Relatório Grátis: resultados das empresas e impactos do coronavírus

Os resultados empresariais do terceiro trimestre de 2020 (3T20) começaram a ser divulgados. Como prometido na liberação da agenda de resultados, o time de analistas da Capitalizo estão disponibilizando este relatório com informações e pequenas análises das principais empresas da B3.

Além disso, será feita uma programação especial com conteúdos gratuitos e a atualização das carteiras e relatórios exclusivos dos nossos clientes. Sabemos que os resultados desse trimestres serão fortemente impactado pela crise do COVID-19. Por isso, torna-se essencial um acompanhamento dessas empresas, especialmente para quem investe no longo prazo.

Na Capitalizo, o investidor consegue acompanhar os nossos relatórios e análises, possibilitando um maior conhecimento sobre os negócios e os cenários econômicos das empresas – através de indicadores essenciais. Assim, você investe mais tranquilo e aproveita as oportunidades que aparecem em momentos de turbulência.

Agora, baixe nosso relatório dos resultados do 3T20, este documento será atualizado conforme as empresas liberam suas informações. Não se preocupe, vamos enviar o documento atualizado para seu e-mail cadastrado no momento do download, assim você não perder nada!

Quer receber as melhores recomendações de ações para montar sua carteira de longo prazo?

Conheça o Invista em Ações. O guia que vai te ajudar a construir e diversificar seu patrimônio. Receba análises e recomendações para a montagem da sua carteira de ações e conheça os ativos que podem trazer altos retornos em longo prazo. Acompanhe a nossa recomendação de diferentes Carteiras e invista com o suporte e acompanhamento da melhor equipe de analistas do mercado.

Acesse agora nossas recomendações de diferentes Carteiras 

Carteira Dividendos

Carteira Crescimento

Carteira Top Recomendadas

Carteira Small Mid Caps

Carteira Buy & Hold Raíz

Carteira de Ações Internacionais

Recomendações de Fundos de Ações

Atendimento Exclusivo Capitalizo

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

BDRs: Descubra 5 ótimas empresas pagadoras de dividendos nos EUA!

Você sabia que, além das ações brasileiras, é possível montar uma boa estratégia de investimento em BDRs de empresas pagadoras de dividendos nos EUA?

Sempre é importante explicar que os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) são certificados emitidos por instituições depositárias no Brasil, mas tendo como lastro os valores mobiliários de empresas estrangeiras.

Se quer viver de dividendos e diversificar a carteira, acompanhe a leitura e veja como aproveitar as cotações do dólar por meio de ações norte-americanas!

Como funcionam as BDRs na prática?

Na nossa bolsa de valores há mais de 500 BDRs listados, sendo que boa parte deles são classificados como Não Patrocinados, tendo o final 34 ou 35 no código.

Ao contrário dos BDRs Patrocinados, que contam com o desejo de emissão partindo das companhias no exterior, os Não Patrocinados não dispõem de um acordo direto.

Com isso, grandes bancos como Bradesco, Itaú ou mesmo a B3 são responsáveis pelos títulos, porém tendo conta em uma instituição custodiante fora do país.

Vale lembrar que antes apenas investidores profissionais podiam ter acesso a esse produto, porém, desde setembro de 2020, os pequenos investidores também podem.

No home broker, você tem a possibilidade de comprar a partir de 1 BDR, sendo que o papel pode representar uma ação apenas ou um conjunto de ações.

Quais BDRs de pagadoras de dividendos você deve ficar de olho?

Mais do que investir em empresas de sucesso no exterior, você encontra nos BDRs a oportunidade de estruturar uma boa estratégia de dividendos e engordar a carteira.

Pensando no longo prazo, veja abaixo uma lista de 5 pagadoras de dividendos nos EUA e como elas performaram diante de um retorno de 201,3% do S&P 500.

1. Pfizer (PFIZ34)

A farmacêutica nova-iorquina Pfizer atua de forma robusta no desenvolvimento, fabricação e, consequentemente, distribuição de medicamentos e vacinas.

Inclusive, em meio aos impactos do coronavírus, a Pfizer é uma das empresas mais promissoras na produção de uma vacina realmente eficaz para a população.

A companhia tem produtos como o anticoagulante Eliquis para trombose, o Ibrance para câncer de mama e a Prevenar 13 — vacina contra bactérias pneumococo.

Com vendas em mais de 125 países, o setor dessa empresa é considerado defensivo por conta de as marcas serem protegidas por patentes, barrando assim novos entrantes.

Em Wall Street, as ações da Pfizer apresentam um retorno de 173,2% nos últimos 10 anos, sendo que os dividendos costumam ser pagos a cada trimestre.

2. Comcast (CMCS34)

Se você curte séries como Brooklyn 99, The Good Place, Law & Order, Heroes, entre tantas outras, nada como investir na empresa que comanda todas essas produções.

A Comcast é um conglomerado que reúne a nata da telecomunicação norte-americana, sendo dona dos estúdios Sky, Universal, DreamWorks e das TVs NBC e Telemundo.

Além disso, a companhia atua em serviços de telefonia, internet, vídeo, segurança e automação, tendo a marca Xfinity como um dos pilares de sucesso.

Vale ressaltar que a Comcast também tem presença no nicho de parques temáticos, principalmente em Orlando (Flórida), Los Angeles (Califórnia) e Osaka (Japão).

Seu valor de mercado está estimado em mais de 227 bilhões de dólares, sendo que o retorno de suas ações chegou ao patamar incrível de 616% em 10 anos na NASDAQ.

3. AT&T (ATTB34)

A American Telephone and Telegraph, conhecida como AT&T Inc., tem sede em Dallas, no Texas, e atua de forma intensa no segmento de telecomunicações.

Entre os ramos de atividade, o primeiro destaque é a conectividade de banda larga, apresentando uma fibra óptica de alta velocidade para pessoas e empresas.

É uma companhia que provém entretenimento de qualidade por meio de filmes, séries, jogos, programas de TV e outros conteúdos, afinal, pois é dona da Warner Bros.

A AT&T também figura em divisões de negócio como serviços móveis para pessoas e empresas mexicanas, bem como soluções de publicidade e entretenimento digital.

Embora o retorno seja o mais tímido entre as boas pagadoras de dividendos nos EUA, com 99% em 10 anos, os proventos este ano superaram a marca de 11 dólares por ação.

4. 3M (MMMC34)

Com o objetivo inicial de extrair minério para produzir rebolos e lixas, a empresa de Maplewood, em Minnesota, reinventou-se em diversos aspectos desde 1902.

Sua trajetória é marcada pela cultura da inovação e o desenvolvimento constante de novas tecnologias, tendo um portfólio recheado de invenções dos últimos 5 anos.

A 3M Company encontra maior representatividade nas receitas a partir de produtos voltados para segurança, indústria, transporte, eletrônica e área da saúde.

No entanto, não podemos deixar de mencionar os populares acessórios de pintura, adesivos, itens de papelaria e demais artigos focados no consumidor final.

Nos últimos 10 anos, as ações da empresa performaram um retorno esplêndido de 170,85%, cuja taxa de dividend yield tem ultrapassado o patamar de 3%.

5. Coca-Cola (COCA34)

Evidente que investidores voltados para a estratégia de buy and hold não podem deixar de ter na carteira a emblemática The Coca-Cola Company.

Fundada pelo Dr. John Pemberton, em 1886, a Coca-Cola é uma das empresas que qualquer pessoa no mundo consegue reconhecer apenas pela silhueta do logotipo.

A famosa companhia de refrigerantes à base de xarope de cola alcança grandes volumes de vendas na Europa, África, Oriente Médio, América Latina e Ásia.

O valor de mercado da Coca-Cola está estimado em mais de 226 bilhões de dólares, tendo produtos como Fanta, Del Valle, Gatorade, Ades, Sprite e outros no portfólio.

Os dividendos costumam ser distribuídos a cada trimestre, refletindo o desempenho de 125,7% de retorno das ações nos últimos 10 anos na bolsa de Nova York.

Como é a tributação dos BDRs?

Antes de se preocupar em montar sua carteira de investimentos com BDRs de grandes pagadoras de dividendos, lembre-se de não receber uma mordida do Leão do IR.

Assim como ocorre em ações de empresas brasileiras, as operações de Day Trade (DT) e Swing Trade (ST) serão tributadas em 20% e 15% respectivamente.

Só que não há isenção de até 20 mil reais em vendas no mês quando se trata de BDRs, mas as alíquotas de 1% (DT) e 0,005% (ST) do “dedo-duro” do imposto permanecem.

Ao contrário dos nossos dividendos, qualquer provento de empresas estrangeiras é reconhecido como “rendimentos recebidos de fonte no exterior” na declaração.

Porém, você só pagará por meio do preenchimento do carnê-leão se os ganhos mensais excederem R$ 1903,98, obedecendo a seguinte tabela progressiva:

  • até R$ 1903,98 é isento;
  • de R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 é igual a 7,5%;
  • de R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 é igual a 15%;
  • de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 é igual a 22,5%;
  • acima de R$ 4664,68 é igual a 27,5%.

Para finalizarmos, perceba que existem ótimas pagadoras de dividendos nos EUA que você pode aproveitar, bastando apenas estudar bem seus fundamentos e prestar atenção na tributação do imposto.

O que você acha de ter acesso a uma carteira internacional e receber recomendações especializadas para obter bons dividendos? Com o nosso produto Invista em Ações, você pode construir um belo patrimônio a partir de análises de primeira linha, além do acompanhamento da nossa equipe campeã de analistas do mercado financeiro. 

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

As ações das empresas aéreas vão decolar?

O setor aéreo foi um dos mais afetados pela pandemia do Coronavírus, e as ações das empresas aéreas também foram fortemente impactadas. A Associação Internacional de Transporte Aéreo (LATA), estima que a América Latina teve uma redução de 64% dos passageiros e um prejuízo de US$ 5 bilhões neste ano. De acordo com a pesquisa da consultoria IBA Group, 42 companhias aéreas globais entraram com pedido de recuperação judicial ou decretaram falência neste ano.

De acordo com a LATA, as previsões para 2021 não são encorajadoras, ainda que haja um aumento na demanda para o setor, o prejuízo e a redução de passageiros ainda será sentido por muitas companhias. Pensando nisso, vamos analisar um pouco mais do segmento e as ações das empresas aéreas.

Principais Características do Setor 

  • Altos custos: é conhecido como um setor de altos custos operacionais envolvidos, atrelados às manutenções das aeronaves e aos gastos com as operações (combustível, tarifas de aeroportos, dentre outros). Também, os custos são praticamente todos atrelados ao dólar, o que além de prejudicar as companhias brasileiras que trabalham com real, também impacta no momento de repassar repassar as alterações cambiais diárias no preço das passagem.
  • Necessidade de Alta Alavancagem: se mantém atrelado aos altos custos envolvidos no setor. As aquisições ou arrendamentos de aeronaves possuem a necessidade de altos investimentos.
  • Sem grandes diferenciais competitivos: no setor, praticamente não há diferenciais além do preço das passagens. A guerra de preços acaba por pressionar as margens operacionais.

As Ações das Empresas Aéreas

Azul (AZUL4)

A Azul Linhas Aéreas (AZUL4) detém a maior malha aérea do Brasil, com os maiores números de decolagens e de cidades atendidas. Em cerca de 70% de suas rotas, a Azul é a única companhia de aviação a possuir operações. Portanto, não é errado a considerarmos hoje como a empresa mais importante do segmento de voos regionais em terras brasileiras.

A Azul apresentou receita líquida de R$ 805,3 milhões no terceiro trimestre de 2020, representando um decréscimo consolidado de 73,4% em relação com o mesmo período do ano anterior. A Azul ainda sentiu os fortes impactos da pandemia no 3T20, pressionada principalmente pela queda de mais de 78% das receitas com transporte de passageiros. No entanto, os efeitos foram parcialmente compensados pelo aumento de 26,6% dos ganhos com transporte de carga e outras receitas.

A empresa reportou Ebitda de R$ 198,3 milhões no terceiro trimestre de 2020, representando decréscimo de 78,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o Ebitda Ajustado foi de R$ 258,0 milhões negativos, com queda de 127,6% na mesma base de comparação. A margem Ebitda ajustada foi de -32,0%, com perda de 62,9 p.p. em comparação ao terceiro trimestre de 2019. 

A companhia reportou prejuízo líquido de R$ 1,2 bilhão no 3T20, sendo 122,7% superior ao prejuízo divulgado no mesmo período do ano anterior. Destaque positivo, no entanto, para a ligeira melhora do resultado financeiro.

As ações negociadas na B3 apresentaram alta de 61,89%, ao longo de 2019, enquanto o Ibovespa desenvolveu 31,58% no mesmo período. Desde abril de 2017, as ações preferenciais da companhia registram uma variação positiva de 70,90%, contra 69,82% do benchmark. Em 2020 as ações da Azul apresentam resultado de -38,42%, enquanto o IBOV marca -5,07%.

Gol (GOLL4)

A Gol (GOLL4) foi a primeira companhia aérea brasileira a adotar um conceito de “low cost”, ao final de uma era onde reinavam os voos de maior luxo e, consequentemente, de alto custo. Assim, a Gol foi uma importante peça no processo de acessibilidade de grande parte da população ao transporte aéreo.

Para o 3T20, a empresa reportou receita líquida de R$ 974,9 milhões, representando uma retração consolidada de 73,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. A companhia seguiu sofrendo os fortes impactos da pandemia relacionados ao setor aéreo. Ambos os segmentos de negócio da empresa apresentaram perdas. No caso do transporte de carga e outros serviços, a receita sofreu queda de mais de 54% no comparativo anual. Já a principal divisão de negócios, de transporte de passageiros, regrediu quase 75% de suas receitas, fechando o trimestre arrecadando R$ 879,0 milhões.

A empresa reportou Ebitda de R$ 204,0 milhões negativos no 3T20, representando decréscimo de 117,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o Ebitda Ajustado foi de R$ 284,1 milhões, com queda de 75,1% na mesma base de comparação. A margem Ebitda ajustada foi de 29,1%, com perda de 1,6 p.p. em comparação ao 3T19. Por mais que os gastos operacionais tenham apresentado retração, esta não foi suficiente para equilibrar a perda de receitas.

A companhia reportou prejuízo líquido de R$ 1,7 bilhão no 3T20, sendo mais de 7 vezes superior ao prejuízo divulgado no mesmo período do ano anterior. Destaque negativo também para o aumento da despesa líquida financeira.

Desde junho de 2004, as ações preferenciais da companhia registram uma variação negativa de -7,36%, contra 408,94% do benchmark. Em 2020 as ações da Gol apresentam resultado de -39,89%, enquanto o IBOV marca -8,30%.

Será que as ações das empresas aéreas são uma boa estratégia?

As duas companhias seguiram sofrendo os fortes impactos gerados pela pandemia no setor aéreo global como um todo. Todos os negócios das companhias foram prejudicados, a Gol ainda foi mais prejudicada com um decréscimo de 75% dos passageiros, já a Azul, por mais que possamos observar uma retomada gradual, pelo próximo ano ainda não deve se recuperar totalmente. 

O case das ações das empresas aéreas apresenta certas complexidades, principalmente relacionadas aos riscos inerentes ao próprio setor aéreo. Portanto, por ora não temos recomendação de longo prazo em Azul (AZUL4) ou Gol (GOLL4) e entendemos que existem opções melhores para a alocação em carteira. 

Ainda assim, para quem gosta do setor, recomendamos ficar de olho na Copa Airlines. A grande vantagem da empresa é que ela tem receitas e despesas em dólar, o que pode gerar menos volatilidade nos resultados (ao contrário das companhias brasileiras, que possuem receita em real e muitas despesas em dólar). As ações da Copa ainda não estão listadas aqui na B3, via BDRs, mas são cotadas na Bolsa de Nova Iorque, com o código CPA.

E você, quer receber a recomendação de uma Carteira com 10 empresas com alto potencial de crescimento? Com o nosso produto Invista em Ações, você terá acesso a nossa Carteira Crescimento, que conta com as melhores recomendações de grandes empresas com ações que deverão crescer no futuro. Além disso, com o Invista em Ações você terá acesso à mais 5 carteiras com focos e estratégias diferentes, como em Dividendos, Small Mid Caps, Buy&Hold, Top Recomendadas e Ações Internacionais. Acesse aqui e saiba mais! 

Já você que quer investir no curto, médio e longo prazos, o Full Trader é o produto que você procura. Ele é nosso serviço mais completo para investir na bolsa de valores. Além das recomendações de longo prazo que você tem no Invista em Ações, você terá acesso à sala exclusiva de Day Trade com indicações de compra e venda em tempo real (Índice, Dólar e Ações). Também oferecemos recomendações de Swing Trade, Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva exclusiva de Position Trade), Long&Short, Opções, Milho e Boi Gordo.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.


Black Friday 2020: o que devemos esperar das varejistas este ano?

Está de olho nas ofertas irresistíveis de produtos e no desempenho das principais varejistas? Afinal, o que será que a Black Friday 2020 nos reserva?

Desde 2010, a Black Friday é considerada uma data tradicional para a economia brasileira, pois movimenta boa parte das transações durante o ano — especialmente no que diz respeito ao ambiente digital. 

Para quem quer investir com pouco dinheiro ou aumentar o patrimônio, acompanhe a leitura e veja como as varejistas podem ser uma boa estratégia de aplicação!

Qual é a expectativa para a Black Friday 2020?

Por conta das medidas de restrição para evitar aglomerações, a tendência é que os brasileiros invistam mais nas compras online em vez de acamparem nas lojas físicas.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o setor deve faturar cerca de R$ 3,45 bilhões na tão aguardada semana de descontos.

É bem provável que essa seja a Black Friday mais diferente de todas, tendo uma massificação de pedidos via apps e sites, gerando um grande desafio para a logística.

Com isso, as empresas varejistas esperam focar suas atenções no universo digital, a fim de projetar uma alta relevante de seus indicadores em relação ao ano passado.

É sempre importante ressaltar que os consumidores estão mais atentos aos preços praticados na Black Friday, pois ninguém quer “levar gato por lebre”.

O que esperar das varejistas nesta Black Friday?

Apesar de estarmos em plena pandemia, os resultados das empresas diante do impacto do coronavírus têm sido positivos, especialmente quando se trata das varejistas.

A seguir, veja como Magazine Luiza, Mercado Livre, B2W e Via Varejo planejam se destacar na Black Friday, usando ao máximo os recursos de suas plataformas digitais.

Magazine Luiza (MGLU3)

Sendo responsável por uma das 5 maiores altas da bolsa de valores este ano, a Magazine Luiza tem apresentado várias ofertas ao longo do mês para diluir a procura.

No entanto, não deixará de focar seus esforços na véspera da Black Friday, ou seja, assim como em 2019, a varejista pretende realizar o mega show “Black das Blacks”.

Com a apresentação de Taís Araújo, Luciano Huck e a inteligência virtual Lu, a empresa pretende mostrar todas as suas principais ofertas ao vivo no canal Multishow.

Tendo a presença de artistas como Anitta, Zé Neto & Cristiano, Barões da Pisadinha e Dilsinho, o objetivo é entreter e orientar o público quanto ao super app da marca.

Sobre os números do 3º trimestre da Magalu, o principal destaque foi o crescimento das vendas online em mais de 148%, sendo R$ 29 bilhões de janeiro até setembro. 

A receita líquida e o lucro antes dos juros e impostos também foram destaque, alcançando altas de 70,8% e 9% respectivamente em relação ao 3ºT de 2019.

Mercado Livre (MELI34)

Já que os BDRs estão liberados para todos os investidores, nada mais justo que citarmos a empresa argentina Mercado Livre e mostrarmos sua estratégia.

Com o objetivo de superar os resultados expressivos de 2019, a varejista quer não apenas quebrar recordes, mas transformar a experiência de entrega dos consumidores.

Embora tenha um marketplace recheado de produtos dos mais variados nichos de mercado, um dos grandes déficits é a entrega por conta da dependência dos Correios.

Porém, a varejista investiu em centros de distribuição espalhados pelo Brasil e, até mesmo, uma frota própria de aviões para agilizar as entregas em até 48 horas.

Quando se trata de seus números, vale ressaltarmos que a operação no Brasil corresponde a 55% da receita líquida da companhia, que alcançou US$ 610,7 milhões.

Os bons resultados no comércio online fizeram com que as margens EBITDA e Líquida subissem 20,3% e 25,5% respectivamente em comparação com 2019.

B2W (BTOW3)

Observando as grandes tendências do varejo, a B2W, controladora das Lojas Americanas, Shoptime e Submarino, resolveu apostar na Live Commerce.

O modelo de apresentação de ofertas, que já é forte na China, basicamente consiste em fazer diversos reviews de produtos ao vivo nas redes sociais.

No intuito de misturar informações, entretenimento e divulgação de produtos em oferta, a B2W deixará sua live sob a batuta do influencer Felipe Neto.

O evento será realizado no próprio dia 27 e conta com a organização do YouTube, sendo assim uma das grandes esperanças para as lojas da rede alavancarem as vendas.

Os números no 3º trimestre para a receita líquida são animadores, uma vez que as vendas diretas tiveram um crescimento de 58,5% em relação ao ano anterior.

A redução na despesa líquida financeira também é outro destaque, sendo importante mencionarmos que o lucro antes dos juros teve uma variação positiva de 65,7%.

Via Varejo (VVAR3)

Já a Black Friday 2020 para a Via Varejo, controladora de empresas como Casas Bahia e Ponto Frio, pretende ser estratégica em busca de um ticket médio maior.

Com ofertas que estão em destaque desde o final de outubro, até mesmo para evitar possíveis aglomerações em suas lojas, a pretensão é aumentar bem a receita líquida.

No site das Casas Bahia, por exemplo, as promoções são renovadas em 72 horas, sendo que as compras feitas pelo aplicativo têm o frete grátis como vantagem.

A varejista também pretende oferecer condições de pagamento em 30 vezes sem juros, a fim de estimular as pessoas a comprarem mais sem peso na consciência.

Os números do 3º trimestre da companhia são fantásticos, pois o lucro operacional alcançou uma variação positiva de 443,6% em relação ao ano passado.

As vendas online obtiveram um crescimento de 278% na base de comparação, além de uma redução significativa de mais de 55% na despesa líquida financeira.

Será que vale a pena investir em ações das varejistas?

Mesmo com uma queda crítica de quase todas as ações na bolsa de valores, o varejo foi o setor que melhor se adaptou ao novo cenário e conseguiu recuperar sua força.

Se você busca dicas de investimento para diversificar bem a sua carteira, saiba que as varejistas são as líderes em altas no ano e podem ser uma boa opção a longo prazo.

Para se ter uma ideia da performance, enquanto o Ibovespa reporta uma variação negativa de 7,26%, as demais estão muito à frente do principal índice este ano:

  • Magazine Luíza: 107,77%;
  • Mercado Livre: 196,49%;
  • B2W: 21,82%;
  • Via Varejo: 59,98%.

Podemos observar melhor estes resultados no gráfico abaixo:

Sendo assim, levando em conta os resultados financeiros, a governança corporativa, a gestão de crises e o posicionamento nas mídias, as varejistas estão com tudo.

Em resumo, perceba que a Black Friday 2020 pretende ser histórica, fazendo com que os consumidores e acionistas fiquem de olho no desempenho das principais varejistas do mercado.

E sobre as ações das empresas varejistas, vimos que é um setor interessante para se ter em carteira. Então, quer saber quais empresas do segmento são recomendadas pela Capitalizo para o longo prazo? Conheça o nosso produto Invista em Ações! Com ele você terá acesso as nossas Carteiras de Small Mid Caps, Dividendos, Crescimento, Buy&Hold, Top Recomendadas e Ações Internacionais para você montar sua carteira de longo prazo.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.


PetroRio (PRIO3): após aquisição de campo de pré-sal ações sobem quase 30%

A PetroRio (PRIO3) anunciou recentemente a compra de campos de pré-sal da empresa BP Energy do Brasil, essa notícia fez com que as ações da empresa subirem quase 30% na última semana. O contrato assinado faz com que a empresa tenha participações de 35,7% no Bloco BM-C-30 no Campo de Wahoo e de 60% no Bloco BM-C-32 no Campo de Itaipu, tornando-se assim, a operadora de ambos os campos de pré-sal. 

Segundo a empresa, Wahoo tem potencial para produzir mais de 140 milhões de barris (100% do campo) – lembrando que esse Campo foi descoberto em 2008. A estimativa é que o investimento total dos Campos comprados seja de US$800 milhões e que o primeiro óleo de Wahoo seja retirado, aproximadamente, 2 anos após o início do projeto.

A notícia é muito boa para a empresa e chama a atenção de investidores. Pensando nisso, trazemos aqui uma análise da empresa para você saber se vale a pena investir em PRIO3.

A PetroRio (PRIO3)

A PetroRio faz parte do segmento de Small Caps da bolsa, e vem chamando a atenção do mercado nos últimos tempos. Considerando as empresas privadas e genuinamente brasileiras, a PetroRio é a maior produtora de petróleo e gás do Brasil. Obviamente que o primeiro lugar geral em nosso país é detido pela Petrobrás, no entanto, com relevante participação governamental.

Atualmente, além dos Campos de Frade e Polvo e da participação de 10% do Campo de Manati, a companhia detém 80% do Campo de Tubarão Martelo (TBMT), o qual possui interligação direta com o Campo Polvo. Sem mencionar a aquisição recente que falamos anteriormente. 

Resultados do 3T20

Para o 3T20, a empresa reportou receita líquida de R$ 488,7 milhões, com acréscimo de 22,0% em relação ao 3T19. Os resultados foram beneficiados pelo maior volume vendido em Polvo e Tubarão Martelo, que acabou compensando a queda nos preços do Brent.

A empresa reportou Ebitda de R$ 308,9 milhões no 3T20, representando acréscimo de 63,0% em relação ao mesmo período do ano anterior. A margem Ebitda foi de 63,0%, com ganho de 15,0 p.p. em comparação ao 3T19. 

A companhia reportou prejuízo líquido de R$ 110,6 milhões no 3T20, sendo 9% maior que o prejuízo milhões reportado no 3T19. Destaque negativo novamente para os efeitos da marcação a mercado do hedge realizado, que acabou elevando a despesa financeira da companhia

Rentabilidade das Ações PRIO3

As ações negociadas na B3 apresentaram alta de 233,27%, ao longo de 2019, enquanto o Ibovespa desenvolveu 31,58% no mesmo período. Desde janeiro de 2016, as ações ordinárias da companhia registram uma variação positiva de 3.655,10%, contra 146,07% do benchmark. Em 2020 as ações de PetroRio apresentam resultado de 39,14%, enquanto o IBOV marca -7,76%.

Vale a pena investir em PRIO3?

PetroRio faz parte do grupo de ações do setor de petróleo e gás que acompanhamos. Gostamos da empresa e entendemos que tenha um forte potencial de crescimento. Por outro lado, para o longo prazo, preferimos ativos de empresas petroleiras estrangeiras, que também possuem um excelente potencial, mas muito mais segurança e resiliência do que ativos como PRIO3. 

E você, quer receber a recomendação de uma Carteira com 10 empresas com alto potencial de crescimento? Com o nosso produto Invista em Ações, você terá acesso a nossa Carteira Crescimento, que conta com as melhores recomendações de empresas que já pagam bons dividendos hoje, mescladas com ações que deverão pagar bons dividendos no futuro. Além disso, com o Invista em Ações você terá acesso à mais 5 carteiras com focos e estratégias diferentes, como em Small Caps, Crescimento, Buy&Hold, Top Recomendadas e Ações Internacionais. Acesse aqui e saiba mais.

Já você que quer investir no curto, médio e longo prazos, o Full Trader é o produto que você procura. Ele é nosso serviço mais completo para investir na bolsa de valores. Além das recomendações de longo prazo que você tem no Invista em Ações, você terá acesso à sala exclusiva de Day Trade com indicações de compra e venda em tempo real (Índice, Dólar e Ações). Também oferecemos recomendações de Swing Trade, Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva exclusiva de Position Trade), Long&Short, Opções, Milho e Boi Gordo.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Ações da B3 (B3SA3): o que esperamos para o médio e longo prazos

Em 2008, foi aprovada a integração das atividades da BM&F e da Bovespa Holding, dando origem à BM&FBovespa, que já nasceu como uma das maiores bolsas do mundo em termos de valor de mercado. Já em março de 2017, foi criada a B3 (B3SA3) a partir da combinação de atividades da BM&FBovespa com a Cetip, empresa prestadora de serviços financeiros no mercado de balcão organizado.

A B3 (B3SA) atua na criação de sistemas de negociação, compensação, liquidação, depósito e registro para diversas classes de ativos. Neste contexto estão incluídos ações e títulos de renda fixa corporativa e derivativos de moedas, commodities, operações estruturadas e taxas de juros. 

A companhia não tem nenhum acionista ou um grupo de acionistas controladores. A maior parcela, em torno de 7%, pertence a Capital World Investors, empresa americana especializada em gestão de investimentos.

Pontos Positivos

  • Modelo de negócio: a companhia possui estrutura verticalizada e diversificada para oferta de serviços para operações financeiras. Esta característica possibilita a atuação em todas as etapas da cadeia percorrida por uma operação em bolsa de valores, incluindo negociação, compensação, liquidação e registro em central depositária. Além disso, a empresa oferece soluções completas para registro de operações de balcão envolvendo instrumentos de renda fixa e derivativos, bem como infraestrutura para atividades relacionadas a financiamento de veículos e imóveis.
  • Tecnologia: a companhia realiza investimentos regularmente para manutenção de sua infraestrutura, ampliação de sua capacidade operacional e aprimoramento dos serviços prestados. A expertise e a capacidade interna, além da parceria com empresas de referência no segmento de tecnologia, ajudam a assegurar a oferta de sistemas mais eficientes.
  • Gestão de riscos: as câmaras de compensação e liquidação são extremamente importantes para garantir a estabilidade do mercado e atuam como central garantidora dos negócios envolvendo ativos e contratos listados, bem como de alguns produtos de balcão.

Pontos Negativos

  • Variação de preços e volumes: as receitas do segmento de ações e derivativos de ações depende do nível de atividade dos investidores, preços praticados, número de companhias listadas e giro de mercado. Em derivativos financeiros e mercadorias, os riscos estão associados a baixa disponibilidade de crédito, redução do consumo e instabilidade de índices de preços, uma vez que fatores macroeconômicos afetam a disposição de investidores para utilizarem contratos derivativos como forma de proteção ou alavancagem.
  • Concorrência: existe o risco da entrada de empresas nacionais e estrangeiras nos segmentos de atuação. Fora do Brasil, muitas empresas atuam nos mercados de bolsa e balcão e, caso venham se estabelecer no país, poderão impactar políticas de preços e custos operacionais.
  • Mudanças tecnológicas: nos últimos anos, as atividades envolvendo valores mobiliários, ativos financeiros, derivativos e processos dentro da cadeia de financiamento se tornaram mais automatizadas. Assim, a companhia precisa acompanhar as mudanças tecnológicas nas linhas de negócio para garantir a confiabilidade, eficiência e liquidez exigidas pelo mercado.

Resultados 3T20

Para o 3T20, a B3 (B3SA3) reportou receita líquida de R$ 2,3 bilhões, com acréscimo de 49,6% em relação ao 3T19. Novamente, destaque para os segmentos listado e tecnologia, dados e serviço, com o aumento dos volumes de negócios na comparação com o mesmo período do ano anterior. Também cabe destacar o maior volume de IPOs realizados no período.

A empresa reportou Ebitda de R$ 1,9 bilhão no 3T20, representando acréscimo de 65,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. A margem Ebitda foi de 83,2%, com ganho de 10,7 p.p. em comparação ao 3T19. Além do aumento de receitas, destaque para a melhor diluição de custos e despesas.

A companhia reportou lucro líquido de R$ 1,1 bilhão no 3T20, sendo 57,9% superior ao lucro apresentado no 3T19. A margem líquida foi de 49,6%, registrando ganho de 2,6 p.p. na comparação anual.

Rentabilidade das Ações (B3SA3)

As ações negociadas na B3 apresentaram alta de 63,62%, ao longo de 2019, enquanto o Ibovespa desenvolveu 31,58% no mesmo período. Desde agosto de 2008, as ações ordinárias da companhia registram uma variação positiva de 635,76%, contra 89,73% do benchmark. Em 2020 as ações de B3 apresentam resultado de 31,16%, enquanto o IBOV marca -9,15%.

Comprar ou não comprar B3SA3?

Por mais que horizonte de curto a médio prazo ainda sejam favoráveis para que a  companhia mantenha seus níveis de rentabilidade, é quase inevitável a entrada de novos concorrentes no mercado no futuro. Inclusive, a ATS Brasil já anunciou no final do ano passado, acordos com a B3 para acesso a central depositária. Algo, portanto, que poderá acarretar em uma guerra de preços à diante, levando à perda de lucratividade para a companhia. Dito isso, enxergamos melhores opções para compor uma carteira de longo prazo, não possuindo no momento recomendação de longo prazo para B3 (B3SA3).

E você, quer receber a recomendação de uma Carteira com 10 empresas com alto potencial de crescimento? Com o nosso produto Invista em Ações, você terá acesso a nossa Carteira Crescimento, que conta com as melhores recomendações de empresas que já pagam bons dividendos hoje, mescladas com ações que deverão pagar bons dividendos no futuro. Além disso, com o Invista em Ações você terá acesso à mais 5 carteiras com focos e estratégias diferentes, como em Small Caps, Crescimento, Buy&Hold, Top Recomendadas e Ações Internacionais. Acesse aqui e saiba mais.

Já você que quer investir no curto, médio e longo prazos, o Full Trader é o produto que você procura. Ele é nosso serviço mais completo para investir na bolsa de valores. Além das recomendações de longo prazo que você tem no Invista em Ações, você terá acesso à sala exclusiva de Day Trade com indicações de compra e venda em tempo real (Índice, Dólar e Ações). Também oferecemos recomendações de Swing Trade, Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva exclusiva de Position Trade), Long&Short, Opções, Milho e Boi Gordo.

Tem alguma dúvida sobre o produto? Então entre em contato conosco e fale com a gente!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se. 

Vacância em Fundos Imobiliários – O que significa?

vacância

Quando se trata de fundos imobiliários, um dos indicadores mais comuns e utilizados durante as análises é a vacância.

No rigor de seu significado, vacância é definida por demonstrar aquilo que não se encontra ocupado, isto é, aquilo que está vago.

No entanto, ao adentrarmos no universo dos FIIs, temos que saber que existem dois tipos de vacância a se analisar: a Vacância Financeira e a Vacância Física.

Vacância Financeira

A vacância financeira é a porção dos ativos do portfólio de um fundo imobiliário que não está gerando rendimentos. Em outras palavras, é a fração da carteira que não está rentabilizando o capital do fundo através de juros, aluguel ou arrendamentos.

E os motivos para que se haja vacância financeira são variados. Quando não está relacionada à vacância física (explicada abaixo), geralmente trata-se de um aluguel recém contratado que ainda está no período de carência. Ou seja, durante um período de alguns meses, por exemplo, o inquilino não pagaria o aluguel devido um acordo entre as partes. Nesses casos não há vacância física, mas há financeira, visto que nestes espaços ocupados não há pagamento de aluguel.

Vacância Física

A vacância física aponta o espaço que não está ocupado, isto é, qual a área deste espaço que não está sendo locada.

A vacância física, em alguns casos, pode refletir alguns problemas sobre o imóvel. Primeiro, ela reflete a qualidade do ativo. Um imóvel pode ter vacância elevada se possuir espaços locáveis (salas, escritórios…) que não sejam de boa qualidade. As vezes devido à idade do imóvel, má arquitetura ou localização.

Também, a vacância pode refletir muito sobre a qualidade de gestão. A alta vacância de um fundo, durante um período grande de tempo, talvez indique que o mesmo não esteja sendo bem gerido.

Ou simplesmente, uma vacância alta pode ser puro reflexo do atual momento econômico do país, em períodos de desaquecimento do mercado imobiliário.

Taxa de Vacância

A informação sobre vacância nos é fornecida através da Taxa de Vacância. Esta taxa é definida em termos percentuais.

A taxa de vacância física (ou mais utilizado como simplesmente “taxa de vacância”) é definida como a razão entre o espaço não locado e a área bruta locável total (ABL).

Seguindo o mesmo princípio, a taxa de vacância financeira retrata o montante de rendimentos que não está sendo gerado por determinados ativos sobre o rendimento total que o portfólio é capaz de fornecer.

Vejamos um exemplo da evolução de ambas taxas de vacância do fundo BC Fund (BRCR11), nos meses compreendidos entre outubro de 2019 a setembro de 2020.

Neste exemplo, vemos que o fundo vem conseguindo controlar seus níveis de vacância, tanto física quanto financeira. No mês de setembro de 2020, cerca de 14,6% da área bruta locável total do fundo estava vaga. E seu portfólio estava gerando aproximadamente 93,2% (100% – 6,8%) dos rendimentos totais, do qual teria capacidade.

Alta Vacância Sempre é Ruim?

Não, ou melhor, nem sempre!

Como vimos, a taxa de vacância vai afetar diretamente os rendimentos mensais gerados. Se o objetivo do investidor for única e simplesmente obter o máximo de rendimentos, então talvez este deva procurar fundos com menor taxa de vacância possível.

No entanto, dá para enxergar a vacância como uma janela de oportunidade. O investidor pode escolher um fundo com vacância alta visando um fluxo de caixa positivo no futuro, com o acréscimo de rendimentos.

O fato da vacância estar alta também pode impactar no aumento da rentabilidade do fundo no futuro, a partir da valorização da cota. Fundos com alta vacância tendem a ter seus cotas desvalorizadas.

Neste caso, adquirir cotas de um fundo que o investidor julgou ter bons atributos, porém está com a vacância alta e suas cotas estão abaixo do valor que o mesmo julga real, pode trazer ganhos futuros a ele quando o fundo reduzir esta vacância. Isto é chamado de “Comprar Vacância!”

Abaixo segue o exemplo do Cyrela Thera Corporate (THRA11). Em 2016, em meio a recessão no Brasil, o Fundo chegou a ter mais de 30% de vacância, mesmo sendo um excelente empreendimento.

Dessa forma, quem conhecia a qualidade do prédio sabia que, quando a economia começasse a retomar, era provável que a vacância iria cair. Abriu-se assim, uma excelente oportunidade de “Compra de Vacância”. Atualmente, o prédio está com uma locação superior a 90% e as cotas subiram mais de 200% de novembro/15 até novembro/20. Além disso, tivemos o pagamento dos aluguéis, que foram pagos todos os meses desde 2017.

Retorno acumulado THRA11 – 13/11/2015 até 13/11/2020

Contudo, esta é uma tática utilizada geralmente por especialistas ou por investidores com larga experiência no mercado, não sendo recomendada, portanto, para investidores iniciantes. Pelo menos, não sem acompanhamento de algum especialista.

O investimento em Fundos Imobiliários é uma das formas mais inteligentes de se investir em imóveis. Além dos rendimentos mensais serem isentos de Imposto de Renda, é possível que você invista nos principais empreendimentos (logísticos, corporativos, shoppings, entre outros) e títulos de renda fixa, atrelados ao mercado imobiliário, do Brasil.

Quer receber as nossas recomendações de Fundos Imobiliários?

Para receber as melhores recomendações de Fundos Imobiliários, o nosso Produto Top Fundos de Investimentos é plano ideal. Adquirindo, você terá acesso aos Fundos Imobiliários cuidadosamente analisados e recomendados pela equipe de analistas da Capitalizo.  Além  disso, você terá acesso a nossa Carteira  Recomendada de Fundos Imobiliários.

Conheça o Top Fundos e receba as melhores recomendações e acompanhamento do mercado de Fundos de Investimentos

O Top Fundos de Investimentos é o produto mais completo do mercado. Com ele, você receberá recomendações para investir nos mais diferentes Fundos:

  • Fundos de Renda Fixa
  • Fundos de Previdência
  • Fundos Internacionais
  • Fundos Multimercados
  • Fundos de Ações 
  • Fundos Imobiliários
  • Três Carteiras Recomendadas de Fundos de Investimentos e a nossa Carteira de Fundos Imobiliários

Além da possibilidade de diversificação de carteira, você terá acesso total a nossa equipe de atendimento via telefone, e-mail, WhatsApp e Telegram, sempre que precisar. 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Glossário de Investimentos

Data-ex, Ebtida, P/VPA, Payout… Quem investe na bolsa de valores, depara-se o tempo todo com muitos termos, nomenclaturas e indicadores que nem sempre são compreendidos completamente. É fundamental também, não analisá-los de forma isolada e, sim, saber qual o papel de cada um deles dentro de um contexto.

Por isso, para que sua experiência com todos os tipos, modalidades e prazos de investimentos seja ainda melhor e você possa estar sempre munido de informações importantes, elaboramos um glossário super completo. Ele traz todas as expressões básicas que você precisa conhecer para enriquecer seu conhecimento e ficar por dentro de tudo enquanto traça suas estratégias.

Leia, guarde esse material e consulte sempre que sentir necessidade. Temos a certeza de que será de grande utilidade.

Baixe grátis aqui!

Aproveite! Ótimos investimentos!

Burger King Brasil (BKBR3): uma das maiores redes de fast food do país, vale a pena?

A Burger King Brasil (BKBR3) iniciou suas operações em 14 de junho de 2011 como uma joint venture entre um fundo de investimento gerido pela Vinci Capital Gestora de Recursos Ltda. e uma subsidiária da Burger King Corporation, com o objetivo de administração e desenvolvimento, em caráter exclusivo, da marca Burger King® no Brasil. Atualmente, é o master-franqueado para o Brasil da Burger King Corporation e da Popeyes Louisiana Kitchen, Inc., com direitos de exclusividade sobre as marcas no país.

Números da Empresa

Considerando os 670 restaurantes próprios da marca Burger King®, em 31 de dezembro de 2019, 493 restaurantes são em shoppings, 32 restaurantes in line e 148 unidades autônomas (drive thru/freestanding). Além dos restaurantes próprios, possui 198 restaurantes de franqueados 

Quanto a restaurantes Popeyes®, em 31 de dezembro de 2019, possui 41 unidades, totalizando 912 restaurantes Burger King® e Popeyes®.

A abertura de novos restaurantes contempla um rigoroso critério de avaliação, dividido em diversas etapas. A Companhia tem como foco a abertura de novos restaurantes em cidades que apresentam um crescimento do PIB mais expressivo, alinhado a um aumento da renda per capita da população.

Pontos Positivos

  • Força da Marca: no Brasil, mesmo sendo relativamente nova, os restaurantes da marca Burger King já são a terceira maior rede de fast food e a segunda maior rede no segmento de hambúrgueres. Em relação à marca Popeyes®, desde que se tornou master-franqueado, inaugurou 41 restaurantes até 31 de dezembro de 2019. Alcançou um reconhecimento de marca de 95% dos entrevistados, de acordo com a Ipsos em estudo de monitoramento de marcas on-line, realizado a pedido da companhia, com base amostral de 840 casos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Salvador (nível de confiança de 95%). Continua a trabalhar com ações de marketing para manter e aumentar esse percentual.
  • Capacidade de expansão: a companhia desenvolveu um sofisticado modelo de originação, análise e construção de novos restaurantes, já tendo demonstrado capacidade de inaugurar mais de 100 restaurantes em um ano. Monitora continuamente o setor de restaurantes e analisa oportunidades de aquisições estratégicas que possam ampliar o portfólio de marcas. Desde 2011, realizou 7 aquisições, as quais representaram um acréscimo de 144 unidades ao número total de restaurantes da companhia. Em razão desse histórico, conta com extensa expertise na condução de todo o processo de aquisição e de consolidação dos negócios adquiridos. 
  • Desenvolvimento da plataforma omnichannel: De acordo com dados da Euromonitor International, houve um aumento expressivo nos gastos com alimentação fora de casa no Brasil, que cresceram em média 5% ao ano entre 2014 e 2019. O subsegmento de limited-service restaurants observou um crescimento médio nominal no mesmo período de 5,4% ao ano, também conforme a Euromonitor International. Dentre os fatores que levaram ao aumento do segmento de fast food está o contínuo crescimento de participação das mulheres no mercado de trabalho. Isso afeta significativamente os hábitos alimentares da população e resulta, dentre outros efeitos, em (i) um declínio no número de indivíduos responsáveis pelo preparo das refeições em casa; (ii) um aumento da renda familiar total; (iii) um aumento no consumo de alimentos prontos; e (iv) um aumento da base de clientes de fast food.

Pontos Negativos

  • Hábitos alimentares saudáveis: embora a refeição fora de casa esteja aumentando, existe um processo de mudança nos hábitos alimentares no país, com grande crescimento no número de pessoas que evitam fast food. Os alimentos oferecidos nos restaurantes são altamente calóricos e gordurosos, mas também existem opções mais saudáveis.
  • Preços de commodities: os resultados operacionais dependem significativamente da habilidade de antecipar e reagir a mudanças de preços, bem como da disponibilidade de alimentos e ingredientes. Dentre outras commodities, a empresa depende de carne, frango, vegetais frescos ou congelados (nacionais ou importados), laticínios. Devido à natureza competitiva do setor, a empresa pode não conseguir repassar os aumentos nos custos operacionais para os clientes, o que pode gerar um efeito negativo para a companhia.
  • Risco de perda de direito sobre as marcas: a empresa tem o direito exclusivo de desenvolver e operar restaurantes com a marca BURGER KING no Brasil. Esse direito foi obtido mediante um contrato firmado com a Burger King Corporation em 13 de julho de 2011. Os direitos de desenvolvimento possuem duração até julho de 2031 e podem ser renovados por mais 20 anos, mediante concordância de ambas as partes. O acordo prevê metas anuais de abertura de restaurantes, bem como covenants de diversas naturezas, inclusive financeira, cujo descumprimento confere à Burger King Corporation o direito de rescisão contratual. Caso o acordo deixe de vigorar, seja por rescisão ou expiração de seu prazo, a empresa perde o direito de ser a Master Franqueada Burger King exclusiva no Brasil, com direitos exclusivos de abertura de restaurantes com operação própria e estabelecimento de subfranqueados. Neste caso, terá que solicitar a aprovação da Burger King Corporation para desenvolver novos restaurantes, podendo tornar o processo de abertura de restaurantes mais lento e, consequentemente, limitando o crescimento.

Resultados 3T20 do Burger King (BKBR3)

Para o 3T20, a empresa reportou receita líquida de R$ 522,3 milhões, com decréscimo de 27,8% em relação ao 3T19. Tal queda se deve aos impactos gerados pelo fechamento das lojas da companhia ainda no início do terceiro trimestre. Em julho, por exemplo, cerca de 40% das operações encontravam-se fechadas.

A empresa reportou Ebitda Ajustado de R$ 11,4 milhões negativos no 3T20, representando decréscimo de 109,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A margem Ebitda ajustado foi de -2,2% com perda de 18,1 p.p. em comparação ao 3T19.

A companhia reportou prejuízo líquido de R$ 105,9 milhões no 3T20, revertendo o lucro reportado no 3T19. Além da queda de receitas, podemos citar o aumento de despesas gerais e administrativas totais na comparação com o 3T19.

Indicadores (milhões)3T203T19Variação %
Receita BrutaR$ 522,3R$ 723,4-27,8%
Ebitda Ajustado(R$ 11,4)R$ 115,0-109,9%
Margem Ebitda-2,2%15,9%-18,1 p.p.
Lucro Líquido(R$ 105,9)R$ 5,4
Margem Líquida-42,7%20,5%-63,2 p.p.
ROE-19,2%5,3%
Dívida LíquidaR$ 466,6(R$ 47,8)

Rentabilidade das Ações BKBR3

As ações negociadas na B3 apresentaram baixa de 13,70%, ao longo de 2019, enquanto o Ibovespa desenvolveu 31,58% no mesmo período. Desde dezembro de 2017, as ações ordinárias da companhia registram uma variação negativa de 33,91%, contra 42,57% positivos do benchmark. Em 2020 as ações de Burger King Brasil BKBR3 apresentam resultado de -33,51%, enquanto o IBOV marca -10,49%.

Comprar ou não comprar BKBR3?

Burger King (BKBR3) têm apresentado forte crescimento no Brasil. Em termos de receita, a companhia figura entre as 30 que mais multiplicaram suas receitas nos últimos 5 anos – o crescimento foi de quase 140%. Porém, essa forte expansão foi efetivada com uma estratégia um pouco desordenada e com problemas de governança.

Apesar de gostarmos das marcas da empresa e de entendermos que ela tem boas avenidas de crescimento, como a expansão de Popeyes, os problemas citados acima nos deixam um pouco desconfortáveis em recomendar as ações BKBR3 para o longo prazo. Dessa forma, não recomendamos a exposição nas ações do Burger King Brasil. 

E você, quer receber a recomendação de uma Carteira com 10 empresas com alto potencial de crescimento? Com o nosso produto Invista em Ações, você terá acesso a nossa Carteira Crescimento, que conta com as melhores recomendações de empresas que já pagam bons dividendos hoje, mescladas com ações que deverão pagar bons dividendos no futuro. Além disso, com o Invista em Ações você terá acesso à mais 5 carteiras com focos e estratégias diferentes, como em Small Caps, Crescimento, Buy&Hold, Top Recomendadas e Ações Internacionais. Acesse aqui e saiba mais.

Já você que quer investir no curto, médio e longo prazos, o Full Trader é o produto que você procura. Ele é nosso serviço mais completo para investir na bolsa de valores. Além das recomendações de longo prazo que você tem no Invista em Ações, você terá acesso à sala exclusiva de Day Trade com indicações de compra e venda em tempo real (Índice, Dólar e Ações). Também oferecemos recomendações de Swing Trade, Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva exclusiva de Position Trade), Long&Short, Opções, Milho e Boi Gordo.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Ações com Dividend Yield Maiores que a Selic

Em outubro, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central brasileiro decidiu manter a taxa Selic em 2%, após meses de cortes percentuais.

A meta da taxa Selic, que já chegou a atingir 26,5% no início dos anos 2000, vem passando por alguns períodos de cortes, principalmente, após o final de 2016. O gráfico abaixo apresenta as variações da meta estipulada pelo BC para a Selic desde o início de 2003.

Selic Menor que o Dividend Yield do Ibovespa?

Um fato curioso, no entanto, é que pela primeira vez na história a Selic renderá menos que o dividend yield médio das ações que compõe o Ibovespa.

O Índice Bovespa deverá apresentar uma melhora de seu dividend yield médio para o ano de 2021, chegando a patamares próximos de 4,0% a.a. Com isto, somente em termos de dividendos, a bolsa de valores poderá, na média, superar a rentabilidade da taxa Selic.

Empresas Boas Pagadoras de Dividendos

Quando falamos sobre o fato do dividend yield do Ibovespa superar a Selic em 2021, estamos nos referindo a uma média realizada entre os yields dos ativos que compõe o índice. Entretanto, analisando o mercado acionário brasileiro como um todo vemos que existem empresas que tendem a apresentar, de acordo com o histórico e com estimativas futuras, maiores níveis de dividend yield.

Dentre as variadas companhias que satisfazem esta condição, separamos três para melhor analisá-las: AES Tietê Energia (TIET11), Santander (SANB11) e Engie (EGIE3)

A AES Tietê Energia é uma das mais eficientes geradoras de energia elétrica do Brasil, com um parque gerador composto por nove usinas hidrelétricas e três Pequenas Centrais Hidrelétricas. Considerando os últimos doze meses, a companhia apresenta um dividend yield de 6,89%. A expectativa, entretanto, é que a AES Tietê venha a finalizar 2020 e 2021 com um dividend yield em torno de 9,5%, em cada um dos anos.

O Santander é um dos grandes bancos brasileiros. Em atividade no mercado local desde 1982, o Santander Brasil é o terceiro maior banco privado do País por ativos. Com os proventos distribuídos nos últimos doze meses, temos um dividend yield de 7,61% para SANB11, com expectativa de que esta porcentagem chegue em 8,3% no próximo ano.

A Engie também é uma empresa do setor elétrico e é a maior geradora de energia privada do Brasil, ela possui participação de cerca de 6,2% no mercado brasileiro. Com um dividend yield de 5,43% dos últimos doze meses, espera-se que ENGIE3 apresente um yield por volta de 8,1% para o próximo ano.

Vale ressaltar, no entanto, que os valores de dividend yield para os tempos futuros referem-se apenas a estimativas, não sendo garantias de rendimentos para os próximos anos.

E você, quer receber as melhores recomendações de empresas boas pagadoras de dividendos? Conheça o nosso produto Invista em Ações e conheça as nossas preferidas em distribuição de proventos.

Assim, você impulsiona seus investimentos com as mais completas análises e recomendações de papéis do mercado. Receba semanalmente notificações das ações recomendadas, como avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

Acesse agora nossas recomendações de diferentes carteiras: Carteira Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy & Hold Raíz, Ações Internacionais e recomendações de Fundos de Ações.

Tem alguma dúvida sobre o produto? Então entre em contato conosco e fale com a gente!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Receba nossos relatórios Grátis