Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ao decidir investir na bolsa de valores, é normal ter algumas dúvidas com relação aos termos do mercado. Por exemplo, sobre o que é uma ordem de compra. Além dela, existem diversos tipos de ordens para prosseguir com o investimento.

De forma simplificada, as ordens são instruções enviadas à bolsa para operar a compra ou venda de algum ativo ou derivativo. Compreender o processo é importante para que seus investimentos sejam efetuados com sucesso.

Então, este artigo permitirá que você entenda o que é uma ordem de compra e como comprar ações na bolsa de valores. Não perca!

O que é ordem de compra?

No mercado financeiro, a ordem de compra é determinada pelo investidor — que envia o pedido para um agente intermediário e adquire para si um valor mobiliário no mercado. O agente pode ser uma corretora de valores ou banco de investimento, por exemplo.

Ou seja, o investidor envia a ordem para que a instituição financeira compre determinados ativos em seu nome e nas condições em que ele determinar. É ela que vai inserir a oferta no book de negociação da bolsa.

A ordem de compra pode ser enviada pelo próprio investidor, acessando o home broker e executando a ordem online. Outra opção é utilizar as mesas das corretoras, bancos de investimento ou escritórios vinculados às instituições que, porventura, atendam ao investidor.

As ordens são feitas pela própria mesa. Então, elas também podem ser passadas pelo investidor por telefone ou e-mail para profissionais. Contudo, é importante entender que a execução de operações em seu nome só pode ser feita mediante autorização e pedido expresso do investidor.

Independentemente da forma de transmissão da ordem, elas são repassadas para um mesmo sistema — no qual acontecem as negociações do mercado. Todas as operações são registradas com as informações do cliente, o horário de recebimento e as condições de execução.

Uma outra opção para emissão de ordens é a partir do uso de robôs. Ainda assim, o processo conta com participação direta do investidor – que precisa estabelecer parâmetros para execução das ordens.

Quais são os tipos de ordem de compra da bolsa?

É possível executar uma ordem de compra de diversas formas, com diferentes condições e características. Conheça a seguir os principais tipos de ordem da bolsa:

Ordem de compra a mercado

Essa é a ordem de compra mais usada pelos investidores no momento de comprar ações na bolsa de valores. O motivo é que, com ela, a negociação ocorre de modo quase instantâneo, sem que seja necessário esperar para que a negociação aconteça.

Na ordem de compra a mercado, o investidor indica apenas o nome do ativo e a quantidade que deseja adquirir sem especificar um preço. Logo, a aquisição é feita instantaneamente pelo preço que a ação estiver sendo negociada naquele momento (o que chamamos de cotação de mercado).

Ordem de compra limitada

Por outro lado, na ordem limitada é possível ter maior controle do procedimento. Nesse caso, o investidor indica a quantidade de ações e o preço limite que ele deseja pagar por elas. Assim, a compra será feita apenas quando o valor do ativo for menor ou igual ao informado pelo cliente.

Em geral, a ordem de compra limitada é usada por quem deseja adquirir determinado papel por um preço menor do que a cotação de mercado atual. Basta cadastrar o preço e esperar que o ativo ou derivativo o alcance.

Ordem de compra administrada

O funcionamento da ordem de compra administrada é semelhante ao da ordem a mercado. Ou seja, o investidor deve informar apenas qual é o ativo e a quantidade a ser comprada, sem especificar o preço que pretende pagar

No entanto, nesse caso, a corretora ou o banco de investimento tem autonomia para decidir o melhor momento para executar a aquisição do ativo.

Ordem de compra start

Por fim, a ordem de compra start funciona com a programação de uma aquisição para ser executada quando a ação estiver acima de um preço pré-determinado. Ela é geralmente utilizada para controle de perdas em operações em que o investidor opera vendido.

Dessa forma, a ordem de compra start é o equivalente oposto da ordem de venda (stop loss), também muito utilizada por quem especula na bolsa de valores.

Quais as validades das ordens de compra?

Agora que você sabe o que é a ordem de compra e quais são os tipos existentes, é importante entender as diferentes validades que elas podem ter. Essa característica também é definida pelo investidor. Veja as principais opções:

  • diária: como o próprio nome sugere, a ordem de compra só vale para o dia em que foi enviada pelo investidor. Se não for executada até o fim do pregão, ela expira;
  • até a data especificada: a oferta terá validade até uma determinada data definida pelo investidor;
  • até cancelar: nesse caso, a ordem de compra fica aberta até que ela seja executada ou que o investidor decida pelo cancelamento, respeitando o prazo máximo de 30 dias;
  • tudo ou nada: a ordem só é realizada com a quantia exata e pelo valor exato da ordem enviada e só vale no momento em que é lançada no mercado. Isso significa que, se o investidor quer comprar 100 ações a R$20, mas a contraparte só tem 90 papéis a esse preço, a operação não é executada, já que a ordem é para 100 ativos ou nenhum;
  • execute ou cancele: a oferta é válida apenas no momento em que é lançada. A condição da contraparte é avaliada e a execução não precisa ser integral. Assim, o sistema adquire a quantidade disponível de papéis e o saldo restante da operação é cancelado.

Por que é importante entender do assunto?

O funcionamento do mercado aberto depende da mediação de instituições financeiras. Assim, o investidor só pode adquirir uma ação por meio de ordem de compra — assim como ela é vendida por meio de ordem de venda. 

Então, saber como o processo funciona é fundamental para adquirir seus ativos. Também é importante para pensar estratégias. Por exemplo, um trader que conhece a ordem de compra start e a utiliza para manejar seus riscos.

Agora que você sabe o que é ordem de compra, lembre-se de que a decisão de qual ordem usar dependerá dos seus objetivos e necessidades. Por isso, é importante conhecer as possibilidades e saber o momento certo de usar cada um dos tipos apresentados.

No Full Trader, por exemplo, nossos analistas indicam o momento da entrada (compra) e saída (venda) de um ativo, seja para operações de curto, médio ou longo prazo. Com ele, você terá acesso às melhores recomendações de Day Trade, Swing Trade, Long&Short, Carteiras de Longo Prazo e muito mais! 

Então, quer diversificar seus investimentos e aproveitar todas as oportunidades que a Bolsa de Valores tem a oferecer? Acesse e conheça o Full Trader!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Atendimento

E-mail

contato@capitalizo.com.br

Telefone

4003-9127 (para todo Brasil)
em dias úteis, das 9h às 19h

Redes Sociais

Pagamento

Segurança

Capitalizo Análises e Recomendações – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis