3 Small Caps baratas da B3 para 2023

shutterstock 1798369240

No artigo de hoje vamos falar sobre 3 Small Caps baratas para investir em 2023, e que acreditamos possuir boa qualidade nos fundamentos.

A maioria dos investidores busca as melhores ações mas não sabe como procurar, e muito menos sabe qual é o momento ideal de compra e venda.

Mas quando se trata de investir na Bolsa de Valores utilizando a análise fundamentalista, fica mais fácil encontrar Small Caps baratas para investir. Essa análise utiliza alguns indicadores financeiros que nos mostram se uma ação está barata ou não.

Apesar de não recomendarmos a utilização de nenhum indicador de maneira isolada, hoje traremos ações de empresas que estão atrativas em relação ao indicador Preço/Lucro ou PL – o mais conhecido e utilizado no mundo todo.

O P/L é uma fórmula que estima o tempo que suas ações levarão para “devolver” ao investidor o valor pago por ela, considerando que a empresa mantenha os seus lucros. Abaixo, segue o seu o cálculo:

P/L = Cotação da Ação / Lucro Por Ação

Exemplo: Ação cotada R$10 e o lucro líquido anual por ação R$2,00.

Calculando o P/L, temos: 10/2= 5.

Portanto, serão necessários cinco anos para obter o retorno do investimento.

Agora, vamos ver as Small Caps baratas que apresentam uma relação de P/L atrativa para você investir.

ENAUTA (ENAT3)

Com a recente queda do preço do barril de petróleo (Brent) nos últimos meses, chegando a casa dos U$S 75, as ações da Enauta foram impactadas negativamente e chegaram a valer R$ 10,27, uma queda de mais de 30%.

Atualmente, a ação está cotada em R$ 13,61, subindo forte depois de apresentar um excelente resultado no primeiro trimestre de 2023.

A empresa reverteu o prejuízo de R$ 98,2 milhões de reais no primeiro trimestre de 2022, fechando o período de janeiro a março deste ano com lucro líquido de R$ 118,4 milhões.

A companhia atua, principalmente, na exploração, refinamento e distribuição de petróleo e gás, sendo uma das maiores do segmento, possuindo um portfólio bastante descentralizado.

Por ser uma companhia que atua no setor de commodities, está exposta às flutuações do câmbio e pela variação do preço do barril de petróleo.

Quando olhamos para o indicador P/L da petroleira, o mesmo está no patamar de 6,0 vezes, abaixo da sua média histórica.

Além do valor da ação e do P/L se mostrarem atrativos, o próprio setor petroleiro deve ser impactado positivamente com a restrição de oferta do combustível no mundo. O que deve impulsionar o preço do barril de petróleo para cima, aliado a um aumento de demanda ainda em 2023.

WIZ (WIZC3)

Todo mundo precisa de seguro. A qualquer momento podemos sofrer um acidente de carro ou ser acometido por um problema de saúde. E não há como prever.

Essa situação faz com que as empresas do setor de seguros sejam uma das excelentes opções para investir na bolsa de valores, em virtude da demanda perene por esse serviço.

Quando a gente olha para as empresas desse segmento que possuem capital aberto, a Wiz é aquela que, na nossa visão, tem melhor diversificação de negócios, alta possibilidade de internacionalizar suas atuações e, assim, conseguir bons retornos.

A corretora viu nos últimos anos ocorrer o fim da exclusividade de seus contratos com a Caixa Seguradora. E, desde então, sua dependência com o banco passou a ser diluída com outras parcerias, como a do Banco Inter, por exemplo.

A companhia se destaca por possuir operações de baixo custo, boa margem de lucro, receitas crescentes e muita experiência no setor de seguros, sendo uma boa opção para investir no longo prazo.

As ações WIZC3 vem caindo 16,64% nos últimos 12 meses. Com isso, temos um P/L ainda mais atrativo, na casa de 9,1 vezes.

A expectativa para a Wiz é que a companhia consiga não somente dar sequência a sua ampliação de parcerias, como também consolidar da melhor maneira as já adquiridas no ano passado e neste ano.

Só no primeiro trimestre de 2023, a empresa viu sua receita líquida subir mais de 120%, fortemente impulsionada pela nova parceria com a Promotiva, uma das gestoras de correspondentes bancários do Banco do Brasil.

Além disso, vale reforçar a possibilidade de internacionalização de seus negócios, bem como uma maior diversificação em suas linhas de atuação.

BANCO MERCANTIL (BMEB4)

Um segmento que não pode faltar na carteira de investimentos de qualquer investidor é o setor bancário. No Brasil, historicamente quem fez investimentos nesse setor, fez um excelente negócio.

Apesar do setor ser dominado pelos 5 grandes bancos, existem algumas opções de pequeno/médio porte, que são excelentes opções para investir no longo prazo.

Um banco que se mantém fora do radar da maioria dos investidores e que achamos muito interessante é o Banco Mercantil. Fundado em 1943, o banco possui um grande foco no atendimento de beneficiários do INSS, especialmente em Minas Gerais e no interior do estado de São Paulo.

Através desta base, o Mercantil atua na venda de produtos como investimentos, crédito, corretagem de seguros, e câmbio.

Todos esses produtos possuem menor risco, sendo uma das vantagens competitivas desse banco, fornecendo boa previsibilidade aos negócios e boa rentabilidade.

No primeiro trimestre de 2023, a instituição registrou um lucro líquido de R$ 68,1 milhões, aumento de 45% na comparação anual.

Atualmente, o P/L se encontra em patamar bem interessante, na casa de 5,6 vezes. No ano, as ações preferenciais BMEB4, sobem 7,0% até esse momento.

Nesse sentido, para 2023 esperamos que o Banco Mercantil dê sequência ao ritmo de crescimento atingido nos últimos anos. E se consolide cada vez mais no ambiente digital, permitindo a expansão de sua base de clientes e aumentando a venda de seus produtos.

OUTRAS RECOMENDAÇÕES DE SMALL CAPS BARATAS

Acompanhar e recomendar ações de Micro e Small Caps está no DNA da Capitalizo. Além dessas ações fazerem parte de outras Carteiras, a Capitalizo tem um portfólio criado especialmente para essas classes de ações, a Carteira Recomendada de Micro e Small Caps.

Com ela você terá em mãos uma lista de “pequenas empresas” com forte potencial de crescimento de receitas e lucros.

Esse crescimento pode fazer com que tenhamos grandes valorizações das ações dessas companhias, permitindo que você ganhe dinheiro no longo prazo.

Aqui, bastam 10 minutos por mês para você manter sua carteira 100% atualizada.

Por fim, conheça no vídeo abaixo a Estratégia da Carteira:

A Bolsa brasileira está BARATA?

bolsa esta barata

Estamos recebendo várias perguntas para saber se no momento a Bolsa brasileira está barata.

Afinal, ela está barata?

Veja, quando falamos em “Bolsa”, estamos querendo dizer o “Ibovespa”, que é o principal índice do nosso mercado de ações.

Ele nada mais é do que uma carteira teórica das 88 ações mais líquidas da bolsa…

Abaixo temos as principais empresas que compõem o Ibovespa e a participação de cada uma delas no Ibovespa:

VALE3 (14,1%), ITUB4 (6,6%), PETR4 (6,5%), B3SA3 (3,8%), BBDC4 (3,8%), ABEV3 (3,4%), ELET3 (3,3%), BBAS3 (3,3%), WEGE3 (2,8%), ITSA4 (2,4%), RENT3 (2,4%), EQTL3 (1,7%), RADL3 (1,7%).

Ou seja, se elas sobem, o Ibovespa deve subir. Se elas caem, naturalmente, o Ibovespa tende a cair também.

Já para entender se esse Índice de Ações está barato ou não, vamos utilizar um indicador bastante conhecido no mercado, o chamado Preço/Lucro ou P/L.

Para que fique mais claro, veja este gráfico abaixo. Ele representa o P/L (Preço/Lucro) histórico das ações que fazem parte do Ibovespa:

Lembrando que, esse indicador mostra, em teoria, em quantos anos o nosso investimento feito no ativo seria recuperado.

Hoje, o P/L do Ibovespa gira em torno de 5 x ou seja, em 5 anos teríamos o retorno do nosso investimento.

Se você reparar bem, verá que estamos num patamar “mais barato” que o do fundo da crise de 2020 e também da crise de 2008!

Isso significa que a nossa Bolsa está, sim, muito barata! 

Indo ainda mais longe, o momento atual pode ser considerado como raro na história da bolsa brasileira. 

Importante: não recomendamos ninguém utilizar esse indicador de maneira isolada, mas, atualmente, ele é um ótimo indicativo do quão barata a nossa Bolsa está.

NÃO CONFUNDA CARTEIRA DE AÇÕES COM IBOVESPA

Como foi possível ver acima, quando se fala em “bolsa barata” estamos apenas nos referindo ao Ibovespa, um índice que é formado levando em conta critérios de liquidez e não de qualidade das empresas.

Dessa forma, é possível ter uma boa Carteira de Ações que tenha um bom desempenho mesmo que o Índice caia.

Apenas como exemplo, podemos citar a BB Seguridade (BBSE3), cujas ações valorizaram mais de 40% nos últimos 12 meses, enquanto o Ibovespa caiu em torno de 9%.

O MOMENTO É PARA APROVEITAR AS AÇÕES BARATAS

“A Bolsa pode ficar ainda mais barata?”

Sim, pode!

Porém, levando em conta as Ações que acompanhamos ou recomendamos, enxergamos que a maioria das empresas continuará divulgando resultados positivos nos próximos trimestres – mesmo que a economia nacional passe por momentos ruins. 

Além disso, ainda existe uma série de boas oportunidades em Ações Internacionais e em diversas Small Caps brasileiras que sequer fazem parte do Ibovespa – e estão fora do radar da maioria dos investidores.

A hora é de filtrar essas Ações e aproveitar para comprar bons ativos em promoção. 

NOSSAS ESTRATÉGIAS, CARTEIRAS E RESULTADOS

Atualmente, temos 5 carteiras de ações com foco no Longo Prazo, utilizando a estratégia fundamentalista Buy & Hold:

Carteira Tiago Prux, Dividendos +, Micro e Small Caps, Top Crescimento e Internacional (criada em 2020). 

Apesar das carteiras terem algumas características diferentes, um ponto é semelhante entre todas é o pensar globalmente.

Essa é uma das formas mais importantes de trazer equilíbrio para as carteiras de ações. 

Por isso, em todas as nossas carteiras recomendadas, há alocação em ativos internacionais ou em empresas brasileiras que tenham atuação global.

A Capitalizo é a Casa de Análise precursora nesse conceito do Investidor Global. Isso tem ajudado não somente a baixar a volatilidade das Carteiras, mas também a trazer mais retorno ao longo do tempo. 

Abaixo, mostramos o desempenho de três das nossas Carteiras de Longo Prazo mais procuradas:

Carteiras Micro e Small Caps, Dividendos + e Tiago Prux, de julho de 2017 até hoje.

Como é possível perceber, todas as nossas carteiras também batem (de longe) o Ibovespa e outros benchmarks.

Isso mostra como uma carteira bem equilibrada é fundamental para um desempenho acima da média do mercado, mesmo em momentos turbulentos do mercado.

Compare e comprove! Os melhores retornos são da Capitalizo:

 

2 Ações para ficar de olho com a Selic em alta

Capas Blog 6

O cenário atual de juros no Brasil muito se difere daquele encontrado no início de 2021.

Após a Selic atingir sua mínima histórica, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central deu início a uma das maiores sequências de alta de nossa taxa básica de juros, justamente para segurar a forte alta inflacionária observada por aqui.

Desde agosto de 2022, nossa Selic encontra-se novamente estacionada nos patamares de 13,75% a.a.

Porém, como é muito cedo para falarmos em baixa dos juros, esperamos que a Selic se mantenha em patamares elevados ainda por um bom tempo – o que é bom para investimentos que se beneficiam de juros mais altos.

COMO OS JUROS REFLETEM NAS AÇÕES?

Tudo bem que juros baixos são melhores para a economia, uma vez que eles estimulam a tomada de crédito para que as empresas invistam em seus negócios.

Por outro lado, a alta exagerada dos juros costuma refletir negativamente em setores de construção civil, locadoras de veículos e, principalmente, varejo, pois tende a reduzir o consumo.

Porém, há alguns setores que se beneficiam bastante com a Selic em alta. Um deles é o setor bancário, já que os bancos trabalham bastante com aplicações indexadas à taxa de juros e inflação.

Outro setor que absorve ainda mais a alta dos juros é o de Seguros, pois:

📌 Já é, por si só, um setor de rentabilidade elevada. Isso acontece em função das estruturas enxutas das seguradoras, o que permite que elas tenham elevadas margens e ROEs;

📌 Na maioria das vezes, o poder de barganha não está na mão do cliente e sim da prestadora do seguro. Isso é importante à medida que as seguradoras não têm dificuldade em elevar seus preços;

📌 As seguradoras, normalmente, recebem primeiro e pagam depois, conseguindo aplicar o valor do prêmio no mercado financeiro durante o tempo do contrato.

Sendo assim, as seguradoras possuem um modelo de negócio bem sólido em que uma leve alta nos juros pode rentabilizar ainda mais suas aplicações financeiras, sem atrapalhar suas gerações de receita.

Ou seja, além de ganhar dinheiro com suas operações de venda de seguros, eles conseguem gerar ganhos financeiros. E, como na maioria das vezes, esse valor fica aplicado em títulos atrelados a Taxa Selic, quanto mais ela subir, mais as seguradoras ganham.

Como nos últimos anos a Selic caiu, os ganhos financeiros das seguradoras caíram também. Os resultados não foram piores, porque as seguradoras aumentaram as receitas com vendas. No cenário de elevação de juros, elas voltam a ter maiores ganhos financeiros.

Além disso, o cenário atual é bastante favorável para algumas empresas já consolidadas no ramo aqui do Brasil, onde a busca por fontes complementares de aposentadoria cresce a cada dia, por exemplo. Por isso, mesmo com os juros subindo, não esperamos queda na captação das maiores seguradoras.

Dessa forma, com muitas seguradoras já tendo apresentado boa recuperação de seus resultados nos últimos trimestres, esperamos números e dividendos ainda maiores em 2023. É hora de aproveitar.

Confira, abaixo, 2 empresas do setor consideradas barganhas da bolsa.

BB SEGURIDADE (BBSE3)

A BB Seguridade é uma empresa de participação pertencente ao Banco do Brasil. Ela opera na venda de seguros, previdência aberta, títulos de capitalização e planos de assistência odontológica. Tudo através dos canais do Banco do Brasil, o que facilita bastante a captação de clientes.

Logo, esta é uma empresa de cunho mais defensivo, para aquele investidor que busca ganhos mais lineares somados a bons proventos. BBSE3 é uma ação que, mesmo que seu preço tenha recuperado parte dos impactos gerados pela pandemia em 2021, ainda pode ser considerada como uma “barganha” em nossa visão.

Primeiro porque é uma empresa que possui participação relevante em todos os mercados que atua, é bem gerida e sempre vem pagando bons dividendos.

Em seguida, seus resultados nos últimos trimestres já voltaram a demostrar o forte efeito que os juros altos causam em sua lucratividade. E, quanto mais lucro, mais retorno ao acionista no longo prazo.

PORTO SEGURO (PSSA3)

Sendo, atualmente, a 3ª maior companhia seguradora do país, a Porto Seguro é líder no ramo de automóveis e residências. E, detalhe: é líder de longa data num mercado extremamente competitivo e influenciado por taxa de juros.

A empresa possui cerca de 35 mil corretores independentes que distribuem seus produtos de seguros residenciais e de veículos com exclusividade na rede de agências do Itaú. Banco esse que inclusive detém uma participação de cerca de 30% das ações da empresa.

Falando de preço, a empresa segue a mesma linha da outra citada acima: Mesmo recuperado parte os impactos recentes, ainda está descontada, visto sua maciça presença no mercado e seus resultados em franca ascensão.

AFINAL, ESSAS AÇÕES ESTÃO BARATAS?

Temos, hoje, um cenário de juros em alta, o que beneficia as seguradoras sem causar maiores danos em suas receitas.

São empresas bem consolidadas no mercado nacional, possuem uma excelente gestão, distribuem bons proventos e ainda estão mal precificadas. Ou seja, tudo o que um investidor de longo prazo almeja: comprar ações de qualidade e, ainda por cima, descontadas.

Sem esquecer, claro, do forte pagamento de dividendos que essas empresas deverão fazer.

NOSSAS RECOMENDAÇÕES NO SETOR

Gostou de saber que existem empresas que se beneficiam em épocas de juros elevados?

Pois saiba que tudo isso já havia sido informado aos nossos clientes há algum tempo, especialmente para quem quer receber gordos dividendos.

E nada melhor que nossa Carteira Dividendos+ para atender a essa demanda. Dessa forma, também temos recomendações no setor financeiro, que se beneficiam fortemente desse bom cenário para as companhias seguradoras. Inclusive, boa parte do nosso excelente retorno se deve a essas ações.

CONHEÇA A CARTEIRA DIVIDENDOS+ DA CAPITALIZO

×