Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Quem investe, costuma ter algumas perguntas recorrentes em comum: Vale a pena ter uma carteira de longo prazo ou é melhor comprar e vender ações no médio prazo? Como compor uma boa carteira de investimentos em ações? Quantas ações deve-se ter em carteira?

Quem observa a atual performance da nossa bolsa de valores, provavelmente já se deu conta de que as crises podem ser excelentes oportunidades para construir um belíssimo patrimônio, desde que haja conhecimento e recursos para tal.

Neste artigo, você terá o privilégio de conhecer dicas importantes de como montar uma carteira, dos riscos da renda variável e das possibilidades de aportes. Confira!

Como montar uma carteira de investimentos?

Uma imensidão de fatores podem direcionar a montagem de uma carteira, sendo necessário adotar a estratégia que mais faz sentido aos seus objetivos financeiros.

Pode ser que você escolha por causa de notícias relevantes, branding, setores de atuação, análise fundamentalista, tendências de alta ou baixa, entre outros aspectos.

No entanto, o primeiro ponto que deve considerar é o seu perfil de investimento, pois mesmo em um ambiente arrojado, ainda é possível ter decisões conservadoras. 

Com isso, você pode definir se pretende comprar e vender ações no mesmo dia ou estruturar sua tática para o médio e longo prazo, alocando ativos periodicamente.

É importantíssimo que você estude bem o mercado financeiro e pesquise sobre as empresas que pretende investir, até para evitar os populares “micos” na carteira.

Sempre que possível, diversifique seus investimentos para obter não só o melhor equilíbrio entre risco x retorno, mas administrar seu patrimônio com inteligência.

Quantas ações são boas para ter em uma carteira?

Esse é o tipo de pergunta que valeria um milhão de reais em qualquer programa de auditório, sendo que a resposta é tão subjetiva quanto o segredo da felicidade.

Não existe um consenso entre os investidores, pois entra em questão o seu perfil de risco e, principalmente, quanto consegue se dedicar a conhecer cada empresa.

Isto é, imaginando que você tenha a pretensão de colocar entre 50 a 60 companhias na sua carteira, será mesmo que teria tempo e paciência para estudar todas elas? 

Esse dilema encontra nuances filosóficas até mesmo na estratégia de diversificação, pois é possível explorar focos diferentes de acordo com os setores escolhidos.

Porém, quanto mais exagerada for a diversificação, pode ser que sua carteira tenha correlação positiva com o Ibovespa e você performe apenas a média do mercado.

Seu poder aquisitivo e o volume de negociações também são fatores cruciais, portanto, inicie com poucas empresas e teste a performance ao decorrer do tempo.

Nossos analistas recomendam que o investidor tenha em média de 15 a 20 ações em sua carteira. Entendemos que 15 ativos seja um mínimo necessário para garantir uma boa diversificação. Já ultrapassar os 20 ativos começa a tornar o controle mais complexo, principalmente para quem não tem muito tempo para dedicar-se a esta atividade.

Mas não é necessário já iniciar com 15 ativos todos de uma vez. O investidor pode ir selecionando uma a uma e montando seu portfólio até chegar ao número ideal. É claro também que, se ele se sente confortável, pode aumentar essa quantidade máxima.

Quais são os riscos reais de investir em ações?

Um dos fatores que influenciam bastante no ato de não cravar um número exato de ações na carteira é, basicamente, reconhecer que a renda variável tem seus riscos.

A bolsa de valores é um mundo onde muita coisa pode acontecer em questão de segundos, sendo que se expor demais às incertezas nem sempre é a melhor decisão.

O risco de mercado já é um velho conhecido dos investidores, tendo em vista que o desempenho dos preços pode ter influência do dólar, da inflação, da taxa de juros etc.

Além disso, o risco de liquidez também pode preocupar, uma vez que é possível encontrar dificuldades de negociar um papel com pouquíssimo volume de mercado.

Quais são as carteiras de investimento da Capitalizo? 

Se você quer investir em ações, mas deseja poupar tempo com análises, pesquisas e estudos meticulosos, contar com a ajuda de profissionais especializados é a saída. Voltado para a estratégia e o foco no longo prazo, o produto perfeito para você é o INVISTA EM AÇÕES. Ele conta com análises e recomendações para identificar boas empresas e é dividido em seis carteiras recomendadas, cada uma visando um objetivo específico: Dividendos, Crescimento, Top Recomendadas, Small Caps, Buy & Hold Raíz e Ações Internacionais. Fique por dentro ainda dos avisos de pagamentos de dividendos, fatos relevantes, análises setoriais e análises de relatórios trimestrais e anuais.

Trouxemos abaixo as carteiras que o time de análise da Capitalizo bate o martelo e recomenda com gosto para seus inúmeros clientes de renda variável.

Dividendos

Como há sempre aqueles perfis de investidores que almejam viver de dividendos, recebendo proventos periódicos das empresas, nada como uma carteira específica.

Os profissionais da Capitalizo fazem um verdadeiro garimpo entre as melhores oportunidades, observando sempre as empresas com forte potencial de lucratividade.

A intenção é indicar aqueles ativos que possam performar bem a longo prazo, mas tendo a expertise de revisar os pesos de cada ação quando houver necessidade.

Crescimento

Para surgir jogadores como Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar, Lewandowski, entre tantos outros, existem olheiros que repararam nos potenciais atletas da base.

Dentro dessa analogia, os nossos “olheiros” focam naquelas empresas que tendem a se destacar das demais e que podem ser grandes joias no futuro.

São analisadas questões quantitativas e qualitativas, de modo que você tenha um portfólio recheado de boas opções com forte potencial de retorno positivo.

Top Recomendadas

Mas se você quer entrar na bolsa de valores com os dois pés na porta, então é melhor ficar de olho nas empresas que exalam sucesso e contam com projeções fantásticas.

Sendo assim, a Carteira Top Recomendadas tem o propósito de escolher aqueles ativos de linha de frente com um alto potencial de valorização no longo prazo

No entanto, por mais que o olhar seja de holder, as indicações são devidamente preparadas a partir de análises para fluxos de compra no curto e médio prazo. 

Small Caps

A intenção aqui é escolher os ativos de baixa capitalização de mercado, ou seja, aqueles que ainda não são líderes em seus setores ou cases de recuperação.

Tendo isso em vista, a especialidade da Capitalizo nesse segmento é achar possíveis diamantes na bolsa de valores, que podem “reluzir” bastante em resultados positivos.

A carteira tem como critério focar em empresas com valor de mercado inferior a 15 bilhões de reais, visando auferir poderosos ganhos no longo prazo basicamente.

Buy & Hold Raiz

É claro que a Capitalizo também conta com recomendações especiais para aqueles clientes com a paciência de Jó, focando nos dados fundamentalistas e performance.

A ideia é ter visão de águia para alocar as melhores ações, cujo princípio é focar nas empresas que dispõem de vantagens competitivas diante da concorrência.

Você pensará realmente como sócio das companhias, obtendo recomendações que são capazes de enfrentar diferentes condições econômicas e aprender com as crises.

Ações Internacionais

É o tipo de carteira para quem tem um olhar muito além do nosso território, buscando proteger o patrimônio contra as oscilações da moeda e obter poderosos dividendos.

O objetivo é recomendar empresas internacionais com alta capitalização e participação de mercado, além de um forte potencial de crescimento no longo prazo.

Para isso, você pode investir por meio dos BDR’s, certificados que replicam os ativos estrangeiros na bolsa brasileira; ou direto nas stocks (ações) em uma corretora fora do Brasil.

Em resumo, para montar uma carteira de investimentos em ações é preciso estudar bastante o mercado de capitais, sendo que a recomendação de especialistas pode otimizar seu tempo para que tome boas decisões.

Alguns de nossos resultados

Confira na imagem abaixo a rentabilidade da nossa Carteira Recomendada de Crescimento, portfólio de longo prazo que tem o objetivo de garimpar oportunidades nas melhores empresas do Brasil e do mundo com forte potencial de rentabilização. Ela valorizou, desde agosto de 2017, mais de 141%, contra 68% do Ibovespa e 50% do Dow Jones, no mesmo período!

Desde abril de 2018, a Carteira Dividendos do produto Invista em Ações já valorizou, só em rentabilidade das ações que a compõem, mais de 106%! No gráfico abaixo, comparamos a valorização da carteira da Capitalizo com o Ibovespa e também com três dos principais fundos de investimentos focados em dividendos no mesmo período.

Já nossa Carteira Recomendada Internacional já valorizou mais de 78% desde abril de 2020. No mesmo período, o Dow Jones, um dos principais indicadores da bolsa de valores norte-americana, teve ganhos de 57%.

Lembre-se: sendo cliente Capitalizo e adquirindo qualquer um dos nossos produtos, você também:

✅ Tem acesso total a nossa equipe de atendimento para tirar dúvidas por e-mail, WhatsApp e Telegram
✅ Recebe materiais, e-books e relatórios exclusivos
✅ Pode solicitar uma análise de seus investimentos já existentes
✅ Assiste às mentorias fechadas para clientes e tira suas dúvidas direto com o Tiago Prux

Quer ir em busca de rentabilidades como essa e ainda ter todas essas vantagens? Clique aqui e adquira o Invista em Ações agora mesmo!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Atendimento

E-mail

contato@capitalizo.com.br

Telefone

4003-9127 (para todo Brasil)
em dias úteis, das 8:30 às 17:30

Redes Sociais

Pagamento

Segurança

Capitalizo Análises e Recomendações – CNPJ: 27.253.377/0001-09 
© 2019 – Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvido por: Vezy

Receba nossos relatórios Grátis