Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Entender a lógica do mercado financeiro é fundamental na vida dos adeptos das análises técnicas, que precisam detectar os momentos de alta e de queda dos ativos. Nesse sentido, a Teoria de Dow é um dos pilares mais sólidos e antigos – e continua sendo muito importante para entender os movimentos do mercado.

Seus fundamentos facilitam o entendimento dos gráficos de oscilação dos preços das ações na bolsa de valores. O princípio central é de que o mercado se move em tendências, com movimentos de impulsão (elevando o preço do ativo) e de correção (abaixando o preço).

Diante da importância do assunto, neste artigo você entenderá o que é, como funciona e como utilizar a Teoria de Dow no método de análise técnica. Vamos lá?

Breve história da Teoria de Dow

O jornalista norte-americano Charles Henry Dow é o criador da teoria que abordaremos neste artigo. Durante a vida, Dow estudou os movimentos do mercado e desenvolveu estudos que serviram como base para as análises técnicas.

Em 1887, quando o índice Dow Jones já existia, Dow chamou a atenção de Wall Street para a análise técnica. O jornalista começou a monitorar o movimento das ações e, em 1900, elaborou os primeiros trabalhos estatísticos sobre a existência de ciclos nos mercados de capitais.

Com estudos mais detalhados, elaborou o modelo de três tendências. Em 1902, aos 51 anos, Dow faleceu, mas todo o seu trabalho de anos se manteve arquivado. Seus filhos foram os responsáveis por catalogar os arquivos e apresentar ao mercado os princípios básicos da Teoria de Dow.

A Teoria de Dow é considerada a base da análise técnica moderna — que é muito importante para o cotidiano de quem especula na bolsa de valores. Ela dá suporte para o estudo e a compreensão das variações dos gráficos dos ativos.

Quais são os princípios básicos da Teoria de Dow?

Mas afinal, como a Teoria de Dow funciona? Ela é fundamentada em 6 princípios. 

Conheça-os a seguir:

  1. Os preços descontam tudo

O primeiro princípio é baseado na hipótese de mercados eficientes. Ou seja, a ideia de que o preço dos ativos ou derivativos integra todas as informações necessárias que estão disponíveis sobre ele

Dow afirmava que as estimativas do mercado são suficientes para calcular o impacto sobre os preços. Logo, não seria preciso realizar análises qualitativas, pois os acontecimentos relevantes já estariam refletidos no preço.

  1. O mercado possui três tipos de tendência

As tendências do mercado são divididas em primárias, secundárias ou terciárias. Dow compara cada uma delas com os movimentos das ondas, marés e marolas:

  • tendências primárias são como as marés e apresentam grandes movimentos, como acontece em um mercado de alta (bull) ou baixa (bear);
  • tendências secundárias são comparadas às ondas e representam a recuperação em um mercado em baixa ou uma retração em um mercado em alta;
  • tendências terciárias são como marolas, que se formam entre as ondas e não têm muita amplitude.

  1. As tendências primárias possuem 3 fases

De acordo com o terceiro fundamento da Teoria de Dow, a tendência primária passa por três fases:

  • acumulação: acontece no fim de uma tendência de baixa e pode ser um momento propício para investimentos e entradas de especulação;
  • participação pública: é a fase em que os investidores percebem o movimento e começam a comprar o ativo, de forma que o preço sobe;
  • distribuição: é quando a participação do público, que começou na fase anterior, fica ainda maior. É o momento em que os especuladores que compraram na fase de acumulação podem vender suas posições para ter lucro.

  1. Os índices e médias devem se confirmar mutuamente

O quarto princípio da Teoria de Dow afirma que, para que uma tendência se estabeleça, os índices de mercado devem ser confirmados e correspondentes.

  1. O volume precisa confirmar a tendência

Embora seja considerado um fator secundário, o volume tem papel para confirmar uma tendência. Pela teoria de Dow, é esperado que ele aumente se o preço se mover em direção à tendência primária, e diminua se estiver se movendo na direção contrária.

  1. Uma tendência ocorre enquanto não houver sinais de reversão

Para Dow, a continuidade de uma tendência é esperada enquanto não houver indicativo de que ela será, de fato, invertida. Assim, a mudança de tendências acontece quando ela é substituída por outra.

Quais as principais críticas à Teoria de Dow?

Apesar de ter mais de 100 anos de utilização, a Teoria de Dow não é imune às críticas. Especialistas acreditam que há uma perda significativa dos movimentos antes de se perceber os sinais de tendência.

Esse tempo pode prejudicar o resultado dos traders. Afinal, o mercado de ações é muito veloz, e a perda de observação pode causar escolhas tardias. No entanto, o principal argumento em defesa da teoria é sua proposta.

A intenção de Dow era captar uma parcela grande dos movimentos do mercado e, então, identificar tendências — e não prevê-las. Por isso, mesmo com as críticas, os fundamentos da Teoria ainda podem ser importantes para dominar os instrumentos de análise gráfica.

Por que vale a pena conhecê-la?

Entender a Teoria de Dow é fundamental para quem deseja especular na bolsa. Ela permite compreender os gráficos que representam as movimentações frequentes do mercado. Além disso, a teoria reúne princípios que ajudam a evitar a parte emocional das operações. 

Existe uma tendência de os especuladores serem iludidos pelos próprios desejos. É comum que eles analisem o mercado com o objetivo que querem alcançar em mente — assim, procuram por sinais de que estão certos, a partir de uma visão tendenciosa.

Nesse sentido, a Teoria de Dow na análise técnica dá margens mais imparciais de avaliação. Ela oferece métodos de identificação mais claros e objetivos das tendências primárias, de forma que as decisões ficam menos ambíguas.

Como utilizar a Teoria de Dow?

Depois de entender o que é e por que a Teoria de Dow é importante, é possível perceber que é essencial conhecer seus 6 fundamentos. Assim, o especulador é capaz de entender o mercado financeiro com base nos princípios e fazer uma boa análise de gráficos antes de operar na bolsa.

Compreender as movimentações dos ativos é uma estratégia para ter a percepção adequada do mercado. Nesse sentido, a Teoria de Dow segue como um estudo importante e como base da análise técnica feita pelo trader. Ou seja, antes de colocar em prática no Home Broker é imprescindível que o trader procure um estudo completo sobre o assunto.

Agora, se você quiser ter acesso a análises completas sobre o mercado de ações, conheça o Full Trader. Nosso produto é ideal para quem quer começar ou aprimorar suas estratégias de Day Trade. Com ele, você tem acesso ao pregão exclusivo com nossos analistas, com operações de compra e venda em tempo real, tudo com base em uma metodologia de análise técnica

Além disso, você também garante acesso às recomendações de Swing Trade, Position Trade, Long&Short, carteiras de longo e tudo mais que você precisa para investir na bolsa de valores. Acesse o link e adquira já!

___

Analistas Responsáveis

Danillo Sinigaglia Xavier Fratta, CNPI-T EM-1795

Daniel Karpouzas Barcellos, CNPI EM-1855

___

Importante: leia nosso Disclosure antes de investir.

Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Conheça o nosso Canal no Youtube e inscreva-se.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Atendimento

E-mail

contato@capitalizo.com.br

Telefone

4003-9127 (para todo Brasil)
em dias úteis, das 9h às 19h

Redes Sociais

Pagamento

Segurança

Capitalizo Análises e Recomendações – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis