Compartilhe

Banco ABC ABCB4 - Melhores ações para acompanhar em 2018

Antes de falar do Banco ABC ABCB4, vamos comentar a respeito de outro banco que gostamos muito. Quem nos acompanha, ou é nosso cliente, sabe o quanto admiramos o Banco Itaú (ITUB4), mesmo que seja com exposição por ITAÚSA (ITSA4). Para saber mais sobre a ITAÚSA, confira o nosso artigo ‘’Ações para ficar de olho em 2018 #3 - ITSA4’’.

O Itaú é hoje um dos (se não o mais) bancos mais rentáveis do planeta. Uma verdadeira ‘’máquina de fazer dinheiro’’.

O ano de 2017 foi especial para o banco e para seus acionistas. O lucro cresceu 10%, em relação a 2016, e atingiu R$24 bilhões. E, mesmo com a economia ainda em recuperação e a população endividada, o banco conseguiu diminuir a inadimplência, demostrando qualidade na gestão da carteira de crédito:

Além disso, em 2017, aconteceu a aquisição das operações de varejo do Citibank. Com isso, o banco ganhou mais R$8,6 bilhões em ativos, R$4,8 bilhões em depósitos e uma carteira com quase 300 mil clientes. Lembrando que a carteira de crédito do banco atingiu quase R$565 bilhões no ano passado.

Se não bastasse tudo isso, o Itaú anunciou o maior pagamento de dividendos da história, de uma empresa brasileira. Nada menos do que R$17,6 bilhões, uma alta de 75,6% em relação a 2016.

Apesar de gostarmos muito do case do Itaú, sabemos que dificilmente o banco terá o crescimento que teve nos últimos anos, mesmo sendo, cada vez mais, uma ‘’vaca leiteira’’, com excelente distribuição de lucros.

Bancos médios em foco

Se bancos como o Itaú podem se transformar em ativos interessantes muito mais em função do pagamento de dividendos do que em função do crescimento, pergunto: onde estarão as boas oportunidades no setor?

Além de Banco do Brasil (BBAS3), que havíamos citado no artigo ‘’Como aproveitar a onda de privatizações?’’, entendemos que existem oportunidades nos bancos médios.

Bancos com a musculatura do Itaú souberam, como vimos, manter suas margens em tempos de crise. Bancos menores, porém, espremidos entre o aumento do modelo digital e o acesso a captações mais baratas dos grandes bancos, se viram aceitando operações mais arriscadas. O resultado disso foi o aumento da inadimplência e a piora dos resultados.

Para se ter uma ideia, o retorno sobre o patrimônio (ROE) de 33 bancos médios, caiu de 12,1% de 2014 para 10,2% no final de 2017.

A saída dos bancos médios foi a segmentação mais definida. O Banco do Paraná, por exemplo, apostou no crédito consignado. O Banco Pan, por sua vez, concentrou-se em linhas de crédito para pessoa física. O Daycoval atuou mais em financiamentos a empresas, consignados e veículos.

O resultado alcançado foi uma melhora substancial nos resultados. Combinados, seis dos principais bancos médios (Pine, Paraná, Banrisul, Daycoval, Banco Pan e ABC Brasil), tiveram lucro de 1,97 bilhão em 2017. Uma alta de 44,6% em relação a 2016.

Os resultados, porém, não foram suficientes para ‘’tirar a diferença’’ para os grandes. O ROE apresentado pelo Itaú, por exemplo, foi de 16,4%, enquanto o banco ABC registrou 12,7%. Já bancos como Indusval e Pine, deram prejuízo em 2017.

Qual caminho esses bancos devem tomar?

Observando o setor dos bancos médios, podemos perceber que aqueles que se especializaram conseguiram melhorar seus resultados. Porém, isso não foi e não será garantia de que esses bancos possam continuar melhorando de forma consistente.

Além disso, por mais que os bancos se especializem, não é sustentável uma quantidade tão grande de bancos médios. Ainda mais levando em conta o modelo concentrando no Brasil. Dessa forma, temos dois caminhos:

1 – Aumentar a rentabilidade e crescer por contra própria, ou;

2 – Ser comprado por outro banco (que pode ser tanto um banco brasileiro como do exterior).

O Banco ABC Brasil (ABCB4)

O Banco ABC Brasil (ABCB4) foi a nossa escolha, tanto como possível alvo de compra como pelo fato de ser um player que possa ajudar a consolidar o mercado. Por se tratar de uma small cap, entendemos que é um ativo com forte potencial de valorização. Abaixo, segue uma breve análise e apresentação do Banco ABC:

Breve histórico

O ABC Brasil S.A. é um banco múltiplo que iniciou suas atividades em 1989 através de uma joint venture do Grupo Roberto Marinho e do Arab Banking Corporation. Desde então, o banco construiu uma sólida base de clientes no segmento Corporate.

Em 1997, o Arab Banking Corporation comprou a participação acionária do Grupo Roberto Marinho, tornando-se o acionista controlador. Em 2007, foi realizada a oferta pública inicial de ações do Banco ABC Brasil, que passou a ser listado no Nível 2 de governança corporativa da B3.

Presença

O banco tem presença em 14 cidades, com forte atuação na região sudeste:

Resultados de 2017

O Lucro Líquido Recorrente atingiu R$433,0 milhões em 2017, alta de 5,4% em relação a 2016. No quarto trimestre de 2017 o lucro foi de R$ 110,6 milhões, aumento de 6,2% em relação ao trimestre anterior e de 1,9% em relação ao mesmo período de 2016:

O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente foi de 14,0% a.a. em 2017, redução de 1,2 p.p. em relação a 2016. No quarto trimestre de 2017 o ROAE foi de 13,6% a.a., aumento de 0,3 p.p. em relação ao trimestre anterior e redução de 1,6 p.p. comparado com o quarto trimestre de 2016:

 

O banco possui ratings elevados das três principais agências do mercado:

A Carteira de Crédito Expandida encerrou dezembro de 2017 com saldo de R$ 24,5 bilhões, crescendo 6,6% no trimestre e 8,1% em 12 meses. Além disso, o banco apresenta forte crescimento da Carteira de Crédito nos últimos anos:

Desempenho das ações ABCB4

Em 2017, as ações ABCB4 subiram pouco mais de 33%. Em 2018, a alta é de 9,80% (bem abaixo das ações dos grandes bancos, como ITUB4 +22,63% ou SANB11 +22%). Desde 2007, quando estrearam na B3, as ações ABCB4 tiveram alta de 180%, contra pouco mais de 60% do Ibovespa:

Conclusão

Como vimos, o banco ABC é extremamente sólido e rentável. Sendo assim, é a nossa escolha para captar uma melhora nos bancos médios, assim como pela possibilidade de consolidação do setor. O banco pode, inclusive, contribuir com este movimento através da aquisição de outros bancos.

Como fazer para saber o momento a compra de ABCB4?

No caso das ações ABCB4, ainda não recomendamos a compra das mesmas. Estamos aguardando a entrada do fluxo de compra para indicar o exato momento da operação. Os clientes do nosso produto FULL TRADER receberão, no momento da compra, o aviso da recomendação.

Para conhecer o Full Trader e receber, além da recomendação em ABCB4, as melhores análises e recomendações do mercado, clique aqui.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Importante: Vale ressaltar que cliente Capitalizo tem acesso ao histórico de todas as recomendações através do nosso portal. 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo consultoria, análises e recomendações de investimentos.

Compartilhe

Capitalizo Consultoria Financeira – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis