Ranking de Fundos de Ações

Ranking de Fundos de Ações

Quem gosta de aproveitar todas as oportunidades e potencial de rentabilidade que a Bolsa de Valores pode proporcionar, mas não tem tempo, paciência e/ou conhecimento para avaliar, selecionar e acompanhar ativo por ativo, pode optar pelos Fundos de Investimentos.

Uma das principais vantagens de um fundo são as escolhas de uma gestão profissional, especializada na administração do portfólio. Investindo em um fundo, você também conta com uma diversificação estratégica de ativos, evitando expor-se a eventuais riscos decorrentes da concentração como crises pontuais e/ou setoriais.

Fundos de Investimentos em Ações

Dentre os diversos tipos de Fundos de Investimentos, existem os fundos de ações, que são aqueles focados em selecionar e inserir em seu portfólio os papéis de empresas listadas na Bolsa de Valores.

Realizamos um estudo com o rendimento dos principais fundos de investimento em ações disponíveis no mercado. Vale ressaltar que constam nessa categoria, Fundo de Ações Long Only, Long Biased e no Exterior.

O Ranking leva em contato o fechamento dos últimos 12 meses:

Fundos de Ações – Rentabilidade em 12 Meses

FUNDOS DE AÇÕES RETORNO 12M
LEGG MASON ROYCE US SMALL CAP OPPORTUNITY FIA IE 109,78%
TRIGONO DELPHOS INCOME FIC FIA 105,65%
TRIGONO VERBIER FIA 105,21%
TRIGONO FLAGSHIP 60 SMALL CAPS FIC FIA 104,02%
EXPLORITAS LATAM FIC FIA 103,12%
TREND IBOVESPA ALAVANCADO FIA 92,03%
ORGANON FIC FIA 87,59%
TARPON GT FIC FIA 86,96%
KADIMA EQUITIES FIC FIA 68,69%
LUMINUS FIA 63,65%

Conheça o Top Fundos e receba as melhores recomendações e acompanhamento do mercado de Fundos de Investimentos

O Top Fundos de Investimentos é o produto mais completo do mercado. Adquirindo nosso produto, você receberá informações para investir nos mais diferentes Fundos:

  • Fundos de Renda Fixa
  • Fundos de Previdência
  • Fundos Internacionais
  • Fundos Multimercados
  • Fundos de Ações 
  • Fundos Imobiliários
  • Três Carteiras Recomendadas de Fundos de Investimentos e a nossa Carteira de Fundos Imobiliários

Além da possibilidade de diversificação de carteira, você terá acesso total a nossa equipe de atendimento via telefone, e-mail, WhatsApp e Telegram, sempre que precisar. 

Desde outubro de 2017, nossa Carteira Recomendada de Fundos de Investimentos em Ações já rendeu mais de 117%. No mesmo período, o desempenho do Ibovespa, o principal indicador da bolsa de valores brasileira, foi de cerca de 56%. Já o S&P 500, um dos principais índices do mercado de capitais norte-americano foi de 41%.

Conte você também com essa e muitas outras carteiras vencedoras!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Como fazer uma análise fundamentalista de ações eficiente?

Quem se insere na bolsa de valores pode ter duas posturas diferentes: a de especulação e a de investimento. A primeira mantém o foco no lucro que pode ser obtido no curto prazo — e, para isso, faz uso de análises técnicas ou gráficas.

Já no segundo caso, o objetivo é identificar empresas sólidas e com perspectivas de resultados financeiros positivos no futuro. Diferente da especulação, no investimento de longo prazo é preciso se certificar de que a companhia tenha bons fundamentos e que ofereça projeções promissoras.

Uma das principais alternativas para encontrar estas empresas na bolsa é descobrir como fazer uma boa análise fundamentalista. Afinal, ela permite ao investidor entender a situação do negócio e basear melhor suas decisões na bolsa. Então continue a leitura e aprenda a fazer uma análise fundamentalista de ações eficiente!

O que é a análise fundamentalista de ações?

A análise fundamentalista parte do conceito de fundamentos, que são indicadores que mostram a saúde financeira de uma companhia, assim como outros aspectos importantes. Por exemplo, sua participação no mercado, a qualidade da sua gestão, etc.

Todos são pontos essenciais para as decisões de sociedade. Afinal, se você fosse convidado para se tornar um dos sócios principais de um negócio teria que avaliar as possibilidades e os riscos inerentes a ele, não é mesmo?

O investimento em ações também deve ser visto dessa forma. Ainda que a quantidade de papéis comprados não garanta a você uma participação majoritária, o retorno obtido com os investimentos depende da saúde da empresa.

O lucro do investidor com as ações pode se dar tanto com o recebimento de proventos quanto com a valorização do preço dos papéis.

No primeiro caso, trata-se da divisão de parte dos lucros da empresa e distribuição entre os acionistas. Logo, o negócio precisa ser sólido e ter resultados positivos para lhe dar dinheiro.

No caso da valorização das ações a lógica é parecida. Se você pensa em lucrar com a venda dos papéis no futuro, é preciso escolher companhias que ofereçam expectativas positivas. Caso ela enfrente problemas ao longo do tempo, a tendência é que os papéis se desvalorize.

Portanto, saber como fazer uma análise fundamentalista eficiente proporciona um melhor manejo de riscos e aumenta suas chances de sucesso. A estratégia de avaliar empresas, inclusive, foi e ainda é defendida por grandes investidores – como Benjamin Graham e Warren Buffett.

Como fazer análise fundamentalista?

Um dos principais objetivos da análise fundamentalista é avaliar o presente e as perspectivas de futuro da empresa para encontrar oportunidades na compra de ações. Para isso, um aspecto é central: a informação.

A avaliação dos fundamentos consiste em buscar dados sobre as companhias listadas na bolsa e refletir sobre eles — tanto individualmente como em conjunto. Assim, pode-se saber mais sobre o desempenho do negócio e fazer previsões sobre o comportamento dele no longo prazo.

Ficou claro até aqui? Então veja a seguir quais são os passos essenciais para entender como fazer uma análise fundamentalista eficiente e encontrar boas oportunidades de investimento na renda variável:

Conhecer os principais fundamentos

Existem diversos fundamentos que merecem a atenção dos investidores. Como expliquei, eles envolvem tanto a realidade financeira da empresa quanto seus aspectos de gestão – e também fatores relacionados ao mercado e à economia de maneira mais ampla.

Ou seja, não é recomendado analisar somente a empresa, de maneira isolada. Afinal, ela faz parte de determinado setor, está exposta a riscos e possibilidades da economia nacional e internacional, etc.

Nesse sentido, os fundamentos podem ser quantitativos ou qualitativos – e você precisa entendê-los para fazer uma análise mais adequada.

Qualitativos

Os qualitativos dizem respeito a evidências que não são medidas, necessariamente, em números. Um exemplo é a qualidade da gestão, que pode ser percebida pela transparência de informações e pela reputação da empresa no mercado, por exemplo.

Quantitativos

Já os quantitativos indicam fundamentos numéricos — especialmente úteis para avaliação da saúde financeira e dos resultados do negócio. Alguns exemplos são:

  • A receita e o lucro da empresa: mostram como o negócio vem se comportando e lucrando nos últimos anos;
  • O valor intrínseco: avalia o valor da empresa e projeta qual seria o preço justo da ação para refleti-lo;
  • O Preço/Valor Patrimonial: cálculo que mostra a relação do preço de mercado da ação em relação ao seu patrimônio;
  • O ROE: taxa de retorno de investimento dos acionistas;
  • O Dividend Yeld: a quantidade (em percentual) de dividendos pagos em relação ao preço da ação.

Acompanhar informações sobre as empresas

Uma vez que você conheça os principais fundamentos da empresa, e eleja aqueles que usará para realizar sua análise fundamentalista, um cuidado indispensável é acompanhar as informações sobre as companhias que despertam seu interesse.

Afinal, os dados que proporcionam a análise partem das informações compartilhadas pelo negócio e das notícias que envolvem a empresa e/ou o seu setor. Em relação aos fundamentos quantitativos, você deve ficar atento às análises contábeis.

As empresas de capital aberto devem divulgar seus balanços para informar investidores e interessados — geralmente, a divulgação acontece trimestralmente. Dois documentos essenciais são o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Ao acompanhar os dados relevantes sobre as empresas, fique atento e busque fazer uma avaliação histórica dos negócios. Não é indicado considerar apenas o último trimestre ou mesmo o último ano. O ideal é ter um histórico amplo para saber como a companhia vem se comportando ao longo dos anos.

Comparar empresas do mesmo setor

Outro ponto importante é se atentar à comparação entre companhias. Ao avaliar as informações de dois ou mais negócios de seu interesse, você deve considerar empresas de um mesmo setor.

Do contrário, há o risco de ter resultados sem fidedignidade, já que os dados comparados não terão relação entre si.

Entender o ambiente macroeconômico

Todos os resultados de uma companhia têm relação também com o ambiente macroeconômico — do Brasil e do mundo. Afinal, diversos acontecimentos internacionais impactam negócios brasileiros.

Assim, vale a pena acompanhar notícias sobre:

  • O PIB atual e as expectativas em relação a ele;
  • A taxa de renda e desemprego no país;
  • Os índices de inflação e o poder de compra da população;
  • A taxa de juros nacional e a taxa de câmbio com moedas relevantes;
  • A competitividade da empresa no mercado nacional e global;
  • O crescimento do setor no qual a empresa se insere.

Contar com suporte de especialistas

Como você pode ver, a tarefa de realizar uma análise fundamentalista de ações é bastante complexa, já que são muitos detalhes envolvidos na hora de descobrir como avaliar um papel.

Por isso, a última dica para analisar os fundamentos das companhias com eficiência é contar com suporte de profissionais especializados no assunto.

Quem contrata o produto Invista em Ações, oferecido pela Captalizo, por exemplo, tem a vantagem de encontrar as informações fundamentalista reunidas de maneira simples e muito mais prática para o investidor.

Desta forma, fica muito mais fácil não apenas fazer uma análise fundamentalista muito mais eficiente, como também contar com recomendações de especialista acerca das melhores ações disponíveis no mercado.  

Assim, você se sentirá muito mais seguro ao tomar suas decisões de longo prazo na bolsa e fará bons investimentos no mercado financeiro!

Quer começar a construir uma carteira muito mais sólida a partir de agora? Então contrate o produto Invista em Ações. Assim você tem acesso a Carteiras de Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy & Hold Raíz, Ações Internacionais e recomendações de Fundos de Ações.

Além disso, toda semana são enviadas atualizações das melhores ações, como aviso de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e semestrais para incrementar sua carteira de ações e impulsionar seu patrimônio!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

ETF: saiba o que é e como funciona

A maioria dos investidores já deve, no mínimo, ter ouvido a respeito de ETFs, sendo estes uma forma de realizar seus investimentos no mercado de capitais.

Em seu conceito, ETF é a abreviação, em inglês, para Exchange Traded Fund. Chamado também de “Fundo de Índice”, o ETF é um tipo de investimento que aloca seu capital em um conjunto pré-determinado de ativos.

De forma geral, um ETF assemelha-se a um fundo de investimento, podendo alocar seu dinheiro em uma “cesta” de commodities, títulos de renda fixa, ações índices de mercado, entre outros. Vale ressaltar, porém, que a grande maioria dos ETFs possuem uma gestão passiva seguindo uma metodologia pré-determinada.

Quais as vantagens dos ETFs?

Dentre as vantagens de realizar investimentos via ETF, destacamos: diversificação, facilidade e taxas reduzidas.

Como dito, um ETF é formado por um conjunto de ativos. Portanto, seu primeiro grande benefício está relacionado a diversificação. Ao se adquirir um ETF, o investidor acaba usufruindo da performance dos variados ativos que compõe o mesmo. Além do mais, a diversificação é uma das grandes aliadas na redução de riscos.

Quanto à facilidade, um ETF pode ser negociado facilmente no ambiente de bolsa de valores, como uma ação ou cota de fundo imobiliário, por exemplo. Portanto, com simples operações de compras e vendas de ETFs o investidor estará, de forma indireta, negociando grandes quantidades de ativos.

Por fim, vale ressaltar que os ETFs são administrados por companhias de gestão. Por isso, semelhantes aos fundos de investimento, nos ETFs também são cobradas taxas relativas a essa atividade gerencial, mesmo que passiva. As taxas, porém, costumam ser menores que as praticadas pela maioria dos fundos. Um ETF de ações, por exemplo, pode cobrar taxa de administração de 0,5% a.a., enquanto uma taxa de um fundo de investimento acionário é praticada atualmente em torno de 2,0% a.a.

Existem desvantagens ao se investir em ETF?

Sim, como em qualquer ativo mobiliário. Uma das grandes desvantagens dos ETFs refere-se ao fato dos investidores não deterem a gestão do portfólio que o compõe. Nele pode haver papéis que não agrade um determinado investidor, que acaba se vendo impotente diante da situação.

O fato dos ETFs cobrarem taxas pelas suas administrações também pode ser visto como uma desvantagem, uma vez que acaba por subtrair parte da rentabilidade gerada pelos ativos.

Por fim, para o investidor que deseja receber diretamente os proventos distribuídos pelos ativos, um ETF pode não ser uma boa opção, já que os ETFs não distribuem dividendos. Os rendimentos recebidos pelo ETF, a partir dos ativos que o compõe, são reinvestidos dentro do próprio ETF, seguindo sua metodologia pré-determinada.

Quais ETFs existem no Brasil?

Na bolsa brasileira existem, atualmente, mais de 15 ETFs listados. A grande maioria deles é composta por ETFs que investem em ações. No entanto, também há ETFs de títulos de renda fixa.

Dentre todos, destacam-se três: BOVA11, SMAL11 e IVVB11.

O BOVA11 é um ETF que replica o desempenho do índice Bovespa. Portanto, sua carteira é composta juntamente pelas ações das empresas integrantes do IBOV.

Semelhante ao anterior, o SMAL11 também busca retornos replicando um índice. Neste caso, no entanto, o índice é o SMLL. Assim, a carteira deste ETF é composta pelas ações de companhias Small Caps (baixa capitalização) que integram o índice citado.

Por fim, o IVVB11 é o ETF que replica o desempenho do índice americano S&P500, sendo este composto pelas 500 maiores empresas, em termos de valor de mercado, dos EUA.

Engana-se, porém, quem acredita que os ETFs são poucos comuns, dada a pouca quantidade destes no Brasil. Como argumento contrário a esta falácia, cabe citar que nos EUA, por exemplo, os ETFs representam aproximadamente 1/3 de todo volume de suas bolsas.

Quanto rende um ETF?

O gráfico abaixo apresenta o desempenho dos três ETFs citados acima desde maio de 2014:

Pelo gráfico, vemos que o BOVA11 obteve uma valorização de aproximadamente 125% no período citado. Já o SMAL11, ultrapassou este primeiro e valorizou 131%. Por fim, o IVVB11 obteve uma performance de mais de 479% até o momento.

Vale ressaltar que, pelo fato de refletir o desempenho de ações americanas, o IVVB11 também contabiliza os efeitos do câmbio ao se transferir os preços de Dólar para Real.

Por fim, cabe ressaltar que é necessário que o investidor entenda a fundo os ETFs antes de adquiri-los, sabendo avaliar quais os ativos o compõe, quais parâmetros influenciam suas performances e quais são seus riscos. O auxílio de profissionais e especialistas também pode se tornar fundamental antes de se realizar os investimentos.

Além disso, vale ressaltar que, apesar do ETFs serem boas opções de investimento, a escolha e montagem de carteira diretamente em ações pode trazer ainda mais ganhos no longo prazo.

Quer receber as melhores recomendações para montar sua carteira de longo prazo?

Com o Carteiras Capitalizo, você tem acesso a Carteira do próprio Tiago Prux, montada pelos analistas da Capitalizo. O portfólio do Tiago Prux busca reunir as modalidades e ativos (tanto nacionais quanto internacionais) em uma composição global que possa potencializar à rentabilidade com o passar do tempo. O objetivo da carteira é superar o Ibovespa e o Dow Jones no longo prazo.

Resultados

Desde abril de 2017, o portfólio pessoal do Tiago Prux já valorizou mais de 328% contra 90% do Ibovespa, 79% do S&P 500 e 23% do CDI no mesmo período!

Ao adquirir o Carteiras Capitalizo, você tem acesso a recomendações de:

  • Renda Fixa
  • Fundos de Investimentos
  • Fundos Imobiliários
  • 6 Carteiras de ações para longo prazo: crescimento, dividendos, small caps, top recomendadas, buy & hold raíz e internacional
  • 3 Carteiras Diversificadas para diferentes perfis
  • Carteira Tiago Prux
  • Carteira exclusiva de Criptoativos

Fique por dentro ainda dos avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

E mais!

Sendo cliente Capitalizo, você também:

✔ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento para tirar dúvidas por e-mail, WhatsApp e Telegram;
✔ Recebe materiais, e-books e relatórios exclusivos;
✔ Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes;
✔ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Stock Picking: você sabe como colocar em prática essa estratégia?

Há diversas formas de ganhar dinheiro na bolsa, podendo ser mais fácil quando há uma linha de raciocínio consciente. Falando nisso, você sabe o que é stock picking?

Ao contrário da gestão passiva, que visa acompanhar um determinado benchmark, o stock picking tem a característica de ser voltado para uma gestão ativa, a fim de obter resultados mais atrativos em relação aos indexadores do mercado.

Neste artigo, você entenderá melhor os princípios dessa estratégia, bem como as melhores dicas para aplicá-la na prática. Acompanhe a leitura e confira!

O que é stock picking?

Basicamente, investir em ações por meio de uma estratégia stock picking é selecionar papéis que podem superar a média do mercado, medida pelos mais variados índices.

A intenção é procurar, de forma individual, boas empresas com grande potencial de valorização e que estejam com preços considerados “descontados”.

Essa é uma tática avançada de investimentos que requer muito estudo e um acompanhamento apurado de cenários, a fim de aproveitar as melhores oportunidades.

Com disciplina e tempo para identificar as empresas de maior solidez no mercado, a tendência é que você consiga minimizar os riscos e fazer bons aportes.

Quais são os principais princípios do stock picking?

Toda linha de raciocínio de stock picking é baseada em focar no que há de melhor, mas dentro das condições ideais de preço, visando uma boa valorização do papel.

O princípio é obter ganho de capital com o negócio, portanto, comprar por uma ação como se fosse um carrinho de brinquedo e vender como se fosse uma Ferrari.

Parte do pressuposto também de verificar até onde a ação pode subir, para montar a estratégia de venda no momento exato e, com isso, obter o melhor lucro possível.

As estratégias utilizadas podem até variar conforme o seu perfil, mas uma coisa é certa: você precisa saber sobre análises fundamentalistas, técnicas e de valuation.

Será mesmo que vale a pena?

Talvez o maior dilema seja pensar se compensa investir individualmente nas companhias ou optar por uma gestão passiva, buscando ETFs ou mesmo fundos de ações.

Pois bem, desde que você tenha tempo, paciência, disciplina e comprometimento com os estudos sobre o mercado financeiro, pode-se montar uma carteira promissora.

No entanto, não podemos achar que só a nossa estratégia está certa, até porque lidamos também com investidores que têm mais recursos e experiência de mercado.

Em eventos considerados “cisnes negros”, como a pandemia que vivemos, toda estratégia é colocada à prova e pode ser que as técnicas tenham que ser repensadas.

Como adotar essa estratégia na prática?

Para adotar a estratégia de stock picking na prática, visando superar os principais indexadores, você precisa obedecer a alguns fatores para minimizar as falhas.

Tendo isso em vista, preparamos abaixo algumas dicas especiais para que compreenda melhor as possibilidades da bolsa e o que é necessário para negociar melhor.

Acompanhe o que acontece na economia 

Se você é uma pessoa que não liga muito para acompanhar as notícias nos telejornais ou mesmo na internet, melhor rever seus conceitos, pois isso pode fazer a diferença.

Ter um olhar atento ao ambiente macroeconômico e o desempenho do mercado de ações é uma tremenda vantagem, a fim de entender o porquê de algumas oscilações.

Leia bastante sobre a taxa de juros nacional, a taxa de câmbio, o PIB, os índices de desemprego, o nível de competitividade entre empresas nacionais e globais etc.

Além disso, acompanhar os desdobramentos políticos é algo que favorece as suas estratégias, especialmente quando há leis, decretos e projetos de grande destaque.

Estude sobre fundamentos qualitativos e quantitativos

Tornar-se sócio de uma companhia é entender como ela ganha dinheiro, ou seja, você deve esmiuçar os valores atrelados às receitas, ao endividamento e aos lucros.

Acompanhar os resultados das empresas no trimestre será quase como um mantra, uma vez que é possível comparar períodos e perceber se há uma oportunidade.

Para avaliar o potencial de crescimento, você deve observar como é o setor em que a empresa atua, identificando se ela é líder e quais são as suas estratégias competitivas.

Faça comparações entre empresas do mesmo setor, leia os fatos relevantes e entenda que cada índice fundamentalista não faz sentido sozinho, mas sim visto em conjunto.

Saiba comparar valor e preço

Assim como o famoso investidor Warren Buffett faz, estudar o valuation das empresas é algo de suma importância para visualizar oportunidades que outros não estão vendo.

Na prática, você deve verificar se o preço de uma ação hoje corresponde ao respectivo perfil de saúde financeira da empresa, projetando as verdadeiras barganhas da bolsa.

O valor de mercado de uma companhia diante dos acionistas pode ser observado não só pelo fluxo de caixa descontado, mas múltiplos como P/L, P/VPA, EV/Ebitda etc.

Ver o grau de endividamento de uma empresa também é útil, pois pode representar tanto a intenção de expandir o negócio quanto o surgimento de crises financeiras.

Monte uma carteira diversificada

Desenvolver uma carteira de ações é como montar um time de futebol, isto é, você não pode só escalar jogadores ofensivos, pois a defesa ficará muito exposta.

Sendo assim, a melhor tática para “ganhar o jogo” é equilibrar as posições e escolher o que é melhor dentro do conjunto da obra, visando o resultado positivo no final.

Independentemente se você optar por 10 ou 40 ações na carteira, saiba diversificar as alocações em empresas que podem proporcionar bons resultados a longo prazo.

Inclusive, dentro do segmento é possível diversificar ainda mais, ou seja, no setor de energia, por exemplo, pode-se optar por ações de geração, transmissão e distribuição.

Foque seus aportes no longo prazo

Por mais que os seus amigos traders mostrem gráficos atrativos e digam que ganham rios de dinheiro, ponha os pés no chão e veja o longo prazo como uma boa tática.

Empresas sólidas, com bons índices de governança corporativa e lucros expressivos não necessariamente serão tão voláteis, portanto, a valorização vem aos poucos.

Focar em gestões qualificadas, que prezam pela transparência e contam com inovações para prosperar ainda mais, faz com que você não seja pego de surpresa.

Quanto mais posições acionárias de boas empresas obtiver, maiores as chances de alcançar bons ganhos de capital e, talvez, receber proventos periódicos.

Um exemplo de oportunidade surgida foi a Tenda (TEND3), que hoje é uma das principais construtoras do país focada em empreendimentos econômicos como os do programa Minha Casa Minha Vida. Já acompanhávamos a empresa desde 2007, época em que ela enfrentou problemas. Após esse período, ela conseguiu se reestruturar e voltou para a bolsa de valores em 2017, com seu valor de mercado um pouco acima do que ela possuía em caixa. Isso proporcionava uma boa margem de segurança para a entrada no ativo. De lá para cá, as ações da empresa já valorizaram mais de 400%.

Por fim, perceba que o stock picking pode ser uma boa estratégia por inúmeros fatores, mas cabe a você identificar se terá tempo e paciência para estudar tudo isso com o real afinco que deve empregar.

Invista em Ações

Se você tem o objetivo de investir em ações na bolsa de valores sob a estratégia e o foco no longo prazo, seja visando a rentabilidade ou o recebimento de dividendos, o produto perfeito para você é o INVISTA EM AÇÕES.

Com ele, você conta com análises e recomendações para identificar boas empresas, aproveitar o potencial de valorização de seus ativos e acumular patrimônio utilizando a passagem do tempo a seu favor. É o auxílio que você precisa para construir e diversificar seu portfólio, investindo nas melhores companhias do Brasil e do Mundo.

O Invista em Ações traz as análises e recomendações de boas empresas e é dividido em seis carteiras recomendadas, cada uma visando um objetivo específico: Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy and Hold Raiz e Internacionais

Fique por dentro ainda dos avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

E mais: sendo cliente Capitalizo, você também:

Tem acesso total a nossa equipe de atendimento por e-mail, WhatsApp e Telegram
Recebe materiais, e-books e relatórios exclusivos
Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes
Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux

Nossos resultados

Confira, nas imagens abaixo, exemplos de algumas das nossas diversas carteiras recomendadas do produto Invista em Ações.

Na primeira, trazemos a rentabilidade da nossa Carteira Recomendada de Ações visando o Crescimento, portfólio de longo prazo que tem o objetivo de garimpar oportunidades nas melhores empresas do Brasil e do mundo com forte potencial de rentabilização. Ela valorizou, desde agosto de 2017, mais de 141%, contra 68% do Ibovespa e 50% do Dow Jones, no mesmo período!

Desde abril de 2018, a Carteira de Ações focada em Dividendos já valorizou, só em rentabilidade das ações que a compõem, mais de 106%! No gráfico abaixo, comparamos a valorização da carteira da Capitalizo com o Ibovespa e também com três dos principais fundos de investimentos focados em dividendos no mesmo período:

Já nossa Carteira Recomendada de empresas Internacionais já valorizou mais de 78% desde abril de 2020. Superando, no mesmo período, o Dow Jones, um dos principais indicadores da bolsa de valores norte-americana.

Quer ir em busca de rentabilidades como essa? Clique aqui e torne-se cliente Capitalizo agora mesmo!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Position Trade, Swing Trade, Day Trade e Scalping. Qual a diferença?

Position Trade, Swing Trade, Day Trade

Muitos investidores têm interesse em fazer operações na Bolsa de Valores com foco em especulação de curto prazo. Por isso, hoje falaremos a respeito dos principais tipos de operações que podemos realizar: Position Trade, Swing Trade, Day Trade e Scalping. Confira suas características e diferenças:

Position Trade

  • Operação de médio/longo prazo – pode durar entre uma semana até seis meses (em média);
  • Geralmente realizada por meio de um gráfico semanal, busca observar se o ativo tem histórico nesse período de tempo;
  • A montagem da operação e estratégia é realizada no início e/ou fechamento da semana;
  • Operação indicada para traders que possuem menos tempo para acompanhar o mercado;
  • A nossa estratégia de Position Trade é chamada de Rastreador de Tendências.

Swing Trade

  • Operação de curto prazo – pode durar de um dia até um mês (em média);
  • Na análise gráfica, a montagem da operação e estratégia é realizada no gráfico diário;
  • A montagem da operação e estratégia é realizada no início e/ou fechamento do dia;
  • Operação indicada para traders que podem acompanhar o mercado diariamente.

Day Trade

  • Operações que iniciam e encerram no mesmo dia;
  • Na análise gráfica, a montagem da operação e estratégia é realizada nos gráficos de 5 e 15 minutos;
  • A montagem da operação e estratégia é realizada durante o pregão;
  • Operação indicada para traders que podem acompanhar o mercado durante todo o pregão.

Scalping

  • Operações que iniciam e encerram no mesmo dia;
  • Na análise gráfica, a montagem da operação e estratégia é realizada nos gráficos de 1 e 2 minutos;
  • A montagem da operação e estratégia é realizada durante o pregão;
  • Operação indicada para traders que podem acompanhar o mercado durante todo o pregão. Normalmente, nesse tipo de operação, é utilizada a estratégia de tape reading.

Quer aprender mais?

Confira o vídeo do nosso analista Danillo Fratta: Position Trade, Swing Trade, Day Trade e Scalping. Qual a diferença?

Você quer receber as melhores recomendações de curto e médio prazos na Bolsa de Valores?

Conheça o Full Trader e tenha acesso ao produto mais completo do mercado para suas operações na Bolsa de Valores.

Receba de forma clara e objetiva recomendações de compra e venda de ativos, que serão acompanhadas pelo nosso time de analistas. Se está a procura por recomendações que utilizam estratégias sólidas, minimizando riscos e maximizando seus ganhos, esse é o produto recomendado para você. Seja você um trader iniciante ou com experiência.

Acesse agora as mais diferentes recomendações

Day Trade e Swing Trade em Ações

Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva)

Índice Futuro e Dólar

Opções

Long & Short

Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo e Milho Futuro

Criptoativos

Nossos resultados

Confira a rentabilidade acumulada das operações recomendadas da Capitalizo em Day Tradee, Swing Trade e Rastreador de Tendências:

Day Trade em Índice Futuro:

-Total acumulado (soma de pontos) desde Julho/2017:  + 181.480 pontos

-Percentual de recomendações com ganho desde Julho/2017: 58,50%

Entenda como funciona a estratégia de Day trade em Índice Futuro

 

Day Trade em Dólar

-Total acumulado (soma de pontos) desde Julho/2017:  + 4.671 pontos

-Percentual de recomendações com ganho desde Julho/2017: 60,08%

Entenda como funciona a estratégia de Day trade em Dólar Futuro

 

Day Trade em Ações

-Total acumulado (soma percentual) desde Outubro/2017:  + 777,75%

-Percentual de recomendações com ganho desde Outubro/2017: 59,64%

Entenda como funciona a estratégia de Day trade em Ações

 

Swing Trade (Ações)

-Ganho total acumulado desde Junho/2017: + 325,86%

-Percentual de recomendações com ganho desde Junho/2017: 56,32%

Entenda como funciona a estratégia Swing Trade

 

Rastreador de Tendências em Ações

-Ganho total acumulado desde Julho/2017: + 1.727,47%

-Percentual de recomendações com ganho desde Julho/2017: 77,63%

Entenda como funciona a estratégia do Rastreador de Tendências

 

Importante: O Produto Invista em Ações (recomendações de Longo Prazo) está incluso no Full Trader.

Clique aqui e torne-se um cliente Capitalizo agora mesmo!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

___

As rentabilidades dos instrumentos financeiros podem apresentar variações em seu preço ou valor. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos e taxas. O analista se exime da responsabilidade de qualquer prejuízo, direto ou indireto, que venham a ocorrer da utilização deste relatório ou conteúdo. Os descritivos das recomendações feitas, objeto de minuciosas análises de ativos para investimento, foram periodicamente publicados e estão devidamente registrados junto ao órgão regulador Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais). O investimento em ações é indicado para investidores com o perfil moderado e agressivo. Operações alavancadas em ações, em mercados de derivativos e opções podem gerar perdas superiores ao patrimônio do investidor. Pedimos atenção e cuidado com as operações alavancadas em ações (termo, aluguel, long&short, day-trade), opções e mercados futuros (Índice, Dólar, Boi Gordo, Milho, etc).

Aprenda a aplicar o seu dinheiro e formar uma reserva de emergência

Um dos grandes pilares da educação financeira é saber poupar dinheiro, sendo que manter uma reserva de emergência pode quebrar um enorme galho a curto prazo.

Ter o hábito de guardar parte do seu salário é algo que pode modificar a forma como lida com o dinheiro, de modo que consiga se planejar melhor, conquistar objetivos e se prevenir de problemas repentinos.

A seguir, veja o que deve levar em consideração ao estruturar sua reserva de emergência, bem como os ativos ideais para isso. Acompanhe a leitura e confira!

Em quais circunstâncias vale ter uma reserva de emergência?

Em uma analogia simples, a reserva de emergência pode ser entendida como uma espécie de seguro de carro, ou seja, você paga esperando não precisar usar tão cedo.

Investir de forma coerente é se precaver quanto aos imprevistos, de modo que tenha recursos para suprir situações que poderiam ser desesperadoras em outros contextos. 

O fator desemprego, por exemplo, é uma das circunstâncias que carecem da reserva de emergência, tendo em vista a dificuldade de se recolocar no mercado de trabalho.

Passar por episódios de doença na família também é algo que devemos nos preocupar, até mesmo se for necessária a compra de medicamentos de forma periódica.

Além disso, esse colchão de liquidez pode servir para cobrir despesas com mantimentos, dívidas inesperadas, reformas e manutenções, entre outros aspectos.

Quais são os fatores que devem ser levados em consideração?

Todavia, para que consiga escolher ativos que correspondam a sua necessidade de compor uma reserva de emergência, existem fatores que você deve ficar de olho.

Para que filtre melhor as suas opções, trouxemos abaixo algumas das informações mais relevantes na hora de poupar dinheiro para uma reserva e se preservar dos problemas.

Liquidez

O primeiro ponto é a liquidez dos investimentos, ou seja, em quanto tempo é possível transformar esse ativo em dinheiro, a fim de ter recursos disponíveis de forma rápida.

Tendo isso em vista, o ideal é focar em ativos de alta liquidez, especialmente aqueles com liquidação diária, pois podem ser resgatados a qualquer momento que precisar.

Com isso, você pode se programar melhor e retirar o valor investido sem ter que esperar muitos dias, o que pode fazer a diferença conforme a emergência em si.

Existem ativos que dispõe de prazos até 90 ou 180 dias também, que embora a liquidez não seja imediata, confere um prazo relativamente compreensível. 

Risco de Crédito 

Você deve levar em conta a questão do risco de crédito, que diz respeito à capacidade da instituição emissora honrar a dívida ou não com seus investidores. 

Por mais que títulos de renda fixa como CDB, RDB, LCI e LCA tenham a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), confira quem emitiu o ativo antes de investir.

Isto é, dê preferência aos bancos de renome no mercado, pois isso minimiza a possibilidade de a instituição ter problemas para honrar a dívida negociada contigo.

Mesmo que os bancos pequenos ofereçam taxas atrativas de retorno, mantenha os pés no chão e avalie bem os riscos inerentes à operação, diversificando se achar melhor.

Imposto de Renda e Taxas

Não poderíamos deixar de citar o tão famoso imposto de renda, pois é um dos pontos-chave na vida de qualquer investidor e que precisa ser apurado direitinho.

No caso de títulos públicos, títulos privados e fundos de investimento referenciados em DI/Selic, a cobrança de IR segue a tabela regressiva, ou seja: 

  • 22,5% para resgates até 180 dias;
  • 20% para resgates entre 181 dias a 360 dias;
  • 17,5% para resgates entre 361 a 720 dias;
  • 15% para resgates ocorridos depois de 720 dias.

Já no caso dos LCIs e LCAs, os investidores contam com a isenção de imposto de renda, porém há uma carência mínima de resgate de 90 dias.

Além disso, os títulos públicos são tarifados em 0,25% ao ano pela B3 e os fundos DI têm taxas administrativas que variam conforme as especificações do fundo.

Quais são as alternativas de aplicações financeiras no mercado?

A partir dos fatores mencionados nos tópicos anteriores, fica muito mais simples filtrar os investimentos que fazem mais sentido a sua jornada de poupar dinheiro.

Sendo assim, preparamos algumas dicas de classes de ativos de renda fixa que podem ser úteis em sua reserva de emergência e, ainda, ajudar na diversificação de carteira.

Tesouro Selic

Os títulos públicos são os primeiros investimentos que as pessoas costumam conhecer, sendo uma importante opção para montar uma reserva de emergência.

Por emprestar o seu dinheiro para o governo, esse tipo de investimento é considerado como “risk free”, afinal, a possibilidade de tomar “calote” do país é bem pequena.

O Tesouro Selic é um investimento de liquidez D+1, cuja taxa de retorno está atrelada à taxa básica de juros do país + um percentual de rentabilidade anual definido.

CDBs

No caso dos Certificados de Depósito Bancário, você emprestará seu dinheiro para a instituição de sua escolha, a fim de cobrir os recursos dos serviços bancários.

Por mais que haja diversas opções de CDBs por aí, dê a preferência àqueles que pagam, pelo menos, 100% do CDI e sejam emitidos por grandes bancos.

Com esse tipo de título a liquidez é imediata (D+0), sendo relevante para seu fluxo de caixa financeiro pessoal, de modo que consiga honrar contas de curto prazo. 

LCI e LCA

Já as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio são alternativas interessantes, mesmo que a liquidez não seja tão alta assim como os CDBs e títulos públicos.

O ideal é buscar letras de crédito que disponham de uma carência de 90 dias pelo menos, servindo de complemento aos investimentos de altíssima liquidez.

Filtre por ativos que tenham percentuais de retorno acima de 90%, lembrando sempre que eles não exigem cobrança de IR, o que representa uma grande vantagem.

Fundos de Renda Fixa

Os fundos de investimento também são uma excelente alternativa para você compor a sua reserva de emergência, principalmente aqueles referenciados em DI/Selic.

Esses tipos de aplicações contam com liquidez imediata e, normalmente, a taxa de administração costuma ser mais baixa do que os outros tipos de fundo.

Além disso, pensando em perfis conservadores, boa parte dos fundos DI apresentam riscos de baixo ou médio porte, o que proporciona maior segurança.

Podemos concluir que a reserva de emergência pode ser composta por classes de ativos diferentes de acordo com a liquidez, o risco de crédito e as taxas, sendo interessante mesclar dois ou mais ativos para diversificar a carteira.

Abaixo, você confere a rentabilidade das Carteiras Diversificadas da Capitalizo para diferentes perfis, desde outubro de 2017. Uma porcentagem de cada uma é composta por ativos de reserva de emergência. Compare o desempenho de cada frente ao CDI no mesmo período.

Nossas Recomendações

Se você quer saber do que essas carteiras acima são compostas e deseja ter a melhor experiência com recomendações e análises de todas as modalidades de investimentos (Renda Fixa, Fundos de Investimentos, Fundos Imobiliários e Renda Variável), então está mais do que na hora de se cadastrar no nosso produto Capitalizo Completo.

Com ele, você tem acesso a todos os produtos da Capitalizo com mais de 50% de desconto no valor total!

Adquirindo o Capitalizo Completo, você contará com:

TOP FUNDOS
– Recomendações dos melhores fundos de investimentos do mercado em Fundos de Renda Fixa, Fundos de Previdência, Fundos Internacionais, Fundos Multimercados, Fundos de Ações e Fundos Imobiliários.
– Análises e recomendações semanais dos principais fundos de investimentos do mercado
– Atualizações de quatro carteiras recomendadas com diferentes perfis: Conservadora, Moderada, Agressiva e de Fundos Imobiliários.

CARTEIRAS CAPITALIZO
– As melhores análises e recomendações de carteiras diversificadas de Renda Fixa, Fundos de Investimentos Ações e Criptoativos, além da carteira pessoal do próprio Tiago Prux, elaborada por nossos analistas.
– Atualizações mensais de carteiras para diferentes perfis: Conservadora, Moderada e Agressiva.

INVISTA EM AÇÕES
– Análises e recomendações para identificar boas empresas, aproveitar o potencial de valorização de seus ativos e acumular patrimônio com foco no longo prazo.
– Seis carteiras recomendadas, cada uma visando um objetivo específico: Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy & Hold Raíz e Ações Internacionais.
– Fica por dentro ainda dos avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

FULL TRADER

– As análises e recomendações de ativos para operações de curto e médio prazos: Day Trade, Swing Trade, e Position Trade em Ações, além de Índice Futuro e Dólar, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo e Milho Futuro.
– Sala do Pregão ao Vivo, onde você acompanha o mercado e as recomendações de operações dos nossos analistas em tempo real.
– Acesso ao Rastreador de Tendências, estratégia exclusiva da Capitalizo, que une as análises fundamentalista e técnica para identificar oportunidades na bolsa de valores.

Clique aqui e torne-se cliente da Capitalizo agora mesmo!

_

Lembre-se: sendo cliente Capitalizo e adquirindo qualquer um dos nossos produtos, você:

✅ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento por e-mail WhatsApp e Telegram
✅ Recebe materiais, ebooks e relatórios exclusivos
✅ Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes
✅ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux e Danillo Fratta

_

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no YouTube e inscreva-se.

Nova Carteira Recomendada na Capitalizo!

Quem já é cliente da Capitalizo já recebe muitas estratégias, carteiras e recomendações que podem ir desde a Renda Fixa, passando pelos Fundos de Investimentos, Fundos Imobiliários, ações, criptoativos e muito mais.

E temos mais uma novidade!

Agora, você pode seguir diretamente a carteira pessoal do próprio Tiago Prux, montada pelos analistas da Capitalizo.

A CARTEIRA TIAGO PRUX busca reunir as modalidades e ativos em uma composição que possa potencializar à rentabilidade com o passar do tempo. O objetivo da carteira é superar o Ibovespa e o Dow Jones no longo prazo.

E será que vale a pena acompanhar o portfólio do diretor da Capitalizo?

Resultados

A rentabilidade da Carteira Tiago Prux foi de mais do que 323% desde abril de 2017. No mesmo período, o Ibovespa, o principal indicador da bolsa de valores brasileira, subiu cerca 83%, enquanto o S&P 500 (um dos principais indicadores do mercado financeiro norte-americano) teve alta de somente 72,6%.

Então, o que está esperando para ir em busca de uma rentabilidade como essa para a sua própria carteira de investimentos?

Se você ainda não é cliente, clique aqui e adquira o Capitalizo Completo agora mesmo!

Com ele, além da Carteira Tiago Prux, você recebe análises e recomendações de:

 Renda Fixa
 Fundos de Investimentos e FII’s
 Carteiras diversificadas para todos os perfis
 Carteiras de ações para longo prazo: crescimento, dividendos, internacionais, small caps, top recomendadas e buy and hold raíz
 Operações de curto prazo: day trade e swing trade com ações, Rastreador de Tendências (estratégia exclusiva), opções, long & short, termo e aluguel de ações, boi gordo e milho futuro, índice futuro e Dólar
 Carteira Recomendada de Criptoativos

Clique aqui e torne-se cliente Capitalizo agora mesmo!

  E mais:

✅ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento para tirar dúvidas por e-mail, WhatsApp e Telegram
✅ Recebe materiais, e-books e relatórios exclusivos
✅ Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes
✅ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux e o Danillo Fratta.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fundos de ações: como escolher os melhores?

Montar uma carteira de investimentos eficiente é um desafio. Um dos fatores que torna o processo bastante complexo é a quantidade de alternativas que estão disponíveis para o investidor. Nem sempre é simples saber escolher as melhores.

Na renda variável, por exemplo, existe uma diversidade de escolhas entre ativos e derivativos. Além de poder aportar diretamente nas ações, também é possível investir por meio dos fundos de ações.

Abaixo segue o gráfico de rentabilidade do Fundo Dynamo, um dos fundos de ações que acompanhamos e é um dos mais tradicionais do mercado:

Em 2020, mesmo com o Ibovespa registrando alta de somente 2,92%, o Dynamo subiu 26,14%. No longo prazo a diferença é ainda maior. Desde sua criação, em 1996, o Dynamo sobe incríveis 36.046%, enquanto o Ibovespa 2.413%.

Mas, afinal, como encontrar os mais interessantes, assim como o Dynamo? Saiba que ter dúvida sobre o assunto é muito comum. Neste post, você terá ajuda para aprender a escolher os melhores fundos de ações para o seu portfólio. Acompanhe nossas dicas!

O que são fundos de ações?

Vale a pena começar retomando brevemente o que são os fundos de ações e algumas diferenças dentro do mesmo grupo. Como o nome indica, trata-se de fundos que mantêm o foco no mercado de ações.

Isso significa que a maior parte do portfólio do fundo deve estar alocada nos papéis negociados na bolsa de valores brasileira. Em alguns casos, os fundos também apresentam uma parcela do patrimônio ligado a ativos estrangeiros.

Como em todo fundo, os investidores adquirem cotas dessa modalidade de investimento e se submetem às decisões de um gestor profissional. A equipe de gestão ou administração é a responsável por fazer as escolhas em relação aos investimentos que compõem o portfólio do fundo de ações.

Ou seja, os cotistas não têm papel decisório acerca das ações que serão compradas ou vendidas – e nem mesmo da estratégia seguida pelo gestor. A entrada no fundo se dá exatamente para usufruir da experiência e dos conhecimentos de uma gestão profissional – além, é claro, de outros benefícios que este veículo de investimento oferece.

Então, o seu trabalho é escolher o melhor fundo para seu perfil e objetivos e continuar acompanhando as decisões da gestão para avaliar se são condizentes com o que você deseja na bolsa. Afinal, os seus lucros dependem do bom andamento das operações feitas pelo fundo.

Para quem os fundos de ações são adequados?

Por serem representantes de investimentos da renda variável, conhecida pelo risco e volatilidade maior, os fundos de ações são adequados para investidores que tenham maior abertura ao risco. Ou seja, conservadores provavelmente não têm perfil para eles.

De modo geral, os investidores moderados e arrojados são aqueles que encontram oportunidades adequadas para seu perfil entre os fundos de ações. Nesse sentido, vale a pena falar sobre uma diferença fundamental: os fundos de gestão passiva e os de gestão ativa.

Os fundos de gestão passiva costumam ser menos complexos, com poucas mudanças no portfólio porque visam acompanhar um indicador. Já os de gestão ativa têm perfil mais arrojado, pois o gestor realiza diversas operações no mercado – a fim de buscar uma rentabilidade maior.

Assim, os fundos de ações com gestão ativa talvez não sejam adequados para investidores moderados, que ainda não desejam se expor aos riscos de trades ou de derivativos, por exemplo. Mas isso depende das suas decisões para a carteira, ok?

Como permitem uma diversificação e contam com gestão profissional, os investidores com menor abertura ao risco podem também considerar interessante a ideia de fazer aportes menores em fundos de ações para iniciar uma exposição controlada aos riscos da bolsa.

Antes de decidir se os fundos são apropriados para você, entretanto, avalie seu perfil de investidor e os seus objetivos. Além disso, não deixe de conhecer e ponderar os riscos.

Como escolher os melhores fundos de ações?

Avaliando as informações trazidas até aqui, deve ficar mais fácil para você decidir se deve ou não aportar em fundos de ações, certo? Então, uma vez que tenha decidido fazer o investimento, como escolher os melhores fundos?

É importante se fazer esse questionamento. Pois, na realidade, existem diversos fundos de ações disponíveis e é necessário saber avaliar as principais opções no mercado – que podem ser bastante distintas entre si. 

Portanto, é preciso ficar atento a alguns critérios de escolha. Veja quais são:

Avaliar o prospecto do fundo

Um fundo de investimentos, seja de ações ou de outros tipos, sempre precisa apresentar suas informações básicas por meio de um prospecto. É a partir dele que os investidores conseguem conhecer a gestão e obter dados fundamentais para tomar sua decisão.

Um elemento central é o objetivo do fundo. No prospecto há uma apresentação das estratégias e objetivos do fundo — que pode ser, por exemplo, acompanhar um índice, focar em determinado setor ou superar a rentabilidade de um indicador, por exemplo.

Além disso, também é indispensável conhecer as políticas de investimento e as regras aos quais os cotistas precisam se submeter. Procure saber também dos prazos para solicitar resgate, o aporte mínimo, entre outras informações importantes.

Analisar os resultados históricos

Observar o histórico de um fundo é uma das atitudes mais importantes na hora de escolher os melhores fundos de ações. Mas fique consciente do fato de que a rentabilidade passada não garante ganhos futuros, certo?

O objetivo de avaliar os resultados históricos é saber como o fundo vem entregando resultados para os cotistas. Também é possível conferir a ação do gestor em diferentes momentos da economia — por exemplo, em períodos de baixa na bolsa.

Não caia no erro de avaliar apenas os últimos meses ou até o último ano. É sempre indicado acompanhar períodos maiores. De preferência, desde a criação do fundo – para ser capaz de perceber intervalos bons e ruins. 

Quer saber mais? Confira nosso ranking de fundos de ações.

Conhecer os custos

Mais um elemento que deve ser observado é o custo de investir em determinado fundo. Como apresentam gestão profissional, os fundos de ações cobram taxas para quem deseja investir. A principal é a taxa de administração.

Eles também podem ter outras cobranças, como taxas de performance quando os resultados batem seu benchmark – ou índice de referência. Os valores cobrados variam de acordo com cada fundo, então, você deve considerá-los na hora de escolher.

Lembre-se de que o intuito não deve ser de encontrar as taxas mais baratas. É preciso avaliar o custo-benefício. Reflita se o que é cobrado reflete a qualidade da gestão do fundo e os resultados que ele entrega.

Contar com análise profissional

Saber como escolher os melhores fundos de ações para investir não pareceu uma tarefa simples para você? De fato, ela não é. Encontrar boas opções para aportes demanda tempo, conhecimento e uma boa capacidade de análise para ter condições de identificar as opções mais interessantes.

Por isso, a última dica é contar com uma análise profissional. Existem analistas especializados em fundos de ações, que facilitam todo o processo de avaliação para você – entregando todas as informações que você precisa conhecer para a tomada de decisão.

E é isso que você tem pronto no nosso produto Top Fundos!

Com o TOP FUNDOS ele você conta com atualizações mensais de até quatro carteiras de investimentos, além de semanalmente receber as principais análises e recomendações dos melhores fundos de investimentos do mercado. O Top Fundos conta com uma seleção de carteiras dos melhores fundos de investimentos do mercado, dentre eles uma voltada exclusivamente para fundos de investimentos em ações!

Esta Carteira de Fundos de Ações é composta por fundos com diferentes estratégias, prazos de resgates e que priorizam o retorno no longo prazo. Seu objetivo é, no mínimo, superar o Ibovespa e o Dow Jones com o passar do tempo. Ela inclui fundos de ações (BDR’s e Internacionais), fundos de ações e dividendos, fundos de small e mid caps e fundos de fundos.

Rentabilidade da Capitalizo

Desde outubro de 2017, nossa Carteira Recomendada de Fundos de Investimentos em Ações já rendeu mais de 117%. Assim, ela foge da curva e se torna uma das carteiras mais rentáveis do Brasil, senão a mais rentável. No mesmo período, por exemplo, o desempenho do Ibovespa, o principal indicador da bolsa de valores brasileira, foi de cerca de 56%. Já o Dow Jones, um dos principais índices do mercado de capitais norte-americano foi de pouco mais de 41%. A nossa carteira, portanto, atinge, nesse momento, mais do que o dobro do IBOV e supera de longe o DIJA.

Conte você também com essa e muitas outras carteiras vencedoras!

Clique aqui para saber mais ou adquirir agora mesmo o Top Fundos!

Lembre-se! Adquirindo o Carteiras Capitalizo, você tem acesso ao Top Fundos e também ao Invista em Ações, produto que traz as análises e recomendações de boas empresas visando a rentabilidade no longo, dividido em seis carteiras recomendadas de ações diretas, cada uma com um objetivo específico: Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy and Hold Raiz e Internacionais

E mais! Sendo cliente Capitalizo, você:

✅ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento para tirar dúvidas por e-mail, WhatsApp e Telegram
✅ Recebe materiais, ebooks e relatórios exclusivos
✅ Pode solicitar uma análise da sua carteira de investimentos já existente
✅ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux

Acesse agora e conheça os melhores gestores do Brasil e do Mundo, e saiba como investir nos mais rentáveis Fundos de Renda Fixa, Fundos de Previdência, Fundos Internacionais, Fundos Multimercados, Fundos de Ações e Fundos Imobiliários.

Tem alguma dúvida sobre o produto? Então entre em contato conosco e fale com a gente!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Mini índice: como operar e ganhar dinheiro na bolsa?

Embora o número de investidores na bolsa de valores tenha aumentado consideravelmente nos últimos anos, o Brasil ainda tem uma parcela muito pequena da população ganhando dinheiro com a renda variável. Especialmente quando comparamos com outros países, como os Estados Unidos.

Um dos motivos para isso pode estar relacionado com o mito de que a bolsa de valores não é acessível, seja para investidores ou especuladores – o que não é verdade. É sim possível realizar investimentos e operações de especulação com pouco capital. E uma das formas de se fazer isso é aprendendo como operar mini índice.

Quer entender melhor sobre o que são e como operar este tipo de derivativo no mercado – e impulsionar seus ganhos na bolsa de valores? Então me acompanhe nesta leitura!

O que são mini contratos?

Antes de falar do mini índice, é preciso contextualizar em que ambiente ele é negociado na bolsa de valores. Ele faz parte do chamado mercado futuro, que se diferencia do mercado à vista (onde se operam ações e cotas de fundos imobiliários, por exemplo).

No mercado à vista, as operações de compra e venda de ativos, envolvendo duas partes, são efetivadas no momento presente. Assim, mesmo que haja um prazo para liquidação destas operações, o negócio entre as partes envolvidas é iniciado e concluído ao mesmo tempo.

Já no mercado futuro são negociados derivativos — contratos que derivam de outros ativos, cujos valores variam durante um determinado período, visando a liquidação (física ou apenas financeira) em uma data futura. 

Para especular com contratos cheios no mercado futuro, é comum que seja necessário dispor de uma alta quantia financeira. E foi justamente visando tornar este ambiente mais acessível a pequenos investidores que surgiram, em 2001, os mini contratos. 

Eles são variações dos contratos cheios, permitindo que sejam fomentados acordos de compra e venda entre as partes envolvidas a partir de um menor capital – ou margem de garantia – dos especuladores. 

O que é contrato mini índice?

Depois de entender um pouco sobre o mercado futuro e sobre contratos cheios e mini contratos, é hora de saber mais detalhes do mini índice. Trata-se de um mini contrato que visa negociar movimentos do Índice Ibovespa (IBOV) considerando datas futuras.

Este é, portanto, um derivativo que está ligado ao principal índice da bolsa de valores — que acompanha as cotações dos papéis de empresas mais negociadas no mercado brasileiro. Assim, quem opera com mini índice realiza negociações envolvendo a projeção de pontuação futura do IBOV.

Isso significa que o investidor ou especulador está operando movido pela sua expectativa de que o índice suba ou desça – alcançando um determinado patamar – até a data estabelecida no contrato. O objetivo é lucrar com estas movimentações do índice no curto prazo.

O mini índice pode ser identificado no home broker pelo ticker que se inicia com a sigla WIN. Além disso, há uma letra que representa o mês de vencimento do contrato no futuro — e o ano correspondente a ele.

Os meses são identificados pelas seguintes letras, com vencimento de 2 em 2 meses:

Mês Código
Fevereiro G
Abril J
Junho M
Agosto Q
Outubro V
Dezembro Z

Como o mini índice funciona?

Como você já sabe, a pontuação futura do Índice Ibovespa pode ser negociada tanto por contratos cheios quanto por contratos de mini índice, certo? 

O diferencial entre eles é que os últimos são mais acessíveis a pequenos especuladores – tanto em relação ao montante disponível para operação quanto aos custos envolvidos. Agora, é o momento de entender como o mini índice funciona na prática.

Operando mini índice na prática

Você certamente já ouviu falar sobre a pontuação do índice Ibovespa. Por exemplo, quando se diz que o Ibovespa fechou em alta ou queda – em um patamar específico de pontuação. 

Isso ocorre porque o IBOV oscila ao longo do tempo e as oscilações são representadas por pontos.  E quem opera com mini índice terá ganhos ou prejuízos com estas variações.

A variação do mini índice é de R$ 0,20 para cada ponto de variação do IBOV – seja de lucro ou prejuízo. E a movimentação mínima ocorre de 5 em 5 pontos. Então, o especulador calcula seus ganhos – ou perdas – multiplicando o valor pela quantidade de pontos e pela quantidade de contratos. 

Para entender o funcionamento do mini índice na prática, imagine uma situação na qual um especulador negociou mini índice quando o IBOV estava a 75 mil pontos. Se a expectativa do investidor era de avanço no índice até a data de vencimento do contrato e o mesmo, de fato, subir – por exemplo, para 80 mil pontos, haverá ganhos.

Mas é importante estar atento para a possibilidade de o mercado não se comportar como o esperado. O mercado futuro apresenta alta volatilidade e, portanto, pode causar prejuízos aos especuladores.

Vale destacar também uma particularidade de se especular em mini índice: neste caso, não é necessário realizar a compra ou venda de ativos. É estabelecida uma margem de garantia para a operação e você tem a oportunidade de ganhar com as oscilações no preço. 

Também é possível contar com a alavancagem em suas operações – fazendo uso de mais dinheiro do que se tem em caixa para negociar mini índices e potencializar eventuais lucros.

Como operar mini índice?

Se você tem interesse em negociar contratos de mini índice é preciso, em primeiro lugar, aprender como o mercado funciona e como o derivativo costuma se comportar. E uma das questões mais importantes a se observar, neste caso, é a alta liquidez destes contratos.

A liquidez do mercado futuro é um dos motivos pelos quais especuladores optam pelas operações em mini índice. Afinal, o movimento do mercado é grande e a negociação de altos volumes por dia facilita a tarefa de encontrar compradores e vendedores dos mini contratos.

De maneira geral, o funcionamento do mini índice é bastante simples – fazendo com que se torne fácil aprender a operá-lo. Para fazer suas operações, basta identificar o ticker do contrato que você deseja (tenha atenção com a data de vencimento) e negociar de forma rápida pelo home broker.

No mini índice, é possível escolher entre esperar a data de vencimento do contrato e realizar a compra ou venda combinada ou realizar especulação neste período. A especulação se dá vendendo seu contrato antes do vencimento.

Além da especulação, o mini índice pode ser utilizado também como estratégia de proteção (hedge). Por exemplo, em uma situação de possível queda no IBOV no futuro você pode utilizar os mini contratos para proteger sua carteira de investimentos em ações – reduzindo os riscos.

Quando vale a pena operar mini índice?

Por fazer parte de um ambiente especulativo, o mini índice é mais adequado para investidores de perfil agressivo, que desejem se expor a riscos maiores em busca de rentabilidade no curto prazo. Afinal, a bolsa passa por oscilações frequentes – especialmente em períodos mais curtos, e o especulador está exposto a elas.

Operar mini contratos também pode fazer bastante sentido para investidores que desejam seguir uma estratégia de proteção para seu portfólio de ações.

Mas vale reforçar que, seja para especulação ou hedge, para saber se – e quando – o mercado futuro é adequado para você é essencial conhecê-lo antes de fazer suas operações. E, claro, avaliar seus objetivos dentro da bolsa antes negociar o derivativo.

Além disso, contar com apoio de uma equipe especializada para lhe trazer as melhores recomendações – e oportunidades – para fazer suas operações pode fazer grande diferença nos seus ganhos. Por isso, produtos como o Full Trader, da Capitalizo, podem ser decisivos para o seu sucesso na bolsa de valores.

Quer auxílio para operar nessas modalidades? Então conheça o Full Trader, o produto mais completo do mercado para recomendações de ativos na Bolsa de Valores. 

No nosso produto Full Trader, você acompanha em tempo real, em uma sala ao vivo, as recomendações dos analistas que, durante todo o pregão, passam os melhores pontos de compra e venda. Além das operações com Mini Contratos e Dólar Futuro, você também pode acompanhar as recomendações em Day Trade e Swing Trade de Ações, Rastreador de Tendências (Estratégia Exclusiva), Índice Futuro, Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações, Boi Gordo e Milho Futuro.

Além das recomendações de compra e venda de ativos acompanhadas pelo nosso time de analistas via app, Telegram e Painel do Trader, adquirindo o Full Trader, você também tem acesso ao produto Invista em Ações, focado em análises e recomendações de ações para longo prazo na bolsa de valores. Com ele, você conta com seis tipos de Carteiras de Investimento, cada uma focada em um objetivo específico: Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy & Hold Raiz e Ações Internacionais.

Fique por dentro ainda dos avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

Lembre-se: sendo cliente Capitalizo e adquirindo qualquer um dos nossos produtos, você também:

✅ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento por e-mail, WhatsApp e Telegram
✅ Recebe materiais, e-books e relatórios exclusivos
✅ Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes
✅ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux e o Danillo Fratta.

Resultados das operações de Day Trade com Índice Futuro

  • Desde 2017

Total acumulado: + 150.880 pontos

Percentual de recomendações com ganhos: 58,91%

  • Últimos 12 meses:

Total acumulado: + 56.550 pontos

Operações com ganho: 57,33%

Se você deseja impulsionar suas possibilidades de ganhar dinheiro na renda variável – seja como scalper trader ou não, conheça agora mesmo todos os produtos que a Capitalizo pode lhe oferecer. E, em caso de dúvidas sobre o melhor produto para você, entre em contato conosco!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795
Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855
Roberto Martins de Castro Neto, CNPI EM-2423

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Milho Futuro: Saiba como operar

Milho Futuro

Hoje veremos como funciona e como é possível operar o contrato de Milho Futuro

O contrato de Milho Futuro

O milho é usado pela indústria para produzir diversos produtos como o óleo vegetal, o farelo, a farinha, o fubá e o creme para o setor alimentício.

Como a produção de milho no Brasil conta com diferentes locais de cultivo, a produção garante a oferta em boa parte do ano. No entanto, grande parte das negociações acontece nos períodos de safra e entressafra.

O contrato foi desenvolvido com o objetivo de ser uma ferramenta para a gestão do risco de oscilação de preço, sendo utilizado pelos participantes do mercado, como o produtor, a indústria, tradings, entre outros.

Características

Código de negociação: CCM

Tamanho do contrato: 450 sacas de 60kg líquidos

Cotação: R$ por saca

Volume do contrato: última cotação x 450

Variação mínima: R$0,01

Meses de vencimento: janeiro, março, maio, julho, agosto, setembro e novembro

Códigos meses de vencimento: janeiro (F), março (H), maio (K), julho (N), agosto (Q), setembro (U) e novembro (X)

Dia de vencimento: dia 15 do mês de vencimento. Caso não haja sessão de negociação, a data de vencimento será a próxima sessão de negociação

Tipos de Operações

Apesar da boa liquidez, não utilizamos os contratos de Milho em recomendações Day Trade. O mais comum é recomendarmos operações nesse tipo de contrato em recomendações Swing Trade – tanto na “ponta comprada” quanto na “ponta vendida”.

Além disso, é possível operar contratos de milho usando apenas uma margem de garantia. Dessa forma, o investidor com perfil mais agressivo pode operar de forma alavancada.

Vale a pena comentar também que, como o contrato tem vencimento e o preço desse vencimento é o mercado físico de Milho, é possível perceber que a volatilidade é menor do que no mercado de ações, por exemplo.

Abaixo segue uma das recomendações em milho futuro (CCMK21), enviada aos nossos clientes, além de outra de boi gordo (BGIK21). Confira como essas operações aparecem na plataforma dos nossos cliente e veja alguns dos nossos resultados nesta modalidade.

Quando enviamos uma operação, você visualiza o tipo (compra ou venda), o código para buscar no seu home broker, a data de início e o preço de entrada da operação, a eventual redução de posição e seu preço, o stop, o preço de saída, além da cotação atual do ativo e seu percentual de ganho.

A operação em (Boi Gordo BGIK21) está com rentabilidade atual de 1,78%. Já a de Milho Futuro (CCMK21) valoriza, até agora, 6,15%. Ambas estão em andamento.

Vale lembrar que as recomendações de Milho são enviadas pelo nosso APP, Telegram e Painel do Trader. Todos os pontos são passados e monitorados e você precisa apenas colocar as ordens na sua corretora. Conte com a Capitalizo para fazer suas operações em Milho Futuro.

Conheça o Full Trader e receba as melhores recomendações de curto, médio e longo prazos na Bolsa de Valores

Full Trader é o produto mais completo do mercado para suas operações na Bolsa de Valores. Adquirindo, você recebe:

  • Recomendações de compra e venda de ativos acompanhadas pelo nosso time de analistas via App, Telegram e Painel do Trader;
  • Acesso ao nosso pregão ao vivo exclusivo para operações Day Trade;
  • Contato direto com nossa equipe via  WhatsApp, Telegram, Telefone e E-mail;
  • Recomendações e análises em tempo real de operações Day Trade (Índice, Dólar e Ações), Swing Trade (Ações, Milho e Boi), Position Trade em Ações, Rastreador de Tendências (Estratégia Exclusiva), Opções, Long&Short, Termo e Aluguel de Ações.
  • Acesso ao produto Invista em Ações e as nossas recomendações de Longo Prazo (Carteiras Recomendadas, Ações no Exterior e Fundos de Ações).

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no YouTube e inscreva-se.

As rentabilidades dos instrumentos financeiros podem apresentar variações em seu preço ou valor. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos e taxas. O analista se exime da responsabilidade de qualquer prejuízo, direto ou indireto, que venham a ocorrer da utilização deste relatório ou conteúdo. Os descritivos das recomendações feitas, objeto de minuciosas análises de ativos para investimento, foram periodicamente publicados e estão devidamente registrados junto ao órgão regulador Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais). O investimento em ações é indicado para investidores com o perfil moderado e agressivo. Operações alavancadas em ações, em mercados de derivativos e opções podem gerar perdas superiores ao patrimônio do investidor. Pedimos atenção e cuidado com as operações alavancadas em ações (termo, aluguel, long&short, day-trade), opções e mercados futuros (Índice, Dólar, Boi Gordo, Milho, etc).

 

Receba nossos relatórios Grátis