destaques corporativos

Petrobras (PETR4): lucro apresenta queda de 42%

O lucro líquido da empresa chegou a R$ 4 bilhões no primeiro trimestre de 2019. Esse valor representa uma queda de 42% em relação ao mesmo período de 2018.

A receita de vendas totalizou R$ 80 bilhões, alta de 7% em relação ao ano passado.

“Adicionalmente, a valorização dos preços do gás natural e o preço de realização de energia elétrica contribuíram para o aumento de R$ 2,5 bilhões na receita do segmento de gás e energia”, explicou a empresa no seu release.

Além disso, a Petrobras irá pagar R$ 1,3 bilhão em juros sobre o capital próprio, equivalente a R$ 0,10 por ação ordinária e preferencial em circulação. Segundo a nota, o pagamento será realizado em 05 de julho de 2019.

Alta do trigo impacta resultados da M. Dias Branco (MDIA3) 

Comparando com números do primeiro trimestre de 2018, a M. Dias Branco (MDIA) encerrou o primeiro trimestre de 2019 com queda de 59,3% no lucro líquido, atingindo R$56,9 milhões. Por outro lado, receita subiu 8,2%, atingindo R$ 1,3 bilhão.

A empresa, como já era esperado, foi afetada pela forte alta no preço do trigo.

Sanepar (SAPR11) apresenta bom resultado trimestral

O lucro líquido da Sanepar (SAPR) atingiu R$ 217,5 milhões, mostrando um crescimento de 16,4% na comparação com mesmo período de 2018. A empresa apresentou ainda alta de 9,9% na receita líquida, chegando a R$1,09 bilhão.

A empresa informou ainda,  que o número de ligações de água teve alta de 1,6% em relação ao mesmo período de 2018. Já o número de ligações de esgoto aumentou 4,7%.

Bradesco (BBDC4) informa aquisição do BAC Florida Bank

O Bradesco anunciou a aquisição do BAC Florida Bank por US$500 milhões. A aquisição tem o objetivo de expandir o portfólio de serviços para pessoas físicas de alta renda, bem como para clientes corporativos no Brasil e nos EUA.

O BAC Florida Bank tem mais de 45 anos e mais de 10.000 clientes. O banco fornece crédito imobiliário, serviços de gestão de patrimônio, crédito para empresas e Digital Banking. O Bradesco manterá as operações atuais da BAC na Flórida e também expandirá seus negócios para clientes locais e latino-americanos.

BB Seguridade (BBSE3): resultados fortes

A empresa reportou lucro líquido com crescimento de 11,7% na comparação com o 1T18, muito em função da evolução de 60,8% no resultado financeiro combinado das empresas do grupo. Destaque positivo para a variação positiva de 8,9% nos prêmios emitidos, impulsionado por seguros  prestamista e habitacional. Em contrapartida, o resultado operacional não decorrente de juros caiu 0,8%, com impacto do aumento na sinistralidade na Brasilseg.

Ambev (ABEV3): resultados apresentam alta no volume de vendas

A empresa registrou incremento de 13,7% na receita líquida em relação ao 1T18, com acréscimo de 5,7% no volume de vendas e de 7,5% na receita por hectolitro. O Ebitda evoluiu 7,0%, impulsionado por quase todas as unidades de negócio, com exceção da América Latina Sul. Destaque positivo para América Central e Caribe. Com elevação no preço de insumos, houve perda de 0,6 p.p. na margem Ebitda. A posição de caixa líquido subiu para R$ 7,8 bilhões, mantendo a situação financeira confortável.

Panorama da semana

Confira o vídeo dessa semana:

 

Conheça o INVISTA EM AÇÕES para receber as melhores análises e recomendações para montagem de uma carteira de ações de longo prazo. Tenha acesso a atualizações de 3 Carteiras Recomendadas com diferentes perfis: Carteira Dividendos, Carteira Crescimento e Carteira Top Recomendadas. Receba, ainda, análises e recomendações das melhores ações da Bolsa de Valores.

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER. O produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Nele você recebe as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Fonte: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão, Broadcast, Folha, Exame. B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Resultados das Recomendações Full Trader

Resultados das Recomendações

Segue atualização de Resultados das Recomendações de 12 meses do nosso produto Full Trader. O estudo leva em conta somente as recomendações encerradas.

Day Trade em Índice Futuro:

Total acumulado (soma de pontos) em 12 meses:  + 28.170 pontos

Percentual de recomendações com ganho: 57,77%

Day Trade em Dólar

Total acumulado (soma de pontos) em 12 meses: + 825 pontos

Percentual de recomendações com ganho: 58,20%

Day Trade em Ações

Total acumulado (soma percentual) em 12 meses: + 191,18%

Percentual de recomendações com ganho: 51,43%

Swing Trade em Ações*

Total acumulado (soma percentual) em 12 meses: + 28,40%

Percentual de recomendações com ganho: 45,77%

Rastreador de Tendências em Ações*

Total acumulado (soma percentual) em 12 meses: + 351,74%

Percentual de recomendações com ganho: 48,68%

Long&Short*

Total acumulado (soma percentual) em 12 meses: + 6,19%

Percentual de recomendações com ganho: 48,84%

___

Caso você queira receber análises e recomendações de médio e curto prazos, conheça o FULL TRADER. O produto mais completo de recomendações de operações em Bolsa de médio e curto prazos. Nele você recebe as melhores recomendações nos mais diferentes mercados e estratégias: Day Trade, Swing Trade e Position Trade em Ações, Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo, Milho e S&P Futuro.

___

Importante

Vale ressaltar que cliente Capitalizo tem acesso ao histórico de todas as recomendações através do nosso portal. Os dados acima estão atualizados até o dia 10/05/2019, e levam em conta as operações já finalizadas nos últimos 12 meses.

*Esses números refletem a soma dos resultados percentuais.

As rentabilidades dos instrumentos financeiros podem apresentar variações em seu preço ou valor. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos e taxas. O analista se exime da responsabilidade de qualquer prejuízo, direto ou indireto, que venham a ocorrer da utilização deste relatório ou conteúdo. Os descritivos das recomendações feitas, objeto de minuciosas análises de ativos para investimento, foram periodicamente publicados e estão devidamente registrados junto ao órgão regulador Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais). O investimento em ações é indicado para investidores com o perfil moderado e agressivo. Operações alavancadas em ações, em mercados de derivativos e opções podem gerar perdas superiores ao patrimônio do investidor. Pedimos atenção e cuidado com as operações alavancadas em ações (termo, aluguel, long&short, day-trade), opções e mercados futuros (Índice, Dólar, Boi Gordo, Milho, etc).

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos

Construção Civil em freio?

No final de abril foi lançado um relatório sobre a situação da indústria de construção civil, e sentimos em dizer que está desaquecida. Aparentemente os empresários perderam a confiança no setor e o nível de atividade regrediu em comparação com o final de 2018. Em consequência a esses fatores, as intenções de investimentos no setor podem ser menor que o previsto no curto prazo, mas depende ainda do andamento de projetos econômicos no Congresso Nacional.

Em contrapartida, um ponto positivo tem sido o aumento na utilização da capacidade operacional e na melhora dos índices relacionados ao nível corrente de atividade e emprego. Com a recuperação econômica, as incorporadoras de médio porte estão preenchendo o espaço deixado por grandes empresas impactadas pela crise. Muitos players relevantes no cenário nacional entraram na recessão altamente alavancados e como consequência enfrentaram problemas financeiros. Outro fator relevante foi a Operação Lava Jato.

Mas, ainda temos onde investir. Entre as nossas recomendações no setor de construção civil está a Tenda, com um retorno de quase 170% nos últimos dois anos.

Gráfico de retorno da Tenda: rentabilidade em torno de quase 170% de valorização desde maio de 2017

Se você quiser entender melhor onde aplicar nesse setor, você pode ter acesso às nossas recomendações. Clique aqui!

Receba nossos relatórios Grátis