Compartilhe

Juros e dólar em alta - Como aproveitar esse cenário?

O cenário de juros e dólar em alta também pode apresentar oportunidades. Hoje vamos falar a respeito de investimentos que se beneficiam com a alta da moeda americana e com a expectativa de juros crescentes nos próximos meses/anos.

Um deles é um Fundo de Investimento de Renda Fixa e os outros, ações negociadas na bolsa.

Fundos de Renda Fixa Crédito Privado atrelados ao CDI

Esse tipo de produto é uma ótima opção para investidores conservadores, que buscam ganhos acima do CDI. Nesses casos, quanto mais os juros subirem, mais o CDI subirá e maior será o retorno dos títulos que fazem parte do Fundo. Normalmente esse tipo de Fundo é composto por CDBs de grandes bancos, FIDCs, letras financeiras e debêntures de grandes empresas.

Como destaque temos o Sparta Top Renda Fixa, que deve fechar para captação até o final de junho. O Fundo fechou o mês de maio com +0,56% de rentabilidade (109% do CDI). Em 12 meses acumula retorno de 111% do CDI. A carteira do Fundo é composta por 150 emissores e a maior posição é uma letra financeira do Bradesco (3,8%).

Desde o seu início, em 2012, o Sparta Top acumula alta de 98,22% ou 112,72% do CDI:

Para receber as melhores recomendações de Fundos de Investimentos, como essa do Sparta Top e ter consultoria completa na montagem da sua carteira de Fundos de Investimentos, conheça o nosso produto TOP FUNDOS DE INVESTIMENTOS. 

 

Ações de empresas exportadoras, seguradoras e de fidelidade

Apesar da volatilidade do mercado de ações, algumas empresas devem se beneficiar diretamente de um cenário de juros parando de cair e dólar em alta:

Exportadoras

Empresas que tem receitas em dólar, são fortemente beneficiadas com a alta recente da moeda. Companhias como Suzano (SUZB3) e Fibria (FIBR3), por exemplo, além da alta do dólar estão se beneficiando por preços de celulose mais altos.

Abaixo segue o gráfico de variação de Fibria (FIBR3), que acumula alta de 56,91% em 2018:

Seguradoras e empresas de fidelidade

Em agosto de 2016 a taxa Selic estava em 14,25%, bem acima dos 6,5% atuais. Patamares baixos da Selic e, por consequência do CDI, são negativos para a empresas seguradoras (que aplicam os valores dos prêmios no mercado financeiro) e para as empresas de fidelidade.

Só como exemplo, temos o caso da Multiplus (MPLU3), empresa de fidelidade controlada pela Latam, que viu sua receita financeira cair 41,9% nos três primeiros meses de 2018. Uma das principais causas dessa piora,  foi a queda da Selic.

Assim, como a Multiplus, que é uma excelente pagadora de dividendos, outras empresas também ''respiram aliviadas'' com o fim do ciclo de baixa na taxa de juros.

Como aproveitar essas oportunidades

Mesmo com o cenário de volatilidade atual, algumas ações de empresas exportadoras, seguradoras e de fidelidade podem ser boas alternativas de compra. Isso vale tanto para quem quer iniciar suas aplicações em bolsa, quanto para quem deseja aumentar suas posições.

Pensando nisso, enviamos um relatório para os nossos clientes reiterando recomendações nessas classes de ativos. Lembrando que, a maioria dessas recomendações foram passadas ainda em 2017, com o intuito de antecipar o cenário atual.

Caso você também tenha interesse em receber essas e outras recomendações, visando a montagem da sua Carteira de Ações, conheça o nosso produto INVISTA EM AÇÕES.

 

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

 

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Fontes das Informações: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão/Broadcast, Folha, Exame, B3. MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo consultoria, análises e recomendações de investimentos.

Compartilhe

Capitalizo Consultoria Financeira – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis