Compartilhe

Diariamente, recebo e-mails e vejo anúncios do tipo "transforme R$ 1.000 em R$ 100.000 com o método infalível XYZ" ou então "a oportunidade de uma vida". A maioria dessas propagandas fazem parecer aos investidores iniciantes (e até mesmo alguns mais experientes) que temos algum controle sobre o preço das ações ou que é possível saber quando ou quanto as ações irão subir. E, nesse caso, não falo nem de projetar algo, mas sim de literalmente prometer ganhos. Outra coisa bem comum é alguém nos ligar querendo saber "quanto vou ganhar por mês". Quando falamos que não é possível prometer, por se tratar de renda variável, muitas pessoas ficam bravas: "Tiago, como vocês não sabem pra onde a Bolsa vai, quanto eu vou ganhar? Isso é um absurdo".

Visto que ninguém sabe se os preços vão subir ou cair, temos que responder da forma mais honesta possível: “não sabemos’’. Respondemos assim porque não temos alternativa. Matematicamente, é impossível garantir qualquer tipo ganho no mercado de ações. Ou seja, quem promete qualquer tipo de retorno é, no mínimo, mal informado.

Acostume-se: ninguém sabe para onde vai o mercado

É compreensível que as pessoas fiquem preocupadas com o que escrevi acima. Digo isso porque envolver dinheiro num investimento onde não temos a certeza de nada pode parecer um pouco absurdo. Porém, vale ressaltar que, em todos esses anos de mercado, nunca precisei saber a cotação do dia seguinte para ganhar dinheiro. Quem é nosso cliente ou nos acompanha, sabe que "batemos muito na tecla" de ter uma estratégia. Uma estratégia é saber quando comprar e quando vender uma ação.

Desde já, aviso que neste texto não vamos falar sobre estratégias, mas sim sobre perdas. Como escrevi acima, somos literalmente bombardeados de conteúdos prometendo alguma coisa. O final da história sempre é bonito e todos ficam ricos. O que muitas vezes não é contado é que, mesmo uma história com um final feliz, também teve seus percalços ao longo do tempo. Para o investidor de longo prazo, esses percalços podem ser perdas ou quedas momentâneas do mercado. Ou seja, o que não é contado é que as ações também caem (às vezes muito).

O que faz uma ação subir em longo prazo?

Em longo prazo, quanto mais uma empresa gerar lucro e entregar retorno aos seus acionistas, maior a probabilidade da ação dessa empresa subir. Afinal, todos querem ser sócio de uma empresa que cresce e aumenta, ao longo dos anos, o pagamento de dividendos. Quando falamos em longo prazo, na verdade, estamos dizendo "sem prazo definido". Então, como não é possível quantificar o tempo que levará para uma ação subir, investiremos no mercado de ações apenas os valores que não temos necessidade de utilizar.

O que faz as ações caírem?

Se em longo prazo o que faz uma ação subir é o crescimento de lucros e retornos para seus acionistas, caso a empresa não cresça, suas ações dificilmente valorizarão ao longo dos anos.

Dessa forma, temos:

Ações que geram lucros crescentes = probabilidade de alta em longo prazo

Ações que não geram lucros = probabilidade de baixa em longo prazo

E em curto e médio prazos, essa lógica funciona?

Se, em longo prazo, as coisas parecem mais "controláveis" ou "previsíveis", em curto e médio prazos, a lógica não costuma aparecer. Mesmo uma empresa que gera lucros pode ter as ações desvalorizadas. Da mesma forma, uma empresa que tenha prejuízos, pode ter suas ações super valorizadas.

Como costumo falar, em curto prazo o mercado é “maníaco-depressivo”. E quem procurar uma resposta lógica a cada movimento de alta ou de baixa poderá perceber que esse exercício pode ser uma grande perda de tempo. Além disso, fatores que podem nem influenciar nos resultados da empresa, como guerras, eleições ou mesmo um tweet do Trump, podem trazer muita volatilidade às ações. Sendo assim, muitas vezes as ações de uma empresa caem sem seus lucros sequer serem afetados.

Por isso, para comprovar a minha "Teoria dos Mercados Maníaco-depressivos", tomemos as ações da Lojas Renner (LRNE3) como exemplo. Abaixo, selecionamos os períodos em que tivemos fortes quedas das ações e também os longos períodos em que as ações pouco subiram.

Ações da Lojas Renner (LRNE3)

Setembro/2006 até Novembro/2008: as ações caíram mais de 53%

Dezembro/2007 até Novembro/2008: as ações caíram mais de 72%

Março/2006 até Março/2009: as ações subiram apenas 1%

Agosto/2010 até Março/2014: as ações subiram apenas 0,88%

Agosto/2010 até Dezembro/2011: as ações caíram mais de 30%

Maio/2013 até Fevereiro/2014: as ações caíram mais de 30%

Janeiro/2013 até Fevereiro/2016: as ações subiram apenas 1,55%

Julho/2015 até Fevereiro/2016: as ações caíram mais de 30%

Agosto/2016 até Dezembro/2016: as ações caíram mais de 20%

Julho/2016 até Setembro/2018: as ações subiram apenas 7%

Dezembro/2017 até Setembro/2018: as ações caíram mais de 20%

Outubro/2017 até Abril/2019: as ações subiram apenas 8%

Valeu a pena investir em Lojas Renner (LREN3)?

Apenas olhando os números acima, você acreditaria que LREN3 foi uma das ações que mais me deram dinheiro em longo prazo? Pode não parecer, mas veja a alta de LREN3 desde 2006:

De Janeiro/2006 até Agosto/2019, as ações LREN3 (linha verde) tiveram alta de incríveis 2.500%, enquanto o Ibovespa (linha cinza) subiu pouco mais de 188%.

O preço segue o lucro?

No caso de Renner, apesar de diversos percalços, em longo prazo o preço das ações seguiu o aumento do lucro e do retorno aos seus acionistas. Em 2006, a empresa lucrava em torno de R$ 98 milhões, número que chegou a mais de R$ 1 bilhão, quando observamos os resultados dos últimos 12 meses. Abaixo, vemos o gráfico do movimento das ações em relação ao lucro da empresa:

O que fazer quando o mercado cai forte?

No caso de empresas como Lojas Renner, uma queda brusca das ações pode significar um bom momento para novas compras. Porém, não devemos esquecer que algumas ações caem justamente porque seus negócios são ruins ou estão se deteriorando. Nesses casos, nem sempre queda é sinônimo de oportunidade.

Lembrando que, o que aconteceu no passado, de forma alguma é garantia de que vai se repetir no futuro.

Em momentos de queda do mercado, tenha calma e não aja por impulso, por mais desconfortáveis que esses movimentos possam parecer. O investidor que tem estratégia e paciência costuma ser recompensado em longo prazo. Conte com a gente nessa jornada.

Quer receber as melhores recomendações de ações para montar sua carteira em longo prazo?

Conheça o Invista em Ações. O guia que vai te ajudar a construir e diversificar seu patrimônio. Receba análises e recomendações para a montagem da sua carteira de ações e invista com o suporte e acompanhamento da melhor equipe de analistas do mercado.

Quer receber análises e recomendações em curto e médio prazos na Bolsa de Valores?

Conheça o Full Trader, o produto mais completo do mercado. Entregando análises e operações na Bolsa de Valores, você terá recomendações com estratégias sólidas, minimizando riscos e maximizando seus ganhos. Com ele, você tem acesso ao pregão ao vivo e também recebe o histórico das operações e relatórios, material educativo, biblioteca de estratégias e acesso à equipe de análise.

 

Se você quer ter acesso a todos os produtos Capitalizo, conheça o Capitalizo Completo. Pensado para quem quer ter uma Carteira diversificada de investimentos economizando 48% em relação a contratação individual. Aproveite e seja um investidor completo.

 

Importante: O Produto Invista em Ações está incluso no Full Trader.

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Fonte: Valor, InfoMoney, Quantum, Estadão, Broadcast, Folha, Exame, B3, MoneyTimes.

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Capitalizo análises e recomendações de investimentos.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Compartilhe

Capitalizo Consultoria Financeira – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis